Siga o OTD

Tóquio 2020

Vitor Tavares é superado por número 2 do mundo, mas avança para a semifinal

Vitor Tavares perde para rival indiano no encerramento da fase de grupos, mas avança para a semifinal da classe SH6

Vitor Tavares Badminton Paralimpíada de Tóquio 2020
(Takuma Matsushita/CPB)

Único representante brasileiro a participar da estreia do badminton na Paralimpíada de Tóquio, Vitor Tavares retornou ára a quadra nesta sexta-feira (3) pelo encerramento da primeira fase de competições. O brasileiro acabou derrotado pelo indiano Krishna Nagar por 2 a 0, parciais de 21/17 e 21/14, porém mesmo assim avançou para a semifinal do torneio da classe SH6.

Encarando o atleta da Índia, que aparece na segunda colocação no ranking mundial da categoria, o brasileiro fez jogo duro na primeira parcial. No entanto, Vitor Tavares encontrou problemas para responder ao serviço do rival, que conseguiu emendar boas sequências no saque para confirmar o favoritismo e a vitória.

+GUIA DOS JOGOS PARALÍMPICOS

Apesar da derrota, Vitor Tavares está garantido na semifinal do torneio. Isso porque o atleta venceu na estreia o representante da Malásia por 2 a 0 e fechou a fase de grupos do badminton na segunda colocação da chave B.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK

As semifinais da classe SH6 serão disputadas no próximo sábado. O adversário do brasileiro ainda não foi decidido, já que ainda há jogos a serem disputados pela outra chave. Vale dizer que os duelos valendo o pódio acontecem no domingo, último dia da Paralimpíada em Tóquio.

O atleta

Em 2019, Vitor foi campeão Parapan-Americano, em Lima, quando o badminton também estreou no evento. Poucos dias antes de competir no Peru, o paranaense conquistou três medalhas de bronze no Campeonato Mundial de Parabadminton em Basiléia, na Suíça, seu primeiro Mundial. 

+ RECEBA NOTÍCIAS NO NOSSO CANAL NO TELEGRAM OU PARTICIPE DO NOSSO GRUPO DO WHATSAPP

O curitibano de 22 anos, possui hipocondroplasia congênita, popularmente conhecida como nanismo. Praticava mountain bike convencional até 2016, quando conheceu o parabadminton no colégio por meio de um professor que dava aulas para crianças e atletas de alto rendimento e que o convidou para praticar a modalidade. 

Mais em Tóquio 2020