Siga o OTD

Pia Sundhage projeta duelo contra o Canadá pelas quartas de final de Tóquio 2020

Tóquio 2020

Pia Sundhage projeta duelo contra o Canadá pelas quartas de final de Tóquio 2020

Técnica da Seleção Feminina projetou duelo acirrado diante das canadenses e exaltou a força coletiva do Brasil para avançar na competição.

Pia Sundhage projeta duelo contra o Canadá pelas quartas de final de Tóquio 2020

Confiança no trabalho e na união do grupo para ir mais longe. Assim a técnica Pia Sundhage resumiu o estado de espírito da Seleção Brasileira, enquanto a equipe se prepara para enfrentar o Canadá, pelas quartas de final da Olimpíada de Tóquio. A treinadora exaltou o bom ambiente do vestiário e revelou uma de suas principais orientações às atletas: aproveitar a jornada.

+ SAIBA TUDO SOBRE O FUTEBOL NOS JOGOS OLÍMPICOS DE TÓQUIO

“É importante ser contagiante e é por isso que você me vê sorrir, porque estamos nas quartas de final e temos grande chance de avançar. Acredito no poder de olhar positivamente para as situações, mesmo que eu considere que não jogamos bem contra a Zâmbia, na verdade, nós jogamos. Criamos boas chances, marcamos um gol importante. Para mim, tudo se resume à jornada. Tem que valer a pena ter tantos dias juntas, um bom time e buscar aproveitá-la. Quando jogarmos amanhã, eu realmente espero que tenhamos um bom time e façamos um bom jogo, porque trabalhamos muito para isso e eu acho que tentamos encaixar todas as peças, ser táticas e marcar gols”, disse Pia, avaliando o que viu de avanço na modalidade desde que chegou ao Brasil e torcendo para que a campanha em Tóquio ajude nesse processo.

“Acho que fizemos um ótimo trabalho, as jogadoras têm sido fantásticas até aqui, e acredito que teremos um bom jogo. Agora, quando você fala do futebol feminino no Brasil, esses dois anos têm sido ótimos e eu acho que, se voltarmos ao Brasil com uma medalha, as pessoas vão nos ouvir. Acho que vão nos ouvir mesmo se não voltarmos com medalha, mas é mais fácil prestar atenção em alguém que venceu. Olhando para esse prisma, esse jogo é muito importante, e eu quero muito que a gente jogue bem e chegue às semifinais”, afirmou a treinadora.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK

Na Era Pia, as brasileiras enfrentaram as canadenses em quatro oportunidades. Venceram duas e empataram duas, marcando 8 gols e cedendo apenas 2. No mês passado, em jogo preparatório, as duas seleções empataram em 0x0. Pia elogiou Christine Sinclair (12 gols), uma das maiores artilheiras das Olimpíadas, que luta gol a gol para superar as brasileiras Marta (13 gols) e Cristiane (14 gols) no ranking.

Pia Sundhage projeta duelo contra o Canadá pelas quartas de final de Tóquio 2020
Com Pia no comando em Tóquio 2020, Brasil sonha com o primeiro ouro no futebol feminino dos Jogos Olímpicos (Foto: Sam Robles/CBF)

“Elas têm um excelente time. O último jogo foi apertado e elas estão em nono no ranking, e eu espero que tenhamos um bom jogo. Precisamos fazer o nosso melhor em termos de defesa, por exemplo. Você tem que tomar cuidado com a Sinclair, que tem muita experiência e é uma jogadora muito inteligente. Temos que nos esforçar para que ela não domine o jogo”, disse Pia, analisando os pontos fortes da equipe canadense.

+ GUIA COMPLETO DOS JOGOS OLÍMPICOS DE TÓQUIO 2020

“Mas claro que ela tem um time por trás, jogadoras de velocidade no ataque, por exemplo, e outras difíceis de enfrentar na defesa. Elas têm um padrão e nós precisamos descobrir que padrão é esse para preparar as jogadoras, especialmente no ataque. Marcamos gols contra elas e acho que está na hora de marcarmos gols de escanteio, mas já fizemos um bom trabalho com isso antes e espero que, quando tivermos um escanteio, todo mundo pense ‘lá vem o gol’”, projetou.

Compactação e foco

As Guerreiras do Brasil chegam às quartas após uma ótima campanha na primeira fase, que lhes deixou algumas lições importantes. Como adversárias, as brasileiras tiveram escolas e estilos de jogo totalmente diferentes, cedendo poucos gols, no total apenas 3 diante da Holanda. Pia reiterou a importância da compactação para um bom desempenho da Canarinho.

“Quando você olha para os melhores momentos da Seleção, a palavra-chave é compactação, tanto na defesa quanto no ataque. Tivemos algumas situações em que a qualidade individual se sobressaiu, ofensivamente ou defensivamente – caso da Rafaelle, por exemplo. Quando estamos na mesma página, é um bom retrato de que, se estivermos compactas, estaremos bem”, afirmou Pia.

A Seleção fez nesta quinta-feira (29) o último treino antes de encarar o mata-mata, visando aos últimos ajustes físicos, técnicos e táticos. Em outra competência, porém, o treinamento nunca acaba: o psicológico. Para a treinadora, as atletas estão bem preparadas.

“Se você está nas quartas de finais de uma Olimpíada, você supera todos os obstáculos, porque você realmente quer jogar aqueles 90 minutos e alguns mais, se o jogo for à prorrogação. Na conversa pré-jogo que teremos daqui a pouco, é tudo sobre o jogo, sobre como derrotar o Canadá, conseguir boas situações em campo e acreditar em algo”, concluiu.

Brasil e Canadá se enfrentam nesta sexta-feira (30), às 5h (horário de Brasília).

Mais em Tóquio 2020