Siga o OTD

Hugo Calderano Tênis de Mesa Brasileiro Medalha Tóquio

Tóquio 2020

Consistente, Hugo Calderano quer brigar por medalha em Tóquio

Atual sexto colocado no ranking mundial, o mesatenista brasileiro terminou na nona posição nos Jogos Olímpicos Rio-2016 e pretende subir ao pódio no Japão

Hugo Calderano é o sexto colocado do ranking mundial (Jonne Roriz/COB)

Consistente, Hugo Calderano quer brigar por medalha em Tóquio

Hugo Calderano mostrou crescimento contínuo neste ciclo para os Jogos Olímpicos de Tóquio, que foram adiados para 2021 por causa da pandemia do coronavírus. Desde que terminou em nono na Rio-2016, quando era o 54º do mundo, o brasileiro do tênis de mesa conquistou resultados relevantes, hoje é o sexto do ranking, o melhor não asiático, e pretende brigar por medalha no Japão, onde compete daqui a exato um ano.

“Acho que tive uma evolução constante desde a Rio 2016. Nos últimos três anos treinei com bastante consistência e tive regularidade nos resultados em competições internacionais, o que me manteve no top10 no ranking mundial nos últimos dois anos. Obviamente que 2020 pegou todo mundo de surpresa e o adiamento dos Jogos de Tóquio, apesar de inevitável, foi frustrante”, afirmou Hugo Calderano ao Olimpíada Todo Dia.

“Eu pessoalmente tive sorte de ter sido bem menos impactado do que muitos atletas que ficaram meses sem treinar. De qualquer forma, a falta de competições e a incerteza do futuro próximo acabam influenciando a motivação. É complicado planejar e executar um programa de treinamento sem saber ao certo o que vai acontecer nos próximos meses. Estamos fazendo o melhor dentro dessa situação”, acrescentou o mesatenista.

Hugo Calderano não ficou tanto tempo sem competir porque mora na Alemanha e defende o clube Liebherr Ochsenhausen na Bundesliga. O brasileiro e seus companheiros de equipe disputaram a final da edição de 2019/20 da liga alemã de tênis de mesa e terminaram com o vice-campeonato. Seu último jogo oficial foi no dia 14 de junho no revés contra o chinês Shang Kun, atleta do campeão Saarbrücken.

Pretensões e favoritos

Hugo Calderano Tênis de Mesa Brasileiro Medalha Tóquio
Hugo Calderano é o principal nome do tênis de mesa do Brasil (Jonne Roriz/COB)

Hugo Calderano disputou a Rio-2016 com apenas 20 anos e foi eliminado nas oitavas de final pelo japonês Jun Mizutani , medalha de bronze naquela edição olímpica e atual 17º do ranking, por 4 sets a 2. Apesar da desclassificação, o mesatenista nascido no Rio de Janeiro já fez história ao igualar a melhor marca de um brasileiro no evento. Em Atlanta-1996, Hugo Hoyama também chegou à mesma fase da competição.

+ Competições seguem suspensas e ranking nacional é cancelado

Projetando os Jogos de Tóquio, o brasileiro acredita estar em condições de disputar uma medalha. “Em primeiro lugar, espero que os jogos aconteçam. Hoje, acho que esse é um desejo comum de todos os atletas. Quero brigar por uma medalha em Tóquio. Os chineses são os favoritos e há entre oito e dez jogadores com chances de disputar uma medalha. Acredito que estou nesse grupo”, destacou Hugo Calderano.

+ E se os Jogos Olímpicos de Tóquio fossem hoje? – Dia 6

Somente cinco estão acima de Hugo Calderano no ranking mundial e quatro deles são chineses. O líder é o chinês Fan Zhendong, o segundo e o terceiro são, respectivamente, Xu Xin e Ma Long, ambos compatriotas do primeiro colocado. Em seguida aparecem o japonês Tomokazu Harimoto, em quarto, e o chinês Lin Gaoyuan, em quinto.

Ma Long é o atual campeão olímpico ganhando na final de Jike Zhang, também da China.

Ciclo em detalhes

Hugo Calderano Tênis de Mesa Brasileiro Medalha Tóquio
O brasileiro, nascido no Rio de Janeiro, deseja uma medalha em Tóquio no tênis de mesa (CBTM/Divulgação)

Hugo Calderano finalizou sua participação na Rio-2016 no dia 12 de agosto. Menos de dois meses depois, voltou à ativa e iniciou o ciclo para Tóquio ao disputar, no dia 1º de outubro, uma etapa da Copa do Mundo. E a retomada às competições já trouxe os resultados expressivos que foram constantes na corrida olímpica.

+ Hugo Calderano: “Inspiração são várias coisas diferentes”

Em novembro, o brasileiro foi campeão do torneio Circuito das Estrelas batendo o compatriota Cazuo Matsumoto na decisão, perdeu a final do Aberto da Áustria diante do japonês Kenta Matsudaira e foi campeão de duplas do Aberto da Suécia ao lado de Gustavo Tsuboi, superando os franceses Antoine Hachard/Stephane Ouaiche. Hugo Calderano fechou o ano de 2016 em 21º no ranking mundial.

O ano de 2017 começou com uma medalha de prata em janeiro em duplas novamente ao lado de Tsuboi no Aberto da Hungria. Já em maio, Hugo Calderano foi campeão individual e de duplas do Aberto do Brasil. Ele ganhou do indiano Almaraj Anthony e, com Tsuboi, bateu os conterrâneos Eric Jouti e Cazuo Matsumoto. No mesmo ano, alcançou a fase semifinal do Aberto da República Tcheca no individual e nas duplas em setembro.

+ Mundial por equipes será em 2021 e data exata sai em julho

No individual, Hugo Calderano perdeu do japonês Tomokazu Harimoto e ficou com a medalha de bronze. Nas duplas, o brasileiro formou parceria com o francês Simon Gauzy e também subiu ao pódio em terceiro lugar. No mesmo mês, ele foi campeão do Campeonato Pan-Americano diante de Thiago Monteiro e chegou às quartas de final do Aberto da Áustria. O mesatenista terminou 2017 na 31ª posição no ranking mundial.   

2018 e 2019

Hugo Calderano Tênis de Mesa Brasileiro Medalha Tóquio
Hugo Calderano conquistou resultados expressivos neste ciclo olímpico (Alexandre Loureiro/COB)

Hugo Calderano abriu 2018 com um bom desempenho no Aberto da Hungria, em janeiro, ao conquista a medalha de bronze no individual. Em março, o carioca foi finalista do Aberto do Qatar e ganhou a prata ao ser superado por Fan Zhendong na final. Três meses depois, ele foi campeão da Copa Pan-American ao derrotar Gustavo Tsuboi.

+ Na estreia em Tóquio, C1 feminino terá Ana Sátila na briga

Em julho e novembro, o brasileiro atingiu a fase de quartas de final, respectivamente, nos Abertos da Coreia do Sul e da Áustria. Em sua estreia no ITTF World Tour Grand Finals, em dezembro, Hugo Calderano venceu o então número um do mundo Fan Zhendong nas quartas de final e ganhou o bronze ao ser derrotado pelo japonês Tomokazu Harimoto na semifinal.

Já em 2019, Hugo Calderano foi quadrifinalista nos Abertos da Hungria, China, Japão e Austrália, na Copa do Mundo e no Grand Finals. O brasileiro chegou à semifinal nos Abertos da República Tcheca e Áustria e conquistou a medalha de bronze. Na Copa Pan-Americana, em fevereiro, foi campeão individual ao ganhar do americano Jha Kanak.

+ Cereja do bolo: Melo e Soares buscam inédito pódio olímpico

Pan-Americano de Lima e 2020

Por fim, nos Jogos Pan-Americanos de Lima-2019, Hugo Calderano ganhou o ouro no individual ao derrotar o dominicano Wu Jiaji. Ele ganhou mais duas medalhas, sendo o ouro na dupla masculina ao lado de Gustavo Tsuboi, vencendo os argentinos Horacio Cifuentes e Gastón Alto, e o bronze por equipes.

+ SIGA O OTD NO FACEBOOKINSTAGRAMTWITTER E YOUTUBE

Já em 2020, o Hugo Calderano, principal nome do tênis de mesa brasileiro, subiu ao topo do pódio da Copa Pan-Americana batendo Tsuboi e disputou os Abertos do Qatar e Hungria antes da paralisação das competições internacionais em decorrência da pandemia do coronavírus.

Mais em Tóquio 2020