Siga o OTD

Gabriel Medina camepão Narrabeen Classic Mundial de surfe

Surfe

Gabriel Medina dá show de aéreos, vence em Narrabeen e lidera Mundial

Sem dar chances para ninguém, Medina dita o ritmo no começo ao fim na decisão, vence e lidera o ranking. No feminino, Tatiana Weston-Webb fica com o vice e segue no top 5 do ranking

Matt Dunbar/WSL

Gabriel Medina dá show de aéreos, vence em Narrabeen e lidera Mundial

Deu Brasil! Em sua quarta final seguida de etapas do Circuito Mundial de surfe, Gabriel Medina finalmente soltou o grito de campeão em 2021. Nesta segunda-feira (19), o brasileiro deu show com uma série de aéreos na decisão de Narrabeen Classic, somou 18.77 pontos e venceu o americano Conner Coffin. No feminino, Tatiana Weston-Webb ficou com o segundo lugar.

“É sensacional. Finalmente consegui surfar o que eu queria nas finais. Eu estive em algumas finais recentes mas hoje foi diferente. Eu me senti bem, me diverti e consegui as notas. A próxima etapa começa tudo do zero e eu sei que serei o alvo de todos novamente”, comentou Gabriel Medina após conquistar o título.

Gabriel Medina Tatiana Weston Webb Narrabeen Classic

Na decisão masculina do Narrabeen Classic, Gabriel Medina teve pela frente Conner Coffin, dos Estados Unidos. Nos primeiros minutos, o surfista americano foi o primeiro a pontuar e assumiu a liderança com 3.10. Após alguns minutos sem movimento, o brasileiro deu seu primeiro voo. Com uma série de manobras e um aéreo para fechar, Medina tirou um 9.27, chegou em 12.17 e tomou a liderança.

-A 100 dias dos Jogos, atletas controlam expectativa e focam na preparação

Logo em seguida, Gabriel Medina fez a melhor nota de toda a etapa do mundial de surfe. Com duas rasgadas na onda e um aéreo espetacular, o brasileiro conseguiu um 9.50 e deixou a final praticamente definida, faltando mais de 20 minutos para o fim.

Neste momento da final de Narrabeen Classic, Gabriel Medina seguiu voando em busca da onda perfeita, mas o 10 não veio. Com isso, foi só questão de esperar a buzina para que o brasileiro voltasse a conquistar um título no circuito mundial de surfe. Além do título, Medina volta a liderar o ranking mundial e será o camiseta amarela em Margaret River, a partir de 1º de maio.

Tatiana Weston-Webb começa bem, mas leva a virada e fica com o vice

Os primeiros minutos da decisão da etapa do mundial de surfe entre Tatiana Weston-Webb e a americana Caroline Marks tiveram cada uma das surfistas conseguindo pegar ondas e a brasileira ficou com a vantagem, com 7.17 contra 4.00. Logo em seguida, Tatiana encaixou uma sequência de manobras, somou mais 4.67, chegou em 11.34 e já deixou Marks em uma situação complicada. 

Com 15 minutos já passados, Caroline Marks encaixou a primeira série de manobras, tirou um 7.27 e encostou na disputa da final, com 11.27. Embalada pela boa nota, a americana engatou um 4.93 e assumiu a liderança, com 12.20.

Tatiana Weston-Webb em Hossegor
(Damien Poullenot / WSL via Getty Images)

Nos minutos finais, a surfista americana aumentou um pouco a vantagem, chegando no total de 12.57 pontos, e complicou a vida de Tatiana Weston-Webb. Nos últimos 120 segundos, a brasileira não conseguiu a virada e o título da chave feminina da etapa do circuito mundial de surfe foi para Caroline Marks.

As semifinais

Medina cresce nos aéreos e chega na decisão

Enfrentando o português Frederico Morais por um dos lugares na decisão de Narrabeen Classic, Gabriel Medina começou a semifinal com uma boa sequência de manobras e teve 5.17 de nota. A resposta do surfista europeu veio em seguida e, com duas ondas, chegou em 9.67, assumindo a liderança. 

Gabriel Medina Narrabeen Classic
WSL Cait Miers

Na continuação da disputa, Gabriel Medina conseguiu uma série de manobras com aéreo mas acabou caindo no fim, fazendo com que ainda ficasse com o segundo lugar, com um total de 9.64. Ainda atrás, o brasileiro cresceu. Com um 5.70, em mais uma sequência de manobras e um aéreo, Medina chegou em 10.87 e tomou a ponta da semifinal de Narrabeen Classic. 

-Talita e Taiana superam duplas olímpicas e estão na final em Cancún

Logo em seguida, Gabriel melhorou ainda mais seu total. Mais uma vez conseguindo um aéreo, o brasileiro bicampeão mundial tirou um 6.00, chegou a uma somatória de 11.70 e complicou a vida de Frederico Morais. 

Já na reta final, Medina encaixou uma série de manobras, tirou um 6.50, chegou em 12.50 e deixou o surfista de Portugal em apuros. Nos últimos minutos, o mar não teve muitas ondas, Medina jogou com a prioridade e se garantiu na quarta decisão de etapa do circuito mundial de surfe seguida.

Tatiana Weston-Webb elimina líder do ranking mundial

Na disputa por um dos lugares na decisão, Tatiana Weston-Webb teve como adversária a havaiana Carissa Moore, atual líder do ranking mundial feminino. No começo, as duas surfistas tiveram dificuldades para finalizar as manobras e Carissa conseguiu manter a liderança com 5.40 contra 4.63. 

Tatiana Weston-Webb nos Jogos Mundiais de Surfe
ISA/Ben Reed

Atrás do placar, Tatiana Weston-Webb teve a melhor nota da bateria. Com uma série de manobras, a brasileira tirou um 5.17, chegou em 9.17 e assumiu a liderança. A resposta da havaiana veio na sequência e com 4.73 totalizou 7.63 e encostou. 

Contudo, mais uma vez a brasileira encaixou uma pequena série de manobras e subiu sua somatória para 10.17 e com isso obrigou que Carissa Moore buscasse um 5.45 para virar.

-Seis meses após cirurgia, Mayra fala da recuperação e expectativa olímpica

Mesmo na frente do placar, Tatiana Weston-Webb teve a melhor onda da bateria. Com um lindo tubo, a brasileira melhorou ainda mais a melhor nota da disputa, com um 6.23, colocou sua somatória em 11.90 e deixou a tetracampeã mundial em uma situação complicada. 

Já dentro dos últimos cinco minutos, a brasileira colocou ainda mais vantagem. Com uma série de manobras impactantes em uma onda quebrando da direita, Tatiana Weston-Webb subiu seu total para 13.90 e colocou uma quilha na decisão. Nos segundos finais, apesar de Carissa Moore diminuir a desvantagem, a virada não veio e o Brasil garantiu um dos lugares na decisão. 

Como foram as quartas de final de Narrabeen Classic

Gabriel Medina vira nos segundos finais

Na segunda bateria de quartas de final, Gabriel Medina teve como adversário Morgan Cibilic, da Austrália, repetindo a semifinal de Newcastle Cup. Logo nos primeiros minutos da disputa, os dois atletas conseguiram ondas e Cibilic assumiu a ponta. 

Gabriel Medina segue para o round 3
– WSL / MATT DUNBAR

Com um tubo lindo, o australiano conseguiu um 8.67 na primeira onda e ficou na primeira colocação. Sem deixar o adversário crescer, Medina encaixou uma sequência de manobras e fez uma somatória de 7.73. Com o crescimento do brasileiro, Morgan melhorou seu total com uma onda 3.33, chegando a 12.00. 

Já na segunda parte da bateria, Gabriel Medina se aproximou do australiano ao conseguir um 5.87, totalizando 11.70. Após um período sem ondas, Medina virou a disputa. Com um aéreo baixo, o brasileiro fez a sua melhor nota nas quartas de final, um 6.67, chegou em 12.54 e colocou a pressão no Cibilic. 

-Guilherme Costa e Felipe Lima nadam abaixo do índice e estarão em Tóquio

Na busca pela retomada da liderança, o australiano aproveitou uma onda pequena e, com uma sequência de manobras, fez o necessário para voltar a liderar com um total de 12.67. Com menos de dois minutos para o fim, Gabriel Medina mostrou porque é um dos melhores do mundo no surfe. 

Com duas ondas surfadas, uma delas um lindo aéreo, o brasileiro fez a melhor nota de toda a Narrabeen Classic, um 9.30, e tomou a liderança para si com 15.97 de somatória. Com isso, o brasileiro se garantiu na semifinal da terceira etapa do Mundial de surfe de 2021.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK

Tatiana Weston-Webb domina e avança para a semifinal

Primeira brasileira na água, Tatiana Weston-Webb teve a australiana Sally Fitzgibbons como oponente. No começo da disputa, Sally começou mais ativa e com duas ondas somou 4.73, ficando na primeira colocação. Com cerca de 10 minutos passados, Tatiana achou sua primeira onda e com um 6.67 tomou a primeira colocação de Fitzgibbons. 

Tatiana Weston-Webb WSL Keoki Saguibo
WSL Keoki Saguibo

Na sequência da disputa, a brasileira teve a 2ª melhor nota da bateria. Com um 5.17, Weston-Webb colocou sua somatória em 11.84 e jogou a responsabilidade para a australiana. Já com o cronômetro passando a ser adversário, Sally conseguiu melhorar seu total, indo para 7.97, mas seguiu precisando de uma nota maior que sete para ter a virada e ficar com a vaga. 

Já na reta final da bateria, Sally Fitzgibbons melhorou sua somatória. Com uma série de manobras, a australiana teve sua melhor nota, com um 6.40, mas não virou as quartas de final. Com isso, Tatiana Weston-Webb se garantiu entre as quarto melhores surfistas de Narrabeen Classic. 

Yago Dora é eliminado da etapa do Mundial de surfe

Fechando as quartas de final masculina, Yago Dora teve Griffin Colapinto, dos Estados Unidos, como adversário. No confronto, diferente do que aconteceu no início do dia, o mar acabou parando um pouco e as ondas passaram a ficar raras. Por conta disso, o brasileiro, que conseguiu ser mais ativo nos primeiros minutos, assumiu a ponta com um total de 0.83. 

 SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK

Na continuação da disputa, Yago encontrou uma boa combinação de manobras e abriu vantagem na liderança, com 5.50 de somatória. Próximo da metade, Griffin Colapinto acertou sua primeira manobra. Com um aéreo com 360, o americano tirou um 8.50 e assumiu a ponta com um total de 9.30. 
Atrás no confronto, o brasileiro conseguiu sua melhor nota. Fazendo uma série de manobras, Yago Dora fez um 7.00 e chegou em 12.00. No mesmo momento, Colapinto subiu seu total para 12.50 e manteve a liderança. Na reta final, mais uma vez, o mar acalmou, as ondas não vieram e o brasileiro foi eliminado de Narrabeen Classic. 

Mais em Surfe