Siga o OTD

Italo Ferreira Etapa do Surf Ranch

Surfe

Oito brasileiros avançam para o round 3 em Pipe Masters

Ítalo Ferreira, Gabriel Medina, Filipe Toledo, Yago Dora, Miguel Pupo, Caio Ibelli, Jadson André e Deivid Silva seguiram direto para a próxima fase

Atual campeão mundial, Ítalo Ferreira seguiu para o round 3 (Foto: Tony Heff / WSL via Getty Images)

Oito brasileiros avançam para o round 3 em Pipe Masters

O round 1 da Etapa de Pipeline, no Havaí, pela primeira etapa da WSL (Campeonato Mundial de Surfe) de 2021 começou. Após um dia de trials, 11 brasileiros foram para a água e oito conseguiram a vaga no round 3 de Pipe Masters. Os destaques ficaram com Ítalo Ferreira, Gabriel Medina, Yago Dora e Filipe Toledo.

O campeão começou com tudo. Ítalo Ferreira teve Miguel Tudela, do Peru, e o sul-africano Matthew McGillivray como adversários e soube crescer conforme o tempo foi passando. Sempre nas duas primeiras colocações, o brasileiro primeiro abriu vantagem para o terceiro lugar, garantindo assim sua vaga no round 3, para depois buscar a liderança da bateria, e foi o que aconteceu.

Jogos Mundiais de surfe foram adiados mais uma vez
Ítalo começou a temporada da WSL com vitória na bateria em Pipeline (Foto: Divulgação/ISA)

Com um total de 5,50, Ítalo Ferreira esperou até os minutos finais, quando conseguiu um tubo, somou mais 5,03 e venceu a bateria. McGillivray também segue para o round 3 e Tudela caiu para a repescagem da etapa da WSL.

Medina avança e Mineirinho vai para a repescagem

Uma das baterias mais esperadas do dia contava com dois brasileiros. Gabriel Medina e Adriano de Souza, o Mineirinho, tiveram como oponente o havaiano Joshua Moniz, que venceu o trials.

Embalado pela vitória no dia da abertura de Pipe Masters, Moniz foi dominante durante todo o tempo e abriu vantagem ainda na primeira metade da bateria. Com isso, Medina e Mineirinho disputaram a segunda vaga no round 3.

Gabriel Medina - surfe - coronavírus - praias liberadas - mi
(WSL/Laurent Masurel)

Na reta final, Gabriel Medina parecia ter a vaga nas mãos, mas errou, perdeu a preferência e se complicou. Adriano de Souza esperou até o último momento e chegou a “dividir” a última onda com Medina. Entretanto, o bicampeão mundial conseguiu a nota necessária e ficou com a segunda colocação por 0,03 ponto, fazendo com que Mineirinho fosse para a repescagem da etapa da WSL 2021.

John John Florence segue para o terceiro round

John John Florence começou a temporada dominando sua bateria. Na bateria que também tinha o brasileiro Deivid Silva e o americano Conner Coffin, o havaiano já abriu vantagem na segunda onda.

+ Ataque de tubarão a surfista amador cancela dia em Maui

Por conta disso, restou para Deivid a briga pela segunda vaga no round 3 de Pipe Masters e foi o que o brasileiro conseguiu. Conseguindo encaixar duas boas ondas no decorrer da bateria, o surfista do Brasil somou 9,43 pontos e foi o segundo colocado, se garantindo na próxima fase. Conner Coffin, com um total de 7,27, foi para a repescagem.

Yago Dora cresce no momento certo

Participante da segunda bateria do dia, Yago Dora teve como concorrentes o italiano Leonardo Fioranti e o americano Kolohe Andino. Na disputa, o brasileiro cresceu no momento certo. Depois de um começo ruim, onde Andino e Fioranti aproveitaram e assumiram as primeiras colocações da disputa, Yago conseguiu encaixar uma sequência de três ondas, em suas quatro últimas tentativas de manobras, e assumiu a ponta. 

Yago Dora começou a temporada da WSL com vitória (Foto: WSL)

Com o resultado, Yago Dora e Leonardo Fioranti pulam a repescagem e já estão garantidos na terceira rodada, que conta com 32 surfistas. Como o round 1 da etapa de Pipeline da WSL não é eliminatório, Kolohe Andino seguem para a repescagem da etapa. 

Filipe Toledo avança na última onda

Após uma parada na competição por falta de ondas, a WSL retomou o Pipe Masters com a bateria de Filipe Toledo, o português Frederico Morais e o australiano Mikey Wright. Na disputa, o brasileiro não começou bem. Com dificuldade de achar uma boa onda, Filipinho passou a primeira metade com 0,50 de total de nota.

Contudo, na reta final, Filipe Toledo cresceu, conseguiu a melhor nota da bateria, um 6,33, e assumiu a liderança. Nos minutos finais, Frederico Morais melhorou sua nota e encostou. Na última onda, o brasileiro somou mais 1,30, chegou ao 7,63 e venceu a disputa, se garantindo no round 3.

Jadson André foi mais um brasileiro que caiu na água após a parada por falta de ondas. Assim como aconteceu com Filipinho, Jadson também teve dificuldades nas primeiras ondas e não conseguiu somar pontos na primeira parte da bateria. Com isso, o brasileiro acabou ficando atrás de Jordy Smith, da África do Sul, durante todo o tempo e lutou pelo segundo lugar.

+ ‘Lugar de crânios’ é escolhido como sede para Paris-2024

Jadson André está no round 3 em Pipeline (Foto: WSL/Rowland)

Na reta final, Jadson André encaixou algumas manobras, somou 4,67 pontos, ficou na frente Sebastian Zietz e se garantiu no round 3 da etapa de Pipeline da WSL 2021. Com o terceiro posto na bateria, Zietz está na repescagem.

Caio Ibelli vence sua bateria

Assim como seus compatriotas, Caio Ibelli também garantiu uma das 32 vagas no round 3. Com duas boas ondas logo no começo da bateria, o brasileiro já somou 13,33 pontos, assumiu a liderança da bateria e venceu. O outro surfista que seguiu para a próxima fase foi Jeremy Flores, da França. Já Ethan Ewing, da Austrália, foi para a repescagem.

Miguel Pupo avança em segundo

Outro brasileiro que avançou para o round 3 foi Miguel Pupo. Na bateria com o americano Griffin Colapinto e o australiano Julian Wilson, o brasileiro começou bem e com um 4,67 assumiu a ponta da disputa.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM E NO FACEBOOK

No decorrer da bateria, Miguel seguiu na ponta e somou mais um 3,30, chegando ao 7,97 total. Contudo, já com a vaga assegurada, o brasileiro viu o Colapinto acertar a melhor onda da classificatória e se tornar líder na reta final, com um total de 11,40. Julian Wilson ficou com o terceiro posto e foi para a repescagem.

Peterson Crisanto e Alex Ribeiro estão na repescagem 

Diferente de Yago, Peterson Crisanto não conseguiu vencer sua bateria. Participante da primeira bateria do dia, o brasileiro acabou com a terceira posição e, assim como o australiano Morgan Cibilic acabou indo para a repescagem. O japonês Kanoa Igarashi se juntou a Yago Dora na terceira rodada.

Na penúltima bateria do dia, Alex Ribeiro não conseguiu a vaga direta no round 3. Recém-promovido para a elite da WSL, o brasileiro conseguiu pegar três ondas em toda a bateria, somou 5,60 e foi o terceiro colocado. Jack Freestone, da Austrália, e o havaiano Seth Moniz conseguiram a vaga direta.

 

Mais em Surfe