Siga o OTD

Pride House Olimpíada de Tóquio - Tóquio 2020 - coronavírus

Olimpíada

A 200 dias dos Jogos, Brasil tem 180 classificados e contando

Faltando exatamente duas centenas de dias para a abertura, país vive cenário animador para os Jogos Olímpicos em solo japonês

(IOC/Christophe Moratal)

A 200 dias dos Jogos, Brasil tem 180 classificados e contando

Daqui a exatamente 200 dias começará a Olimpíada de Tóquio, no Japão. Com a cerimônia de abertura programa para acontecer no estádio olímpico da capital japonesa em 23 de julho, os Jogos de 2021 já possuem 180 atletas brasileiros garantidos nas disputas de diversas modalidades. O número deve crescer nos próximos meses do ano, já que muitos ainda buscam classificação. 

Querendo mais um ouro

Atual campeão olímpico, o vôlei masculino é um dos que já estão garantidos na Olimpíada de Tóquio. Em 2019, o time comandado por Renan Dal Zotto conquistou a vaga ao vencer o pré-olímpico disputado na Bulgária, ao virar a “final” contra os donos da casa. 

(Divulgação/FIVB)

Outro time brasileiro que vai “defender” o ouro no Japão é o futebol masculino. No classificatório disputado na Colômbia, a seleção ficou com o vice-campeonato e se garantiu como uma das representantes da América do Sul na Olimpíada.

+ Confira o calendário 2021 do esporte olímpico

Depois de fazerem história na Rio-2016 ao conquistarem a medalha de ouro na última regata, Martine Grael e Kahena Kunze seguirão para a Ásia em busca do bicampeonato. A dupla brasileira garantiu a vaga através do Mundial da classe 49er FX, disputado em 2018. 

alison e álvaro filho Võlei de praia circuito brasileiro
Créditos: Wander Roberto/Inovafoto/CBV)

Outro atual campeão olímpico garantido no Japão é Alison, o “Mamute”, no vôlei de praia. Depois de um ciclo conturbado, com trocas de parceiros e risco de ficar de fora, o atleta conseguiu uma arrancada com Álvaro Filho e os dois serão uma das duplas do país nos Jogos Olímpicos. 

A outra terá o outro atual campeão olímpico. Bruno Schmidt, que jogou a Rio-2016 ao lado de Alison, estará com Evandro em Tóquio.

Agatha e Duda - Circuito Brasileiro de vôlei de praia
(CBV)

No feminino, Ágatha busca sua segunda medalha olímpica da carreira. Prata na Rio-2016 ao lado de Bárbara, a jogadora está agora ao lado de Duda. Ana Patrícia e Rebecca é a outra dupla feminina garantida e elas farão a estreia em Jogos Olímpicos no Japão. 

Buscam o pódio 

Estreante em Olimpíada, o surfe chega fazendo com que o brasileiro sonhe com o ouro no pódio. Nas águas, o bicampeão mundial Gabriel Medina e o atual campeão do mundo Ítalo Ferreira representarão o país. Entre as mulheres Tatiana Weston-Webb e Silvana Lima sabem que também podem sonhar.

+ Confira os 180 brasileiros classificados para a Olimpíada de Tóquio

Ainda nas águas, mas na doce, a canoagem slalom e a canoagem velocidade podem colocar o Brasil no pódio. Primeiro brasileiro a conquistar três medalhas em uma única edição de Jogos Olímpicos, Isaquias Queiroz quer seguir fazendo história.

Vivência Olímpica Isaquias Queiros canoagem de velocidade medalha Olimpíada Rio 2016
Isaquias Queiroz brilhou na Rio-2016 e brigará por novas medalhas Tóquio (divulgação/COB)

Na canoagem slalom, Ana Sátila, em duas provas, e Pepe Gonçalves chegam com chances de brigar e trazer uma medalha para o Brasil. 

No futebol feminino, Marta, Formiga e companhia esperam voltar ao pódio olímpico com a técnica sueca Pia Sundhage, finalista nas três edições que a modalidade esteve presente. Depois de duas pratas, em Atenas-2004 e Pequim-2008, o time brasileiro não conseguiu mais chegar na medalha, mas espera que o novo momento da modalidade no país ajude na retomada no pódio.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM E NO FACEBOOK

Ainda na briga por uma vaga

Se 180 atletas já estão na Olimpíada de Tóquio, alguns ainda precisam conquistar o direito de ir para o Japão. O basquete masculino é uma delas.

Depois de cair na segunda fase e não conseguir a vaga pelo do Mundial de 2019, o time comandado por Aleksandar Petrovic ainda tem uma última chance. Em julho, na Croácia, a seleção disputa uma vaga contra os donos da casa, Tunísia, México, Rússia e Alemanha.

AmeriCup - FIBA - Coronavírus
(Divulgação/CBB)

Outra equipe masculina que ainda busca uma vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio é a de handebol. Após terminar com a medalha de bronze nos Jogos Pan-Americanos de Lima, em 2019, a seleção brasileira vai disputar o pré-olímpico mundial da modalidade. A chave dos brasileiros será disputada na Noruega e o Brasil disputa duas vagas com os donos da casa e o Chile. 

Entre as mulheres, Mayra Aguiar é uma atleta que literalmente precisará lutar e ter sorte para ir ao Japão. Medalha de bronze nos dois últimos Jogos Olímpicos, a judoca sofreu uma lesão séria no joelho e tem previsão de retorno para março de 2021. Depois disso, a brasileira terá que se manter entre as primeiras colocadas do ranking mundial de judô para disputar sua quarta edição olímpica da carreira.

Vale dizer que a corrida olímpica do judô, baseada no ranking mundial, está aberta. Portanto, ainda que tenha pontuação mais que suficiente, a vaga não está formalmente confirmada. Isso vale para todos os judocas.

Estão fora

Uma judoca, porém, já está fora. Atual campeã olímpica, Rafaela Silva está fora e não vai defender o título. Depois de ter dado positivo para uma substância proibida, a judoca foi suspensa por 2 anos e, depois de ter seu recurso negado para a redução da pena, não disputará a Olimpíada em 2021.

Rafaela Silva doping - Doping - CAS - Julgamento
Rafaela Silva foi pega no exame antii-doping no Pan de Lima-2019 (Instagram/rafaelasilvaa)

No surfe masculino, Filipe Toledo acabou de fora também. Como na modalidade só podem se classificar dois de cada gênero por país, o brasileiro, apesar de ter sido o quarto do mundo no ano passado, não superou a forte concorrência interna com Medina e Ítalo.

(Divulgação / WSL)

O mesmo aconteceu com o basquete feminino do Brasil. Depois de um ano de 2019 muito bom, com título dos Jogos Pan-Americanos, após 28 anos, e a conquista da vaga no pré-olímpico mundial, a vaga não veio. Jogando na França, o time comandado por José Neto perdeu um jogo chave para Porto Rico e não carimbou o passaporte para o Japão. 

Mais em Olimpíada