Siga o OTD

Ginástica Rítmica

Coreógrafa da Rússia ajuda Brasil em busca da vaga olímpica

Irina Zenovisk, que atua com a seleção daquele país, ajudou na montagem das novas séries que serão usadas no Pré-Olímpico dos EUA

Coreógrafa russa Irina-Zenovisk e a seleção brasileira de ginástica rítmica em preparação para o pré-olímpico
(Divulgação/CBG)

Considerada uma das melhores do mundo, a coreógrafa russa Irina Zenovisk passou uma temporada no Centro Nacional de Treinamento de Ginástica Rítmica auxiliando a seleção brasileira a montar a coreografia que será apresentada no Pré-Olímpico dos Estados Unidos.

A seleção brasileira vai disputar a vaga em Tóquio no conjunto e no individual, este último com Bárbara Domingos e Natalia Gáudio. O Pré-Olímpico de Ginástica Rítmica será em maio do próximo ano.

“A Irina Zenovisk é uma referência em coreografias na Ginástica Rítmica. Além de trabalhar em tempo integral com a equipe da Rússia, atua em outros países de ponta. A importância dela aqui foi imensurável para a Ginástica do Brasil. Além de montar novas coreografias, veio ajustar aquelas que nós optamos por manter a base e a música”, afirmou Camila Ferezin, treinadora da Seleção Brasileira de Conjunto e Coordenadora de Seleções da CBG (Confederação Brasileira de Ginástica).

+ INSCREVA-SE NO NOSSO CANAL NO YOUTUBE

Notas de partida

Mesmo sendo um estágio rápido com a coreógrafa russa, Camila acredita que foi possível agregar muito ao trabalho que vem sendo feito na Seleção. “A montagem das coreografias e os ajustes são rápidos. O que será determinante é o treinamento para fazer com execução perfeita aquilo que foi proposto. Mas uma de suas principais contribuições foi aumentar muito as notas de partida das séries, tanto do conjunto, como do individual, sem deixar de lado o cuidado com o artístico, que também é uma marca dela”, explicou a treinadora da Seleção.

Camila Ferezin também comentou a respeito das mudanças nas séries do Conjunto na próxima temporada. “Para o conjunto de bola, manteremos a Ave Maria, que foi muito elogiada internacionalmente e nos levou a ser segunda reserva da final do Mundial de Baku. Para arcos e maças, vem surpresa muito boa aí. Será um conjunto com a cara do Brasil, mas mantendo a essência da coreografia antiga, em uma música feita exclusivamente para a seleção pelo Dj Vegas”, afirmou.

Réveillon? Onde?

Com apenas cinco meses até a disputa do Pré-Olímpico dos Estados Unidos, o Conjunto do Brasil terá pouco tempo de descanso neste final de ano. “Nós praticamente não iremos parar. Com foco na vaga olímpica, o grupo se uniu e vamos passar o réveillon aqui mesmo em Aracaju”, revelou a treinadora

“Logo depois, já retomamos os treinamentos. A pausa vai ser muito breve, justamente porque o nosso calendário está repleto de eventos e temos muito para evoluir”, acrescentou Camila, adiantando que poderão ocorrer algumas mudanças na equipe, que conquistou uma medalha de ouro e duas de bronze nos Jogos Pan-Americanos de Lima.

+ Seminário de Ginástica Rítmica discute a modalidade no Brasil

Enquanto o Conjunto foca as atenções no Pré-Olímpico, Bárbara Domingos e Natalia Gáudio ainda terão uma outra alternativa para assegurar um lugar nos Jogos de Tóquio. “Para o Individual, há chances de as meninas conquistarem a vaga no somatório das etapas de Copa do Mundo de abril (Pesaro-ITA, Sofia-BUL, Tashkent-UZB e Baku-AZE), mas também tentarão a vaga no Pré-Olímpico”, explicou Camila Ferezin.

Mais em Ginástica Rítmica