Siga o OTD

Vôlei de Praia

Campeões mundiais brigam pelo título sub-21 da temporada de vôlei de praia

Campeões mundiais brigam pelo título sub-21 da temporada de vôlei de praia

A quarta e última etapa do Circuito Banco do Brasil Sub-21 da temporada 2016 começa nesta sexta-feira (30.09) e vai até o próximo domingo (02.10), na praia da Graciosa, em Palmas (TO). A disputa pelo título geral continua em aberto com boa vantagem do Mato Grosso do Sul no feminino, e do Paraná entre os rapazes. Como trunfo na busca pelo troféu os estados contam com campeões mundiais na base.

Na liderança pelo título feminino, o Mato Grosso do Sul tem 560 pontos, seguido pelo Rio de Janeiro, com 500. Campeã mundial Sub-19 este ano, a sul-mato-grossense Victoria, de apenas 17 anos, ajudou o estado natal a chegar à frente para a última parada do circuito e encara a responsabilidade de forma natural.

“Estou muito feliz em estar representando o meu estado e liderando o ranking. Isso me faz querer me preparar cada vez mais para ir com tudo nessa etapa. É uma responsabilidade muito grande representar o Mato Grosso do Sul, por isso preciso ir com mais foco ainda neste último torneio para garantir o título da temporada. Darei o meu máximo e tentarei me divertir em quadra. A experiência que tive no meu primeiro Open, neste último fim de semana, me mostrou que tudo tem seu tempo, e que eu poderei ajudar mais a minha parceira em quadra”, disse a jogadora que hoje treina e mora em Sergipe, estado tricampeão feminino do Circuito.

Além de Victoria, outras três campeãs mundiais na base estarão em busca do ouro em Palmas: Ana Patrícia (MG), Andressa (PB) e Duda (SE). A sergipana Duda, inclusive, já possui um rol de conquistas entre os profissionais, mas confessa que não abandona as disputas entre os jovens talentos.

“Eu gosto de jogar os torneios de base do Circuito Brasileiro. É uma oportunidade de ajudar as meninas que jogam ao meu lado, dar confiança a elas. Eu me sinto mais à vontade, jogo muito o circuito adulto, então quando jogo o Sub-21 eu me divirto muito”, comentou Duda que já tem títulos em etapas do Circuito Brasileiro e Mundial entre as profissionais.

A briga no torneio masculino também está bastante acirrada. Paraná e Paraíba chegam com chances, mas o time da região sul tem vantagem de 60 pontos, e conquistou o ouro nas três etapas já realizadas, todas vencendo o time paraibano. Parceiros nos títulos mundiais Sub-19 em 2014 e Sub-21 em 2016, Arthur Lanci (PR) e George (PB) terão que deixar de lado a cumplicidade e jogar cada um pelo próprio estado.

“Nós vamos para essa etapa focados para levar esta etapa e ganharmos pelo quarto ano consecutivo o título da temporada. Jogar contra o George é um prazer imenso, mas dentro de quadra existe uma rivalidade. Nós sempre treinamos juntos e nos damos muito bem dentro e fora de quadra”, contou o paranaense.

A Paraíba, para conquistar o título, precisa ficar quatro posições a frente do Paraná. George, e o parceiro Renato Andrews, que este ano conquistou o mundial Sub-19, terão a missão de tentar quebrar a hegemonia paranaense.

“Acho que temos que dar o nosso melhor como viemos fazendo nas últimas etapas e estudar mais os erros que cometemos contra o Paraná. Eles têm uma dupla muito forte com ótimo entrosamento. Eu e o Arthur brincamos muito um com o outro com essa rivalidade. Levamos isso na boa e tentamos sempre nos divertir jogando um contra o outro”, explicou George.

Assim como ocorre no circuito Sub-19, o Sub-21 é um campeonato de seleções estaduais, com duplas da mesma federação. Ele mantém o formato das últimas duas temporadas, com cada estado indicando suas delegações nos dois gêneros em busca do título. Além dos atletas, que podem ser alterados a cada etapa, as federações elegem um técnico. Os pontos obtidos vãos para o estado e o campeão geral é determinado ao final das paradas.

Mais em Vôlei de Praia