Siga o OTD

Vôlei de Praia

Após fim da dupla de prata na Rio 2016, Barbara começa nova vida com Fernanda Berti

Após fim da dupla de prata na Rio 2016, Barbara começa nova vida com Fernanda Berti

A medalha de prata na Rio 2016 foi o auge da parceria entre Bárbara e Agatha. Apesar do grande resultado, as duas decidiram acabar com a dupla. Agatha vai jogar com Duda a partir do ano que vem, mas até o fim de 2016 terá como parceira Carol Solberg. Já Bárbara, que foi quem tomou a iniciativa de separar a dupla, começou a trabalhar com Fernanda Berti, com quem fez nesta terça-feira o primeiro treino aberto para a imprensa nesta terça-feira.

“Não dá para agradar todo mundo, mas tentei tomar a decisão da melhor maneira possível. Pareceu repentino, mas foi uma decisão muito profissional e eu tinha que fazer uma escolha, pois a Fernanda tinha recebido também convites e conversado com outras pessoas. O timing é muito importante no vôlei de praia, tentei ser o mais correta possível. O Circuito Brasileiro já começou. Você termina o ciclo olímpico, já tem outros torneios e um novo ciclo. Realmente, é muito pouco tempo. Minha intenção não foi em nenhum momento fazer mal ou prejudicar ninguém. Não falei com ela, mas sei que a Ágatha está com novos projetos, desejo muita sorte à ela. Foi uma decisão profissional e não é por isso que precisamos prejudicar a relação que criamos. Agora vou focar num novo projeto realmente e espero que dê certo também”, explicou Barbara, cujo marido Rico de Freitas, que também era o técnico quando ela jogava com Agatha, será o comandante da nova dupla.

“Em 2008, comecei a trabalhar com a Bárbara de uma forma séria, obviamente, mas muito aventureira. Eu estava investindo muito na minha carreira. Em 2011, quando voltamos de uma experiência na Turquia, chamamos a Ágatha para formar uma dupla. Levei coisas de quando eu era assistente e fomos conseguindo traçar um plano de trabalho. Se me perguntassem em 2011 se em 2016 eu disputaria uma final olímpica, eu diria “menos, menos” (risos). Mas não importa você juntar duas boas jogadoras e não fazer um bom planejamento. No Brasil temos muito talento individual, craques, mas o grande mérito das comissões técnicas, do Bernardinho, exemplo claro disso, é formar grandes equipes. Eu e minha equipe trabalhamos visando sempre isso. Por mais que direcionemos o treino para o jogo, só dá para avaliar com o tempo. Depois disso é que vamos traçar o que faremos”, planeja.

A nova dupla já tem data para estrear. Barbara e Fernanda vão jogar juntas na etapa de Brasília do circuito brasileiro de vôlei de praia, entre 13 e 16 de outubro, em Brasília.

“Estou muito motivada com esse time novo, a parceria nova e toda a equipe. Eu era adversária, sempre tive admiração grande pela Bárbara e por todo esse time, sempre os vi trabalhando de forma diferente e agora faço parte dela. Estou vendo que tem algo a mais. a expectativa é a melhor possível, é um projeto de quatro anos de um sonho que tenho há muito tempo, desde a época da quadra. É lógico que é uma meta lá para a frente. Vamos passo a passo, vamos conseguindo as metas menores, se adaptando uma à outra, mas já está sendo bacana. Devagar, vamos ajustando tudo. É claro que o planejamento e as coisas boas que eles fizeram com Ágatha e Bárbara, vão tentar fazer igual, né. Essa fórmula de passo a passo, degrau a degrau, tanto elas adotaram quanto qualquer equipe deveria adotar. Tem metas longas e metas curtas, você precisa pensar lá na frente, mas vivendo o presente. É passo a passo, é caminhando devagar”, acredita Fernanda Berti.

Mais em Vôlei de Praia