Siga o OTD

Alison Santos 400 m barreiras jogos olímpicos de tóquio

Tóquio 2020

Piu derruba recorde Sul-Americano e vai à final dos 400 m com barreiras

Sem forçar e com sobra, Alison dos Santos passa fácil e vai brigar pelo pódio; Paulo André para na semi dos 100 m

(Wagner Carmo/CBAt)

Piu derruba recorde Sul-Americano e vai à final dos 400 m com barreiras

De Tóquio – Um animado Estádio Olímpico recebeu o segundo dia do atletismo dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. E teve festa brasileira com Alison dos Santos, que avançou para a final dos 400 m com barreira, nem precisou dar tudo de si e bateu, de novo, o recorde sul-americano. Por outro lado, Paulo André ficou longe de uma vaga na final dos 100 m, a mais rápida prova olímpica.

Alison dos Santos vem em franca ascensão e já é cotado para brigar pelo pódio em Tóquio. o barreirista está em sua primeira edição dos Jogos Olímpicos, mas parece um veterano entre os maiores do mundo nos 400 m com barreira.

Por sua vez, Paulo André ficou bem abaixo do esperado. Não por ter parado ainda na semifinal, mas por não ter feito um tempo próximo ao que vinha fazendo.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBETWITTERINSTAGRAM E NO FACEBOOK

PIU

Tranquilo e favorável. Assim Alison dos Santos passou pela semifinal dos 400 m com barreira. Ele cravou 47s31, venceu a sua bateria e nem precisou dar todo o gás. Claramente, ele e Abderrahman Samba, do Qatar, diminuíram o ritmo quando viram que a classificação para a final estava garantida.

E olha que teve recorde sul-americano, de novo. Um mês antes dos Jogos Olímpicos de Tóquio começarem, Piu já tinha estabelecido a nova marca na Diamond League (47s34). Como não foi para o tudo ou nada, é bem provável que esse recorde volte a cair na final.

Alison dos Santos jogos olímpicos tóquio 400 barreiras
Calmo e confiante, Alison dos Santos segue firme em Tóquio (Wagner Carmo)

E falando na final dos 400 m com barreiras, a disputa pelo pódio promete demais. Karsten Warholm, da Noruega, chega à final com o melhor tempo e também sem forçar muito (47s30). O segundo melhor tempo das semis foi de Benjamin Rai, dos Estados Unidos, que fez 46s83.

Alison dos Santos entrou com o terceiro melhor tempo e Kyron McMaster, das Ilhas Virgens Britânicas, foi o quarto melhor tempo (47s50). O qatari Abderrahman Samba foi apenas o quinto melhor tempo: 47s47.

P.A.

Correndo na terceira bateria semifinal dos 100 m, Paulo André ficou muito abaixo dos demais. Para quem está buscando correr abaixo dos 10s, o velocista ficou devendo. Ele correu para 10s31, o oitavo e último colocado de sua bateria.

“Minha prova foi bem estranha. Tomei um susto com o (Bingtlan) Su pulando na minha frente. Foi um tempo bem alto mesmo, eu sei. Estou processando tudo o que aconteceu, mas nossa realidade é o revezamento 4x100m, não podemos fugir disso.”

Paulo Andre 100 m jogos olímpicos de tóquio
Fora da final, Paulo André lamenta (Wagner Carmo)

O chinês Su Bingtian venceu a prova com 9.83, que foi tão forte quanto as duas anteriores. Zharnel Hughes, da Grã-Bretanha, fez 9s98 na segunda semifinal. E na primeira, estadunidense Fred Kerley cravou 9s96.

“Tenho objetivo muito grande nos 100m, sei que o Brasil apostava muito nesses 9s, mas Jogos Olímpicos são isso. Se os 100m não permitem erro, os Jogos Olímpicos muito menos”, completou Paulo André.

Mais em Tóquio 2020