Siga o OTD

Luisa Stefani e Laura Pigossi jogos olímpicos tóquio 2020 tênis feminino duplas

Tóquio 2020

Após vaga de última hora, Stefani e Pigossi estão perto de medalha inédita

Luisa Stefani e Laura Pigossi foram as últimas a classificar, mas aproveitaram a oportunidade e estão perto da inédida medalha do tênis para o Brasil

Gaspar Nóbrega/COB

Após vaga de última hora, Stefani e Pigossi estão perto de medalha inédita

Luisa Stefani é a 23.ª colocada no ranking mundial de duplas e vive a melhor fase da carreira, mas já tinha desistido dos Jogos Olímpicos. Estava em casa na Flórida, nos Estados Unidos, dormindo quando Laura Pigossi, 188.ª do mundo, tentava ligar para ela insistentemente. Queria lhe dar a melhor das notícias! Era o último dia para fechar os participantes da competição em Tóquio e, graças a algumas desistências, as duas tinham acabado de herdar uma vaga para disputar a Olimpíada.

+TUDO SOBRE O TÊNIS NOS JOGOS OLÍMPICOS

“Eu soube antes e fiquei sem chão, mas a Luisa estava dormindo, eu tentando ligar e ela não acordava e eu tentando ligar, mas ela não acordava e eu tinha que jogar semifinal (do ITF de Nur-Sultan). Não sabia que ia dar chance da gente entrar”, se diverte Laura Pigossi. “Para mim, o momento foi incrível. Eu estava em casa, já tinha deixado para lá os Jogos Olímpicos. Queria muito ir, mas era o último dia para ter alguma desistência e a gente estava fora na lista. Foi um sentimento incrível. Uma das primeiras pessoas que eu falei foi a Laura e a gente estava gritando no telefone e o resto é história”, conta Luisa Stefani.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBETWITTERINSTAGRAMTIK TOK E FACEBOOK

Realmente Luisa Stefani e Laura Pigossi fizeram história em Tóquio. Na estreia, derrotaram as canadenses Gabriela Dabrowski e Sharon Fichman, cabeças de chave número 7. Depois, venceram de virada as tchecas Karolina Pliskova e Marketa Vondrousova para avançar às quartas de final. Para se garantirem na semifinal, elas conseguiram outra virada sobre as americanas Jessica Pegula e Bethanie Mattek-Sands e não querem parar por aí.

“Nós entramos na chave no último dia, no último momento, mas eu brinco que as últimas vão ser as primeiras e acreditamos muitíssimo que vamos levar essa medalha para o Brasil. Vamos jogar com alma e coração. Desde o começo a gente vem falando que quer levar essa medalha para o Brasil e não é qualquer medalha! A gente quer a de ouro”, afirma Laura Pigossi.

+RECEBA NOTÍCIAS NO NOSSO CANAL NO TELEGRAM OU PARTICIPE DO NOSSO GRUPO DO WHATSAPP

O caminho para isso passa por derrotas as suíças Belinda Bencic e Viktorija Golubic nesta quinta-feira na semifinal. Se vencerem, disputam a medalha de ouro na sexta contra as vencedoras do duelo entre as tchecas Barbora Krejicikova e Katerina Siniakova, cabeças de chave número 1, e as russas Veronika Kudermetova e Elena Vesnina. Se perderem, vão brigar pelo bronze. Ou seja, elas têm dois jogos para vencer pelo menos um para conquistar a inédita medalha para o Brasil no tênis em Jogos Olímpicos.

Mais em Tóquio 2020