Siga o OTD

Seleção de tênis de mesa Jogos Olímpicos Carol Kumahara

Tóquio 2020

Seleção feminina de tênis de mesa é mais uma a caminho dos Jogos Olímpicos

Bruna Takahashi, Carol Kumahara, Giulia Takahashi, Jessica Yamada e o técnico Hugo Hoyama, embarcaram na domingo rumo a Hamamatsu, no Japão

Carol Kumahara no embarque em Guarulhos (Miriam Jeske/COB)

Seleção feminina de tênis de mesa é mais uma a caminho dos Jogos Olímpicos

Tóquio – A seleção feminina de tênis de mesa embarcou em São Paulo na noite de domingo (11) rumo a Hamamatsu, cidade japonesa escolhida para o período de aclimatação visando os Jogos Olímpicos de Tóquio. Seguiram no voo Bruna Takahashi, Carol Kumahara, Giulia Takahashi e Jessica Yamada, além do técnico Hugo Hoyama. Junto com eles vieram o coordenador de seleções olímpicas e chefe da equipe Lincon Yasuda e o treinador da seleção masculina, Francisco Arado, o Paco.

O time masculino está se preparando na Alemanha, na cidade de Ochsenhausen, onde mora Hugo Calderano. Gustavo Tsuboi, Vitor Ishiy e Eric Jouti completam a delegação, que segue para a mesma Hamamatsu nesta terça-feira (13). Calderano, Tsuboi e Ishiy compõem o time titular, bem como com Bruna, Jessica Yamada e Carol Kumahara. Jouti e Giulia Takahashi são os reservas.

Yamada comentou sobre a particularidade dos Jogos desse ano por conta da pandemia da Covid-19. “Para ser bem sincera, ainda não consegui sentir nada. A gente tem tanto protocolo para fazer, né? Se testasse positivo, não embarcava, fiquei mais preocupada com isso mesmo. Queria testar negativo em todos os PCRs e testes de antígenos que a gente tinha de fazer”, ponderou. Passado isso, porém, certamente o clima vai mudar. “Tenho certeza de que vai começar a dar aquele frio na barriga, aquela ansiedade. Porque é algo que eu tenho esperado muito na minha vida. Estou muito animada, só estava esperando que tudo desse certo para o nosso embarque tranquilo”, finalizou.

Verdão no Japão

Atletas e comissão ganharam alguns dias de folga antes do embarque, após os treinamentos realizados no CT Paralímpico serem encerrados, na quarta-feira (7). Tempo usado, por exemplo, para fazer as malas. “Hoje, para preparar a mala, é muito diferente de quando era atleta. Tinha de levar raquetes, borrachas, tênis de jogo. Mas agora são menos coisas. Uma coisa que não falta na minha mala, com certeza, é a camisa do Palmeiras. De resto, muita confiança na cabeça para que as atletas possam fazer o seu melhor. Esse tempo que a gente vai ficar lá vai ser muito importante”, disse Hugo Hoyama.

Seleção de tênis de mesa Jogos Olímpicos
Yasuda, Kumahara, Yamada, Giulia e Brunza Takahashi, Hoyama e Paco, pela ordem (divulgação/CBTM)

+ SIGA O OTD NO YOUTUBETWITTERINSTAGRAM E NO FACEBOOK

O técnico também fez questão de ressaltar o valor dos últimos momentos com a família. “Vamos ficar três semanas longe. Aproveitei o máximo possível com minha filha, minha esposa e meus pais, para chegar lá com a cabeça bem tranquila. Isso ajuda também, o resultado aparece quando você está bem de cabeça, de saúde”, completou o técnico antes de embarcar para Hamamatsu. A cidade, vale dizer, é conhecida no Japão por abrigar grande quantidade de moradores nascidos no Brasil e, por isso, também é usada pelo judô como sede para aclimatação aos Jogos Olímpicos.

Mais em Tóquio 2020