Siga o OTD

thiagus petrus

Tóquio 2020

Petrus: “É mais difícil passar para o mata-mata do que ganhar uma medalha”

Thiagus Petrus acredita que é mais difícil passar para o mata-mata do torneio de handebol masculino do que ganhar uma medalha

Petrus: “É mais difícil passar para o mata-mata do que ganhar uma medalha”

Em entrevista ao blog 7 metros, o capitão da seleção brasileira de handebol masculino, Thiagus Petrus, falou sobre as expectativas para os Tóquio 2020 e que espera surpreender os adversários.

O passaporte para o Japão veio no Pré-Olímpico em Montenegro depois da Seleção Brasileira de Handebol Masculino vencer o Chile por 26 a 24 em um jogo dramático e ótima atuação do goleiro Ferrugem. Felicidade e alívio definiram a sensação para Petrus depois da vitória pois era a confirmação do time em mais uma Olimpíada.

Participar de uma Olimpíada é importante, não só a nivel individual e para a modalidade, mas também para o Comitê Olímpico. Isso é mais importante do que só participar. Sensação de dever cumprido após a classificação.

+ Com show de Ferrugem, Brasil vira sobre o Chile e se classifica para a Olimpíada

O chaveamento

O sorteio das chaves definiu Argentina, Espanha, Alemanha, França e Noruega como oponentes do Brasil. Os jogos contra as seleções européias nunca são fáceis e para isso o Brasil terá que fazer bons jogos tanto defensivamente, quanto ofensivamente.

Teremos que fazer coisas diferentes do que temos feito ultimamente para tentar surpreender os adversários. Vamos ter que correr mais riscos do que o normal, pois nao temos nada a perder. O que sabemos é que para ter chance de classificação, temos que ganhar pelo menos dois jogos dos cinco. Serão jogos duros e o grupo dará o máximo para que isso aconteça. Hoje é mais difícil classificar para o mata-a-mata do que posteriormente ganhar uma medalha.

Seleção Brasileira de Handebol Masculino depois de vitória no Pré-Olímpico

Frio na barriga

Recentemente, Petrus foi campeão do campeonato mais difícil de clubes, a Champions League, defendendo as cores da forte equipe do Barcelona. Além das grandes experiênciaa que ele carrega no currículo de atleta, nos afirma que jogar pela seleçao brasileira de handebol masculino e também pelo clube sempre dá frio na barriga.

O dia que eu perder esse frio na barriga vai ser o dia que eu terei que me aposentar e parar de jogar. Morar fora do país e poder representar as cores brasileiras é mais excitante e gera mais esse sentimento. Uma Olimpíada, que é o maior campeonato a nível esportivo do mundo, faz com que esse sentimento seja maior.

O desejo da medalha Olímpica

A dificuldade dos Jogos Olímpicos e ter que esperar de quatro em quatro anos para poder tentar novamente faz com que a medalha seja o desejo de muitos atletas. Outro fator muito importante é que essa medalha representa a igualdade entre os esportes, pois todas são iguais, independente da modalidade.

Sem dúvida é a medalha que mais quero, afirmou o atleta.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK


Mais em Tóquio 2020