Siga o OTD

Ryan Kainalo - Hang Loose Surf Attack

Surfe

Aos 14 anos, Kainalo quer sétimo título do Hang Loose Surf Attack

Jovem promessa chega como grandes destaque do torneio que define os campeões paulistas, um dos mais tradicionais do país. Vai de segunda a quarta, em Ubatuba, litoral norte de São Paulo

Ryan Kainalo tem apenas 14 anos (Munir El Hage)

Aos 14 anos, Kainalo quer sétimo título do Hang Loose Surf Attack

É incrível o histórico de títulos de Ryan Kainalo no Hang Loose Surf Attack, tido como o mais tradicional campeonato de base do país e que define os campeões paulista com até 18 anos. Com apenas 14 anos, o surfista de Ubatuba já foi campeão seis vezes, um feito nunca visto nos 32 anos do evento.

Nos próximos dias 16 a 18, na Praia de Itamambuca, em Ubatuba, ele chega como o grande destaque, novamente, pensando em aumentar a sua coleção de títulos.

+Veja todas as notícias sobre surfe

Ryan Kainalo vai competir no Hang Loose Surf Attack “em casa”, onde treina diariamente, de olho em possíveis três novas conquistas: o bi na iniciante (sub-14) e também na mirim (sub-16), e ainda júnior (sub-18). No surf, os atletas podem competir nas categorias acima da idade.

Quintal de casa

Em sua trajetória na competição, o ubatubense foi acumulando títulos por todas as categorias que passou. Foi bicampeão petit (sub-10), depois comemorou duas vezes na estreantes (sub-12), foi campeão em sua categoria atual, a iniciante, e já faturou a mirim. “A expectativa está boa, porque o campeonato é no meu quintal de casa, me sinto preparado para qualquer condição de mar e estou com bastante vontade de competir.”

Assim, Ryan Kainalo surge como a grande promessa para o futuro, como ocorreu com ícones como Adriano de Souza, Gabriel Medina e Filipe Toledo, que também competiram e foram campeões nesse mesmo evento.

+ Ubatuba recebe este mês a 2ª etapa do circuito brasileiro júnior

“O Hang Loose Surf Attack é muito importante para qualquer atleta. Estou competindo e ganhando o mesmo campeonato que grandes nomes que hoje estão no CT e são ídolos, como Medina, Adriano, Filipe, entre outros. Então legal saber que estou fazendo o mesmo caminho”, completou.

Quer mais

Apesar de já ter erguido o troféu seis vezes, Ryan Kainalo fala que não falta motivação. “A vontade é a mesma, sempre querendo mais”, ressalta o surfista. Ele já se aventura em campeonatos profissionais, inclusive do Qualifying Series (QS) e quer seguir carreira. “Os planos são de seguir fazendo bons resultados no pro júnior e depois como profissional”.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM E NO FACEBOOK 

Além da júnior, mirim, iniciante, estreante e petit, o Hang Loose Surf Attack terá a disputa feminina (sub-16). É a mais recente categoria incluída para fomentar assim o crescimento das meninas na modalidade. Outra atração é o título por cidades, garantindo o espírito de equipe entre os atletas.

Nela, o grande nome é Sophia Medina, primeira campeã do Hang Loose Surf Attack, em 2018. A irmã do bicampeão mundial Gabriel Medina chega embalada pela primeira final na categoria profissional no CBSurf Pro Tour, também em Ubatuba. A principal rival é a campeã do ano passado, sua xará e companheira de treinos na Praia de Maresias, Sophia Gonçalves.

Mais em Surfe