Siga o OTD

Surfe

World Surf League adia eventos marcados até o final de maio

Graças ao coronavírus, Liga Mundial decidiu alterar os eventos de todas as divisões do Circuito Mundial; decisão inclui as duas próximas etapas da Austrália

Gabriel Medina surfando no Taiti (Foto: Matt Dunbar/WSL via Getty Images)

Devido à evolução da pandemia do coronavírus (COVID-19), a World Surf League (WSL) decidiu adiar ou cancelar todos os eventos, em todas as divisões do Circuito Mundial, que estão marcados até o final do mês de maio. Isso inclui o adiamento das outras duas etapas do Championship Tour na Austrália, em Bells Beach e em Margaret River, além do WSL Big Wave Awards.

O Quiksilver Pro G-Land, programado para ser realizado em junho em uma parte remota da Indonésia, será cancelado ou transferido para uma área com mais infraestrutura. Já o Oi Rio Pro, marcado para os dias 18 a 27 de junho em Saquarema, está confirmado.

Embora ainda não estejam disponíveis todos os detalhes sobre o impacto dessas mudanças no Championship Tour 2020, a WSL trabalha para conseguir a melhor solução para os atletas e os fãs do nosso esporte.

Em um vídeo distribuído em todos os canais da WSL nesta segunda-feira (16), o CEO da WSL, Erik Logan, disse aos fãs e colaboradores da WSL: “Temos toda a intenção de começar a temporada 2020 do Championship Tour e dar sequência a todos os circuitos, o mais rápido possível. Já estamos trabalhando no planejamento de cenários para as possibilidades disponíveis na temporada de 2020”.

“Sou fã, como você, então também quero ver os melhores surfistas do mundo competindo nas melhores ondas do mundo”, continuou Logan. “No entanto, a principal preocupação da WSL no momento, é a saúde e a segurança dos nossos atletas, fãs e staff pelo mundo”.

+INSCREVA-SE EM NOSSO CANAL NO YOUTUBE

Baseado nas informações que a WSL está recebendo de especialistas e agências globais sobre a pandemia, junho parece ser o momento mais provável para iniciar a temporada de 2020 com segurança.

“Somos realmente um esporte global. O deslocamento para os eventos entre tantos países, já é desafiador nas melhores condições. Nas circunstâncias atuais, isso simplesmente não está sendo possível e não será por algum tempo. Como uma liga que atrai grandes públicos, também estamos extremamente conscientes da nossa responsabilidade social, de não permitir uma aceleração na propagação do vírus”.

Mais em Surfe