Siga o OTD

Skate

Pâmela Rosa celebra superação e dedica título mundial aos amigos da infância

Bicampeã mundial, Pâmela Rosa explica ‘grito de alívio’ na final da Street League e relembra início no skate, exaltando suas raízes

Pâmela Rosa é bicampeã mundial de skate street
(Instagram/pamelarosaskt)

No último fim de semana, Pâmela Rosa fez história e conquistou o bicampeonato mundial de skate street durante o Super Crown, última etapa da Street League de 2021. A temporada, no entanto, não foi nada fácil, começando pelos Jogos Olímpicos de Tóquio. Ela competiu com o tornozelo lesionado e acabou ficando de fora da final, uma frustração muito grande para quem sonhava com a medalha olímpica.

Depois da Olimpíada, Pâmela esteve nas duas etapas da Street League, ficando em quarto lugar em ambas as oportunidades, vencidas pela compatriota Rayssa Leal. Assim, precisou disputar o qualificatório do Super Crown para chegar à final e já começou dando show, terminando em primeiro. Mas o brilho final veio mesmo nas duas últimas manobras da decisão, quando ela tirou nada menos que 7.7 e 8.1.

Ao saber que o título mundial era seu pelo segundo ano consecutivo, Pâmela Rosa soltou um grito e não escondeu a emoção. “Foi um grito de alivio. Foi um ano difícil para mim, antes de Tóquio acabei me machucando e a medalha olímpica era meu maior sonho. Depois dos Jogos, fiquei em quarto lugar nas etapas, sentindo dores… Então foi um grito de eu consegui, eu passei por todos os obstáculos”, contou a campeã em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (17).

As raízes

Mesmo no topo do mundo, Pâmela jamais esquece as raízes. Ela começou a andar de skate aos oito anos e logo se apaixonou pelo esporte. Arriscou as primeiras manobras no bairro em que nasceu, em São José dos Campos, sendo a única menina em um grupo de 27 meninos. Esses meninos são suas grandes referências e ela fez questão de dedicar o título mundial a eles.

“Faz quase 14 anos que eu ando de skate e esse troféu representa todos os meninos que andavam de skate comigo. Esse era o nosso sonho, estar nas grandes competições… Então eu levo todos eles comigo. Foram momentos muitos marcantes na minha vida, os perrengues, e com certeza se eu pudesse eu voltaria no tempo para aproveitar muito mais. Esse título não é só meu, mas sim deles. Eles que fizeram isso acontecer”.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBETWITTERINSTAGRAMTIK TOK E FACEBOOK

E para fechar com chave de ouro, Pâmela Rosa ainda vai além dos títulos. Ela já havia anunciado a construção de uma pista de skate em Jardim Cerejeiras, bairro da cidade de São José dos Campos, no interior de São Paulo, onde ela nasceu e cresceu, e falou mais sobre a concretização desse sonho.

“É a realização de um sonho para nós. Eu sempre falo que o bairro me fez ser a Pâmela Rosa skatista. Então nada mais justo poder entegrar ao bairro tudo aquilo que ele me proporcionou e para os meus amigos também. É um presente. Não vejo a hora de poder falar que agora a gente tem uma pista muito boa para poder treinar e se divertir ainda mais”, concluiu.

Mais em Skate

viagra