Siga o OTD

Time feminino Juventus

Futebol

Atletas denunciam descaso do Juventus com time feminino; Clube responde

Após campanha histórica em 2020, diretoria não informa planejamento para o futebol feminino, e atletas e comissão técnica deixam o clube

(Ale Vianna/C.A.Juventus)

Atletas denunciam descaso do Juventus com time feminino; Clube responde

Em 2020, o time feminino do Juventus da Mooca fez história. Estreando no Campeonato Brasileiro Feminino A2, a equipe chegou às quartas de final e quase conseguiu o tão sonhado e inédito acesso à primeira divisão do torneio. A temporada de 2021 tinha tudo para dar continuidade ao já conquistado na campanha anterior, mas o ano começou com a pior situação possível: o descaso com o time feminino. 

O blog OTD Delas apurou que, desde o início deste ano, a diretoria não informou nenhum tipo de planejamento para o futuro da equipe, sequer para esta temporada. Com isso, as jogadoras precisaram tirar dinheiro do próprio bolso para seguir treinando, enquanto esperavam uma resposta do clube, o que até agora não aconteceu. 

+CONHEÇA O BLOG OTD DELAS

E com o descaso com a modalidade, a comissão técnica acabou optando por deixar o clube, assim como algumas jogadoras, desmanchando o time. Outras atletas, no entanto, seguem no clube, esperando uma resposta do Juventus, que, em tese, disputará o Campeonato Paulista de 2021.

“No começo do ano haveria uma reunião para saber o que ia acontecer com o feminino, quais seriam os planos. Mas o plano era que o feminino talvez acabasse para dar lugar a uma escolinha. Só que isso não foi confirmado, e o diretor do departamento e o próprio clube nunca chegaram para conversar com as atletas. Então todo mundo foi saindo aos poucos… O clube nunca deu muito valor para a modalidade e isso foi a prova”, explicou ao Olimpíada Todo Dia uma ex-funcionária do Juventus, que pediu para não ser identificada. 

Time feminino Juventus
Time feminino do Juventus ficou a um jogo do acesso no Brasileiro (Ale Vianna/C.A.Juventus)

Vale destacar que as atletas do time feminino do Juventus sequer recebiam salário. Apenas as titulares ganhavam uma espécie de “ajuda de custo”, que ia de R$250 a R$500 para as jogadoras que estavam há mais tempo no clube. Além da questão da suposta escolinha, segundo as atletas, a diretoria teria decidido, ainda, escolher entre duas opções: manter a equipe feminina, mas cortando essa “ajuda de custo”, ou encerrar o time. 

“Descaso pela modalidade feminina! O masculino sempre teve tudo, vinha em primeiro lugar. Nós não tínhamos alojamento, raramente usávamos a academia e raramente treinávamos na Javari [Estádio Conde Rodolfo Crespi, casa do Juventus]. E não vou nem falar do salário do masculino…  Não podemos ficar caladas! Estamos vendo o fim da modalidade”, lamentou a goleira Danielle Lameu ao blog.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM E NO FACEBOOK

Nas redes sociais, as atletas também se manifestaram contra a atitude do clube, como a zagueira Emilly Souza, que deixou o time feminino do Juventus.

“Nunca pedimos ou exigimos nada. Só queríamos que alguém tivesse a humildade de ir conversar com a gente sobre o que estava acontecendo e o porquê da nossa modalidade estar se desfazendo da maneira que desfez. Ninguém da diretoria do clube sequer se pronunciou sobre o que aconteceria com o futebol feminino esse ano. E assim foi, saímos de uma grande campanha no Brasileiro A2, para o fim do futebol feminino esse ano”. 

Posicionamento do Juventus

Em resposta às manifestações das atletas, o clube se manifestou sobre a atual situação do time feminino e disse ao blog que a continuidade da modalidade depende de patrocínios.

“Desde o ano passado, com a pandemia, a gente depende dos associados do clube para poder manter o futebol feminino e a base também. E agora, sem patrocínio, a gente não vai conseguir disputar o Campeonato Paulista e a Copa Paulista Feminina de 2021. Estamos atrás de patrocinadores, mas estamos com uma dificuldade muito grande”, explicou Amaury Russo, assessor especial do presidente e responsável pelo departamento de futebol feminino.

“Temos que definir isso em março para ver se faremos a inscrição na Federação Paulista de Futebol, se conseguirmos até lá um patrocínio para tocar o ano de 2021. Estamos correndo, não fechamos nada ainda”, completou.

Mais em Futebol