Siga o OTD

Eleições: cinco atletas olímpicos que entraram para a política

Atletismo

Eleições: cinco atletas olímpicos que entraram para a política

Em clima de eleições municipais, o OTD Cultural lembra cinco atletas olímpicos que entraram para vida pública

pandemia do novo coronavírus mudou drasticamente as nossas rotinas. Para evitar a propagação do vírus e ajudar no isolamento social, criamos, em março, o OTD Cultural, com indicações de livros, documentários e filmes esportivos para você aproveitar nessa quarentena.

O quadro virou semanal e agora está em vídeo. Na semana passada, recebemos pela 1ª vez, recebemos um convidado que falou sobre seu livro e ainda deu mais dicas de obras do esporte que inspiram.

Hoje, a um dia do domingo (15) das eleições municipais de 2020, listamos aqui cinco atletas olímpicos que entraram para a política. A ideia é que você leia esses nomes para o almoço de família, em uma tentativa de amenizar o clima ruim que ficará após seu tio de direita discutir com sua prima de esquerda durante a apuração dos votos.

Clique no vídeo acima e assista em primeira mão o programa!

Os cinco atletas olímpicos que entraram para a política são:

  • Romário
  • Pál Schmitt
  • Sebastian Coe
  • Chantal Peticlerc

ROMÁRIO

Não é novidade para ninguém que Romário entrou para o mundo da política. O Baixinho encerrou a carreira no futebol em 2008 e em 2009 foi eleito como o sexto deputado federal mais votado do Rio. Em 2014, ele foi eleito senador com quase 4 milhões e 700 mil votos e tem mandato até 2022.

Mas se a lista é de atletas olímpicos que entraram para a política, o que ele está fazendo aqui?

Os mais novos provavelmente não se lembram, mas Romário participou dos Jogos Olímpicos de Seul-1988, junto com outros grandes nomes do futebol mundial que viriam se tornar famosos anos depois. Um parceiro de Romário no ataque, inclusive, também viria a se tornar deputado federal. Confira no vídeo quem foi!

Cinco atletas olímpicos que entraram para a política: Romário (divulgação 25.senado.leg.br)

PÁL SCHMITT

Provavelmente o atleta olímpico que entrou para a política e obteve mais sucesso em termos de cargo alcançado.

Pál Schmitt é um político húngaro que que começou a carreira como esgrimista dos bons. Schimitt foi medalhista de ouro na espada por equipes masculina Jogos Olímpicos de 1968 na Cidade do México e 1972 em Munique.

+ SIGA O OTD NO FACEBOOKINSTAGRAMTWITTER E YOUTUBE

Depois de se aposentar, Schmitt foi diplomata de 1993 a 1997 na Espanha e de 1999 a 2002 na Suíça. Em 2009, ele foi escolhido para integrar o Parlamento Europeu e um ano depois foi eleito para ser o Presidente da Hungria.

Mas…

A imprensa húngara descobriu um escândalo que viria a fazer com que Schmitt renunciasse. Veja no vídeo o que aconteceu e pense com qual país da América do Sul esse caso é bastante semelhante.

Cinco atletas olímpicos que entraram para a política: Pál Schmitt (reprodução European Olympic Comitee)

MARIA ISABEL URRUTIA

Essa colombiana é muito importante para a história do esporte olímpico de seu país.

Maria Isabel Urrutia participou dos Jogos Olímpicos de Seul-1988 no arremesso de peso e lançamento de disco. Mas não foi por essas modalidades que ela se consagrou no esporte colombiano.

Nos Jogos Olímpicos de Sydney-2000, no levantamento de peso, que tinha acabado de incluir a prova feminina em seu programa olímpico, Maria Isabel Urrutia conquistou a primeira medalha de ouro da história da Colômbia em 15 participações olímpicas até então.

Mais do que isso, ela foi a única atleta da América do Sul a levar para casa uma medalha de ouro dentre todos os atletas, homens e mulheres (Vale lembrar que a Olimpíada de Sydney-2000 não foi tão boa para o Brasil).

No OTD Cultural de hoje, aproveitamos o clia de Eleições Municipais para listar cinco atletas olímpicos que entraram para a política
Eleições municipais: Cinco atletas olímpicos que entraram para a política: Maria Isabel Urrutia (divulgação gov.co)

O feito fez de Maria Isabel uma celebridade na Colômbia. A medalha de ouro da Colômbia foi a primeira de ouro em até então 15 participações olímpicas do país.

Após se aposentar, a medalhista olímpica se candidatou a câmara dos deputados da Colômbia e saiu das eleições com grande votação. Defendeu a classe de esportistas no país e também foi atuante na luta contra o preconceito racial. Em 2006, ela foi reeleita.

No OTD Cultural de hoje, aproveitamos o clia de Eleições Municipais para listar cinco atletas olímpicos que entraram para a política
Eleições municipais: Cinco atletas olímpicos que entraram para a política: Maria Isabel Urrutia (divulgação gov.co)

SEBASTIAN COE

Britânico bicampeão olímpico e mundial muito conhecido pelo brasileiro Joaquim Cruz.

Sebastian Coe era especialista na prova de meio fundo, mais especificamente nos 800 m e 1500 m.

Nos 1500 m, foi campeão em Moscou-1980 e Los Angeles-1984. Mas, nos 800 m de 1984, o inglês que até então detentor do recorde mundial, foi superado por Joaquim Cruz. Mesmo perdendo, Sebastian Coe sempre foi um grande atleta, reconhecendo a derrota e exaltando o talento de Joaquim Cruz.

Depois da sua aposentadoria do atletismo, ingressou na política profissional, no Partido Conservador, e foi membro do Parlamento do Reino Unido de 1992 até 1997, tornando-se membro vitalício em 2000. Foi o Presidente do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e atualmente preside a World Athletics.

No OTD Cultural de hoje, aproveitamos o clia de Eleições Municipais para listar cinco atletas olímpicos que entraram para a política
Eleições municipais: Cinco atletas olímpicos que entraram para a política: Sebastian Coe (arquivo)

CHANTAL PETICLERC

Essa canadense é uma multi-campeã paralímpica que possui mais medalhas nos Jogos que todos os anteriores somados.

São, 21 medalhas, sendo 14 delas de ouro, entre Barcelona-1992 e Pequim-2008. Chantal é considerada uma das maiores atletas em cadeiras de rodas da história.

Quando canadense tinha 13 anos de idade, uma porta de um celeiro de uma fazenda de uma amiga caiu em cima dela, atingindo a vértebra e fazendo com que ela perdesse o movimento das duas pernas.

Aos 18 anos, Peticlerc entrou para o esporte em cadeira de rodas, mais especificamente no atletismo e aí o resto é história.

Em 2016, ela foi nomeada Senadora pelo Primeiro Ministro Canadense Justin Trudeau e ela luta muito pela saúde e é claro pelos direitos das pessoas com deficiência.

Mais em Atletismo