Siga o OTD

Os Olímpicos

Noruega vence revezamentos e coroa Johaug e Klaebo

Noruega vence revezamentos e coroa Johaug e Klaebo

Não foi surpresa pra ninguém as vitórias da Noruega nos dois revezamentos nesta quinta e sexta-feira em Oberstdorf, no Mundial de Esqui Nórdico.

Na quinta, a equipe feminina fez o necessário para vencer o 4x5km. Therese Johaug foi a 3ª da equipe a competir e fez a melhor parcial do estilo livre com 12:16.1. No revezamento, as duas primeiras competem no clássico e as duas últimas no livre. Ela recebeu com 2.6 de vantagem sobre a equipe russa e entregou para Helene Marie Fossesholm com 19.8 de vantagem. Ela segurou e a Noruega venceu com 53:43.2, seguida da Rússia com 54:09.8 e da Finlândia com 54:29.4. Mais uma vez as americanas bateram na trave, com o 4º lugar, a apenas 0,8 do pódio. Elas também ficaram em 4º nos Mundiais de 2013, 2015 e 2017, e em 5º no de 2019 e nos Jogos de 2018. Com o ouro, Johaug chegou a 13 títulos mundiais.

Já na sexta-feira, no 4x10km masculino, a Rússia tentou abrir no começo, com Alexey Chevortkin. No estilo clássico, ele entregou com 45s de vantagem, mas Ivan Yakimushkin não conseguiu manter e caiu para 6º. O norueguês Emil Iversen voou para recuperar a diferença e entregar na frente, ao lado da Finlândia. Ele fez a melhor parcial de toda a prova, com 26:58.7, mesmo competindo no estilo clássico. Hans Christer Holund pegou na sequência e seguiu abrindo vantagem pra Noruega, com 25s de diferença, entregando para Johannes Hoesflot Klaebo. Enquanto isso, quem entrava pela Rússia era Alexander Bolshunov, que tirou 35s de desvantagem e chegou no Klaebo. Mas essa busca custou caro pro russo. Na última subida antes da chegada, Klaebo foi espetacular e deixou Bolshunov pra trás e dando o ouro pra Noruega com 1:52:39.0, 12s a frente do time russo. A França surpreendeu levando o bronze a 1:12.6 dos noruegueses. O Brasil competiu na prova, mas na segunda perna, com Steve Hiestand, foi alcançado pelos líderes.

O austríaco Johannes Lamparter surpreendeu os favoritos ao vencer a prova de large hill/10km do combinado nórdico. Ele foi o melhor nos saltos com 138,0m e 153,2 pontos, largando com 22s de vantagem sobre o japonês Akito Watabe e 37s sobre o norueguês jarl Magnus Riiber. Lamparter manteve a sua ótima vantagem e venceu seu 1º ouro da carreira com 23:11.1. Riiber foi prata a 37.1 do austríaco e Watabe completou o pódio a 45.8.

Stefan Kraft vence Large Hill

Nos saltos, a vitória do Large Hill masculino ficou com o austríaco Stefan Kraft, faturando sua 11ª medalha em Mundiais. Na 1ª rodada da final, Kraft conseguiu a melhor marca com 137,8 pontos (132,5m), seguido do norueguês Robert Johansson com 132,1 e do austríaco Daniel Huber com 131,7. Na 2ª rodada, o alemão Karl Geiger assumiu a liderança com 267,4. Huber foi mal e despencou, terminando a final em 8º lugar. Johansson fez 135,5m e passou Geiger, com 272,1. Kraft fechou a prova com 138,7 pontos, somando 276,5 para levar seu 3º título mundial, o 2º no Large Hill.

Mais em Os Olímpicos