Siga o OTD

Os Olímpicos

Noruega segue na sua jornada de vitórias com mais dois ouros no Mundial

Noruega segue na sua jornada de vitórias com mais dois ouros no Mundial

Mais um dia brilhante para o Noruega no Mundial de Esqui Nórdico, em Oberstdorf, na Alemanha.

Na primeira final do dia, os 15km estilo livre masculino, o país nórdico fechou o pódio com grandes performances. 10º a largar, o norueguês Harald Oestberg Amundsen estava muito rápido e vinha muito bem, mas faltando 500m pra chegada, ele perdeu o equilíbrio numa curva e caiu. Ele se levantou e completou em 34:24.3. Amundsen ficou na frente por um bom tempo e vários favoritos não conseguiam melhoram a marca. O norueguês multicampeão Martin Johnsrud Sundby foi 20.3 pior que seu compatriota e assumiu o 2º lugar. O campeão do skiathlon, o russo Alexander Bolshunov, também não conseguiu melhorar a marca de Amundsen e entrou na 2ª posição com 34:32.4. Sjur Roethe colocava mais uma bandeira da Noruega entre os líderes, em 3º, com 34:44.0, mas o russo Artem Maltsev roubou seu lugar com 34:39.4.

Enquanto isso, os outros dois noruegueses da prova vinham voando nas parciais intermediárias e não decepcionaram. Simen Hegstad Krüger fez 34:08.9 para se tornar o novo líder, baixando em 15.4 o tempo do líder. Alguns segundos depois, Hans Christer Holund cruzou a linha de chegada com 33:48.7 assumindo o primeiro lugar para faturar seu 2º título mundial na carreira e completar o pódio todo da Noruega. O país conquistou 9 das 12 medalhas possíveis no cross-country masculino e fechou dois pódios em quatro provas.

Maren Lundby vence prova de saltos Large Hill

A outra final do dia foi uma prova inédita em Mundiais. Pela primeira vez, as mulheres disputaram nos saltos uma prova na pista maior. E foi vez da campeã olímpica de 2018, a norueguesa Maren Lundby, brilhar. Na primeira rodada, Lundby fez o salto mais longo, com 128,0m e ficou em 1º lugar com 139,8 pontos, contra 136,2 da eslovena Nika Kriznar e 135,2 da austríaca Marita Kramer. Na rodada final, as favoritas foram bem longe, mesmo partindo 3 portas abaixo do restante, o que dá pontos extras. A japonesa Sara Takanashi fez 134,0m e foi pra liderança com 287,9. Kramer mais uma vez decepcionou, assim como na pista menor na semana passada, e ficou atrás da japonesa com 281,9. Kriznar saltou 129,0m e assumiu o 2º lugar com 287,1, restando apenas Lundby. A norueguesa fechou a prova com 130,5m somando 296,6 pontos para levar seu 2º título mundial individual, sua 4ª medalha neste Mundial e 8ª na carreira.

Com mais duas vitórias, a Noruega chega a 9 ouros neste Mundial em 16 provas disputadas. Sete dessas foram em provas olímpicas.

Mais em Os Olímpicos