Siga o OTD

David Moura, do judô

Judô

David Moura perde de chance de crescer no ranking olímpico em Antalya

Eliminado na primeira luta, David Moura, que briga por uma vaga em Tóquio com Rafael Silva, perdeu a oportunidade de somar pontos no ranking olímpico

(c) Mayorova Marina

David Moura perde de chance de crescer no ranking olímpico em Antalya

Décimo colocado do ranking olímpico dos peso pesados do judô, David Moura trava uma acirrada disputa com Rafael Silva, que está na nona posição e ganhou a medalha de prata semana passada em Tbilisi, para representar o Brasil nos Jogos Olímpicos. Mas o judoca de Cuiabá perdeu uma grande oportunidade de somar importantes com o objetivo de ir a Tóquio ao ser eliminado na primeira luta do Grand Slam de Antalya, competição que seu rival pela vaga não pôde participar por ter tido contato com Eduardo Yudi, atleta brasileiro que testou positivo para covid-19.

Por conta de sua boa posição no ranking, David Moura estreou nas oitavas de final e enfrentou Alisher Yusopov, do Uzbequistão, que havia vencido a estreia por ippon contra o turco Cemal Erdogan. No total, a luta durou apenas 2min37. Logo com 34 segundos, o lutador da ex-república soviética conseguiu um wazaari contra o brasileiro.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK

David Moura tentou reagir, mas tinha dificuldades de encaixar golpes e acabou levando um shido por falta de combatividade. Faltando 1min23 para o fim do tempo regulamentar, Alisher Yusopov encaixou outro wazaari no brasileiro, que junto com a outra pontuação, se transformou em ippon e encerrou a luta.

Com a eliminação de David Moura, terminou a participação brasileira no Grand Slam de Antalya, que teve como melhor resultado o sétimo lugar de Eric Takabatake. Apenas quatro judocas brasileiros participaram da competição porque 15 foram impedidos de lutar.

Os problemas brasileiros começaram no Grand Slam de Tbilisi, onde Eduardo Katsuhiro testou positivo e não pôde competir, assim como Eduardo Yudi, seu companheiro de quarto, que testou negativo, mas foi afastado da competição por precaução. Na chegada à Turquia, quem teve em seu exame detectado a presença do vírus foi Yudi e, seguindo o protocolo das autoridades locais, todos os outros 14 judocas da seleção brasileira, que estam na Geórgia com ele, mesmo tendo dado negativo no exame, foram isolados.

Com isso, o Brasil ficou sem Gabriela Chibana (48kg), Larissa Pimenta (52kg), Ketelyn Nascimento (57kg), Jessica Pereira (57kg), Ketleyn Quadros (63kg), Aléxia Castilhos (63kg), Maria Portela (70kg), Ellen Santana (70kg), Maria Suelen Altheman (+78kg) e Beatriz Souza (+78kg); Eduardo Yudy (81kg), Rafael Macedo (90kg), Leonardo Gonçalves (100kg), Rafael Buzacarini (100kg) e Rafael Silva (+100kg) no Grand Slam de Antalya.

Mais em Judô