Siga o OTD

Canoagem Velocidade

Isaquias Queiroz é campeão mundial do C1 1000m

Isaquias Queiroz deixou bicampeão olímpico para trás e venceu com muita autoridade a final do C1 1000m em Szeged

O brasileiro Isaquias Queiroz sagrou-se campeão da C1 1000m no mundial de canoagem de velocidade neste domingo (25), em Szeged, Hungria. Isaquias venceu com um sprint espetacular nos últimos metros da prova e foi o único competidor que completou o percurso abaixo dos quatro minutos. Cravou 3min59s23.

Os maiores rivais de Isaquias na prova não ficaram nem entre os três primeiros. O atual bicampeão olímpico Sebastian Brendel, da Alemanha, ficou em quarto e o tcheco Martin Fuksa, vice-campeão mundial em 2014 e 2015, foi o quinto. A prata ficou com o polonês Tomasz Kaczor e o bronze com o francês Adrien Bart.

A final foi apertada até os últimos 250 metros, quando Isaquias Queiroz disparou e chegou a abrir mais de um barco de frente. Deu até para comemorar junto com as últimas remadas (confira acima os melhores momentos).

No início o chinês Zheng Pengfei saltou na frente e chegou a colocar quase um barco de vantagem, mas logo cansou e o pelotão, comandado por Brendel, alcançou o líder. Na metade dos mil metros o alemão passou em primeiro, seguido por Fuksa, Kaczor e Isaquias. Dali em diante o brasileiro apertou o ritmo, assumiu a liderança e foi abrindo frente. Ninguém conseguiu acompanhar.

Com isso, Isaquias Queiroz sai do Mundial de Canoagem e Paracanoagem de Szeged com duas medalhas, já que foi bronze no C2 1000m remando ao lado de Erlon de Souza. Além disso, Luíz Cardoso foi campeão na VL2 200m e bronze na KL1 200m. Caio Ribeiro foi prata no VL3 200m e bronze no KL3 masculino.

+ Todos os resultados do Brasil em Szeged

Estava engasgada

Reprodução

A vitória do C1 1000m, prova olímpica, estava engasgada na garganta do brasileiro neste ano. Na etapa de Duisburg da Copa do Mundo de canoagem de velocidade, em junho, ele ficou na última colocação na final. Bart Ganhou, seguido de Fuksa e Kaczor.

Na ocasião, nem o ouro no C1 500m, prova que não integra o programa olímpico, aliviou a preocupação “Medalha de ouro é sempre bom para o atleta, e agora é voltar para casa e pensar no C1 1000m para chegar no mundial e enfrentar o Fuska e o Brendel de igual para igual”, disse o brasileiro.

O foco na final mundial do C1 1000m acompanhou Isaquias Queiroz nos Jogos Pan-Americanos, tanto que ele chegou a se poupar na final que venceu dizendo que havia muita gente da Alemanha observado sua prova.

Mais em Canoagem Velocidade