Siga o OTD

Ygor Coelho Campeonato Pan-americano de badminton Guatemala individual masculino badminton Jogos Olímpicos

Badminton

Por causa da pandemia,Ygor Coelho pode ser único brasileiro no Pan

Ygor Coelho é o único dos 13 brasileiros inscritos, que está garantido no Pan-Americano de badminton porque a Guatemala fechou as fronteiras para o Brasil e ele vai direto do Peru

BWF

Por causa da pandemia,Ygor Coelho pode ser único brasileiro no Pan

Dos 13 atletas brasileiros inscritos para disputar o Campeonato Pan-Americano, marcado para acontecer entre os dias 28 de abril e 2 de maio, apenas Ygor Coelho, do Time Nissan, tem presença garantida. É que a Guatemala, sede do torneio, fechou as portas para viajantes vindos do Brasil, mas a Confederação Brasileira de badminton (CBBd) está tentando de tudo para conseguir a autorização para levar a delegação toda, já que a competição distribui pontos importantes para a corrida pelas vagas para os Jogos Olímpicos de Tóquio.

+RECEBA NOTÍCIAS NO NOSSO CANAL NO TELEGRAM OU PARTICIPE DO NOSSO GRUPO DO WHATSAPP

“Esse é um campeonato de sete mil pontos para o campeão. O Pan-Americano é um campeonato de nível altíssimo com relação à pontuação, que impacta diretamente na classificação olímpica daqueles que estão brigando forte pela vaga que é o caso da Fabiana Silva. O Ygor Coelho já está bem encaminhado, mas também é uma competição importante para ele para recuperar ritmo e por isso ele está jogando no Peru também, mas principalmente para ele poder pontuar e chegar nos Jogos Olímpicos num posicionamento de ranking bom, que é o objetivo. Estamos fazendo tudo o que é possível e impossível para colocar todo mundo lá na Guatemala”, explicou Beto Santini, presidente da Confederação Brasileira de badminton (CBBd).

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK

Antes do Pan-Americano, a seleção deveria disputar o Peru International, em Lima, que começa nesta quarta-feira, mas o país sul-americano também fechou as fronteiras para o Brasil. Por isso, apenas Ygor Coelho, que viajou da Dinamarca, pôde entrar e será o único representante também. Depois do torneio, ele segue direto para Guatemala para poder disputar o torneio continental.

“A gente não conseguiu entrar no Peru e o Ygor conseguiu porque ele estava na Europa. Ele viria para o Brasil para viajar com todo o grupo, mas a gente fez uma logística diferente com ele e ele foi direto da Dinamarca para o Peru e vai direto do Peru para a Guatemala. Então a presença do Ygor é assegurada”, explicou o presidente da CBBd, Beto Santini.

Brasil vence Ilhas Malvinas, passa em 2º e pega Canadá na semi fabiana silva badminton campeonato pan-americano
Com chances de ir a Tóquio, Fabiana Silva será a maior prejudicada se não puder jogar o Pan (Wander Roberto/COB/arquivo)

Ygor Coelho estreia nesta quinta-feira na chave principal do Peru International, mas vários outros brasileiros estão na tabela oficial. Nesta quarta-feira, por exemplo, Jonathan Mathias e Juliana Vieira Viana deveriam jogar pelo qualifying, mas vão, evidentemente, perder por WO. Além deles, Fabiana Silva, Jeisiane Alves e Samia Lima estão inscritas na chave feminina, Fabrício e Franciélton Farias nas duplas masculinas, Jeisiane e Samia nas duplas femininas e Franciélton/Jeisiane e Fabrício/Samia nas duplas mistas.

Se não houve como entrar no Peru para disputar o torneio que serviria de preparação, a CBBd está tentando por todos os meios a liberação para os atletas competirem no Campeonato Pan-Americano. “A gente está desde sábado, quando saiu o decreto do presidente da Guatemala, trabalhando em todas as frentes. Estamos trabalhando direto com a Federação da Guatemala para quem mandamos um ofício para ser encaminhado para o Ministério da Saúde. No domingo falei com o presidente Paulo Wanderley, do COB, que está vendo o que pode ser feito com a Panam Sports. Conversamos com a BPAC (Confederação Pan-Americana de Badminton) e eles estão trabalhando forte para nos ajudar. E tem um outro caminho, que é através do Ministério da Cidadania, pela Secretaria Especial do Esporte, que está nos ajudando e está envolvendo o Ministério das Relações Exteriores”, explicou Beto Santini.

Vale lembrar que a seleção brasileira de tiro com arco era para estar disputando nesta semana uma etapa da Copa do Mundo na Guatemala, mas o fechamento das fronteiras impediu a participação. Diferente do badminton, a Confederação Brasileira de tiro com arco (CBTarco) não teve tempo hábil de tentar conseguir a liberação da entrada no país, já que a decisão entrou em vigor na sexta-feira e a viagem da delegação estava marcada para sábado.

Mais em Badminton