Siga o OTD

#5fatos que você não sabia sobre Edwarda Dias, do vôlei sentado

Badminton

#5fatos que você não sabia sobre Edwarda Dias, do vôlei sentado

No quadro do OTD, conheça 5 curiosidades sobre a atleta do vôlei sentado Edwarda Dias. Assista ao vídeo!

E vamos com o tradicional quadro da quarta-feira no OTD, os 5 fatos que você não sabia sobre Edwarda Dias, do vôlei sentado. Ela contou detalhes sobre sua carreira, sua vida e até o local onde nasceu. Muitas boas curiosidades. Ficou curioso? Curiosa? Assista ao vídeo!

+ SIGA O OTD NO FACEBOOKINSTAGRAMTWITTERYOUTUBE TIKTOK

OUTROS VÍDEOS EM NOSSO CANAL NO YOUTUBE:

+ PLAYLIST 5 FATOS

+ Olimpíada do Amor #02 – Edwarda Dias e Rogério Júnior

+ Luiza Fiorese MANTÉM rotina de treinos DURANTE quarentena

+ Resumo #4: Cerimônia de Abertura e vitórias nas quadras

MAIS INFORMAÇÕES SOBRE EDWARDA DIAS:

Edwarda Dias - vôlei sentado
Seleção feminina de vôlei sentado chega ao CT para primeira fase de treinos

A Seleção Brasileira feminina de vôlei sentado chegou ao Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo para a realização da primeira fase de treinamentos no local após a interrupção dos treinos causada pela pandemia de Covid-19 no ano passado. A equipe nacional ficará concentrada no CT até o próximo dia 28 de fevereiro.

Para promover o retorno dos atletas, o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) submeteu todos os atletas desta modalidade aos critérios exigidos pelo protocolo sanitário elaborado desde a reabertura parcial do CT, em julho do ano passado. Leia mais!

Brasil busca em Tóquio o ouro inédito no vôlei sentado

A Paralimpíada da Rio-2016 foi um marco no vôlei sentado brasileiro. Nela, o país conquistou a primeira medalha na modalidade, o bronze no feminino. No masculino, apesar das medalhas de ouro nos Jogos Parapan-Americanos e os pódios em mundiais, é a medalha que falta. 

Se olharmos para o ranking mundial de vôlei sentado, o Brasil está bem colocado nos dois gêneros. Entre as mulheres,  a equipe brasileira é a terceira colocada, atrás de Estados Unidos e China. Já no masculino, os brasileiros são a segunda melhor equipe do planeta, atrás somente do Irã. Por conta disso, e dos resultados obtidos no ciclo, podemos dizer que a chance de medalha no Japão é real. Leia mais!

Mais em Badminton