Siga o OTD

Aberto da Dinamarca de badminton - Circuito Mundial de badminton - Pandemia de coronavírus

Tóquio 2020

Volta da corrida olímpica já tem data, com Ygor e Fabiana na briga

Federação Internacional de Badminton reabre o ranking mundial, base da seletiva, no dia 1º de fevereiro e fecha em 18 de maio de 2021

Ao todo 17 torneios distribuíram pontos na corrida rumo a Tóquio-2020 (divulgação/BWF)

Volta da corrida olímpica já tem data, com Ygor e Fabiana na briga

A pandemia de Covid-19 forçou o adiamento de Tóquio-2020 e, no badminton, parou a corrida olímpica. O ranking mundial, responsável pela qualificação aos Jogos, foi congelado em 17 de março. Desde então, aguardava-se um posicionamento da Federação Internacional de Badminton (BWF). Enfim a espera acabou.

O ranking mundial de badminton abrirá no dia 1º de fevereiro e fechará em 18 de maio, quando os 34 classificados de cada naipe serão definidos para Tóquio-2020. O Japão já tem uma vaga garantida em cada naipe por ser o país sede, e há, ainda, três por convite em cada naipe.

Ygor Coelho entra em quadra no Final 4 da Liga Dinamarquesa badminton ranking tóquio-2020
Ygor Coelho é um nome quase certo em Tóquio-2020 (Divulgação/BWF)

O primeiro torneio que contará pontos para a corrida será o Aberto da Suíça, em Basel, de 2 a 7 de março. Já o último torneio que contará pontos para o ranking mundial de badminton será o Aberto da Índia, em Nova Deli, de 11 a 16 de maio. Ao todo, o calendário terá 17 torneios.

Contudo, a BWF divulgou um calendário com mais eventos que servirão de preparação para os atletas que ainda possuem chances de classificação. E o primeiro de 2021 será o Aberto da Tailândia, Bangkok, de 12 a 17 de janeiro.

Situação dos brasileiros

Ygor Coelho é o principal atleta brasileiro no badminton e dificilmente ficará de fora dos próximos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020. No feminino, Fabiana Silva tem chances reais de conseguir vaga.

Brasil vence Ilhas Malvinas, passa em 2º e pega Canadá na semi
Fabiana Silva no Pan do ano passado (Wander Roberto/COB/arquivo)

Apesar de serem elegíveis os 34 primeiros do ranking mundial, há um limite de atletas por nacionalidade. No individual, países com dois ou mais entre os 16 melhores do mundo têm direito a duas vagas. De resto, só um por país. O regulamento ainda prevê mais quatro vagas individuais, três por convite e uma garantida ao país-sede, totalizando os 38 atletas em cada gênero.

+ ‘Navegando com o Tubarão’: Ygor Coelho fala sobre seu retorno

Atual número 48 do ranking mundial, Ygor Coelho, descontando as vagas por país, está oscilando entre a 22ª e a 25ª colocação no ranking olímpico.

+ SIGA O OTD NO FACEBOOKINSTAGRAMTWITTER E YOUTUBE

No individual feminino, a melhor brasileira é Fabiana Silva, atual 62ª do ranking mundial. No ranking olímpico de badminton, ela está oscilando entre a 30ª e 34ª colocado, no limite de uma classificação pela lista.

Mais em Tóquio 2020