Siga o OTD

Atletismo

Estreando em maratonas, Ederson Pereira fica no “quero mais”

Corredor disputou em Valência, no domingo, completando os 42,195 km em 2h13min11, perto do índice olímpico de 2h11min30s

Estreando em maratonas, Ederson Pereira fica no "quero mais" ((Wagner Carmo/CBAt)

Ederson Pereira, campeão brasileiro e pan-americano dos 10.000 metros, ficou feliz por disputar a primeira maratona da carreira, aos 30 anos, mas sentiu um gosto de “quero mais” após competir em Valência, na Espanha.

Quatro brasileiros correram na Espanha no domingo (6), num circuito de pouco mais de 21 km. Ederson Pereira completou os 42,195 km em 2h13min11s, terminando na 54ª colocação na prova masculina. A prova já integrava a janela recém aberta para obtenção do índice olímpico de 2h11min30s.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM E NO FACEBOOK

De volta ao Brasil Ederson comentou que ainda quer tentar batera a marca que leva a Tóquio. “Fiquei feliz, porém não totalmente satisfeito. Mesmo sendo uma estreia na prova, o objetivo era o índice olímpico, apesar de todos os problemas causados pela pandemia de Covid-19”, comentou o corredor.

“O grande problema é que as provas de 2021, válidas para conseguir índice, ainda são uma incógnita, mas se tiver uma nova chance irei brigar de novo por ele”, disse o atleta que mora e treina em Caçapava, cidade do Vale do Paraíba, em São Paulo, onde nasceu. “Até km 36 vinha correndo abaixo de 2h11min30s, mas perdi contato com o grupo e fiquei sozinho, daí peguei muito vento contra. Estava muito vento lá este ano”, completou.

Outros brasileiros em Valência

Na Maratona de Valência, Ederson Pereira não conseguiu o índice olímpico, assim como  Andreia Hessel, Valdilene Santos e Adriana Aparecida da Silva
Adriana Aparecida da Silva não conseguiu o índice olímpico (arquivo)

Andreia Hessel, Valdilene Santos e Adriana Aparecida da Silva, atleta do Time Ajinomoto, treinaram na Colômbia por mais de um mês, mas também não alcançaram a marca mínima de 2h29min30s na Maratona de Valência. Andreia terminou a prova em 36º lugar, com 2h36min00, seguida de Valdilene, com 2h45min13s (40° lugar) e Adriana, com 3h05min52s (46ª colocação).

No feminino, a queniana Peres Jepchirchir, recordista mundial da meia maratona, quebrou o recorde da prova com 2h17min16. O pódio feminino foi completado pela queniana Joyciline Jepkosgei (2h18min40) e por Helalia Johannes, da Namíbia (2h19min59).

A vitória no masculino ficou com o queniano Evans Chebet (2h03min00), seguido do também queniano Lawrence Cherono (2h03min04) e do etíope Birhanu Legese (2h03min16).

Na prova da meia maratona, o queniano Kibiwott Kandie, vencedor da São Silvestre de 2019, estabeleceu o novo recorde mundial ao completar a prova de Valência em 57min32s. Entre as mulheres, vitória da etíope Genzebe Dibaba, que, em sua estreia na distância, completou o percurso em 1h05min18s.

Mais em Atletismo

viagra