Siga o OTD

Brasil e Rússia - Seleção brasileira de vôlei masculino - Jogos Olímpicos de Tóquio

Tóquio 2020

Com bloqueio matador, Rússia impõe primeira derrota ao Brasil no vôlei

Brasil não encaixa o jogo, sofre para superar o bloqueio russo e perde a invencibilidade no 3º jogo da Olimpíada

(Divulgação/FIVB)

Com bloqueio matador, Rússia impõe primeira derrota ao Brasil no vôlei

A promessa era de pedreira e foi. Nesta quarta-feira (28), pela terceira rodada da fase de grupos do vôlei masculino dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, o Brasil encontrou uma forte Rússia do outro lado da quadra e não foi páreo para os adversários. Com um bloqueio impressionante, o Comitê Olímpico Russo venceu a partida por 3 sets a 0 (25/22, 25/20 e 25/20), com uma atuação de gala.

Com esse resultado, o Brasil sofre a primeira derrota na competição, enquanto a Rússia segue como a única invicta do chamado “grupo da morte”, que ainda tem França, Estados Unidos, Argentina e Tunísia. Assim, a seleção brasileira soma cinco pontos e cai para a terceira posição da chave. O Comitê Olímpico Russo segue na liderança, com nove pontos, seguido dos EUA, com seis.

+Tudo sobre o vôlei masculino nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

Agora, o Brasil terá mais uma pedreira pela frente. No próximo jogo, a seleção encara os Estados Unidos, que têm uma derrota até aqui, justamente para o Comitê Olímpico Russo. O duelo acontece nesta quinta-feira (29), às 23h05 (no horário de Brasília), e você acompanha ao vivo no Olimpíada Todo Dia.

O jogo

Bruninho teve bastante dificuldade na distribuição de bola (Gaspar Nóbrega/COB)

Renan Dal Zotto manteve a base do time titular e o Brasil começou o jogo com: Bruno, Leal, Wallace, Maurício Souza, Lucão, Lucarelli e Thales. E como era de esperar, os times entraram com tudo em quadra e o início do set foi bastante equilibrado. A seleção brasileira conseguia se manter na frente do placar, até que a Rússia se encontrou no jogo. A equipe, muito bem encaixada, virou o marcador, tendo o bloqueio como principal diferencial. O time do Brasil não conseguia passar pelo paredão e viu os adversários abrirem vantagem e fecharem o primeiro set. 

+ SIGA OS JOGOS NO YOUTUBETWITTERINSTAGRAMTIK TOK E FACEBOOK DO OTD

O bloqueio russo voltou igualmente afiado para o segundo set e continuava complicando a vida do Brasil. O Comitê Olímpico Russo, no entanto, errava muitos saques, dando pontos de graça para a seleção brasileira que, por sua vez, não conseguia aproveitar e viu os adversários abrirem vantagem novamente. Renan, então, mexeu na equipe, apostando na velocidade de Douglas Souza no ataque e na boa distribuição de bola de Cachopa. As mudanças surtiram efeito em um primeiro momento, mas a Rússia seguia muito firme em quadra e logo barrou a reação brasileira, abrindo 2 a 0.

Renan manteve Douglas em quadra e ele virou praticamente todas as bolas. A parcial começou mais equilibrada, com as equipes trocando pontos, sem abrir vantagem confortável. Até a metade do set, quando a Rússia embalou de novo e passou a construir a diferença no marcador. O Brasil tentava reagir e colar no placar, mas tinha dificuldades e cometia erros em momentos cruciais. Do outro lado, a Rússia jogou muito, chegou ao match point e fechou o jogo com uma atuação de gala.

REVEJA: Brasil x Rússia – Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

Mais em Tóquio 2020