Siga o OTD

Tóquio 2020

Laurel Hubbard: primeira atleta transgênero na história dos Jogos Olímpicos

Conheça a história da neozelandesa Laurel Hubbard, do levantamento de peso, que será em Tóquio a primeira atleta transgênero a disputar os Jogos Olímpicos

Laurel Hubbard levantamento de peso
Divulgação

Os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 estão prestes a começar, e o Comitê Olímpico da Nova Zelândia fala em um momento histórico do esporte. Isso se deve à participação de Laurel Hubbard, de 43 anos, que é a primeira atleta transgênero a disputar uma Olimpíada. A neozelandesa acabou se classificando na categoria feminina acima dos 87 kg de levantamento de peso e irá representar seu país na competição mais importante dos desportos. Além dela, outros quatro atletas também farão parte da delegação da Nova Zelândia no levantamento de peso.

Polêmicas sobre o assunto

A atleta conseguiu sua vaga para o torneio em maio, depois que uma regra foi alterada e permitiu que ela pudesse competir na categoria dos superpesados. Essa será a primeira vez da levantadora de peso nos Jogos Olímpicos – sendo que ela vem se recuperando de uma lesão grave que sofreu em 2018. Em um comunicado, a atleta disse: “Estou grata e humilde pela gentileza e apoio que me foram dados por tantos neozelandeses. Quando quebrei meu braço nos Jogos da Commonwealth há três anos, fui informada de que minha carreira esportiva provavelmente havia chegado ao fim. Mas seu apoio, seu incentivo e seu aroha me guiaram através da escuridão”. Disputar os Jogos Olímpicos é o sonho de qualquer esportista de alto nível, e os fãs das modalidades estão ansiosos para o início das competições, desta forma as plataformas de apostas esportivas que possuem um site confiável preveem recordes de palpites na edição deste ano.

O assunto não passou despercebido e o levantamento de peso, que já era foco de um debate sobre a atletas transgêneros competirem em esportes femininos, ficou ainda mais em evidência. Nos Estados Unidos, vários estados têm cogitado uma legislação que proíba meninas e mulheres transgêneros de competirem nas categorias femininas, sendo que alguns deles já colocaram algumas medidas em prática neste ano.

E não é de hoje que a participação de Laurel Hubbard nos torneios femininos gera polêmica. Ainda em 2018, a federação de levantamento de peso da Austrália não queria que a atleta competisse nos Jogos da Commonwealth, porém os organizadores do evento rejeitaram a investida da instituição.

Em maio de 2021, quando Laurel Hubbard se qualificou para os Jogos Olímpicos, Anna Van Bellinghen, uma halterofilista belga falou a um site de notícias que achava toda essa situação “injusta” e o que vem acontecendo é “como uma piada de mau gosto”. Já a atleta neozelandesa costumava competir nos campeonatos de levantamento de peso masculino antes de realizar a transição, em 2013. Ela passou a ser elegível a disputar as Olímpiadas em 2015 e, nesse período, o COI (Comitê Olímpico Internacional) soltou algumas novas diretrizes, que autorizam a qualquer esportista transgênero a competir como mulher, caso seus níveis de testosterona estiverem menores que 10 nanomoles por litro por no mínimo 12 meses antes do seu primeiro campeonato. Porém, há quem defenda que essa decisão é injusta, já que as diretrizes não levam em consideração outros fatores importantes que podem condicionar a performance dos atletas transgênero nas competições.

Elegível

Apesar de todas as polêmicas, Laurel Hubbard se tornou elegível para os Jogos Olímpicos este ano após cumprir todas as regras impostas pela Federação Internacional de Halterofilismo, COI e Comitê Olímpico da Nova Zelândia. Em um comunicado, Kereyn Smith, Secretária Geral do Comitê Olímpico da Nova Zelândia, afirmou: “Reconhecemos que a identidade de gênero no esporte é uma questão altamente sensível e complexa que exige um equilíbrio entre direitos humanos e justiça no campo de jogo”. Smith ainda pontuou que a equipe da Nova Zelândia possui uma forte cultura de respeito e inclusão, e que eles estão comprometidos em continuar apoiando atletas qualificados do país, garantindo seu bem-estar físico e mental, e todas as suas necessidades de alto desempenho, enquanto estiverem se preparando para disputar as Olímpiadas.

APOIE O OLIMPÍADA TODO DIA

Desde setembro de 2016, o Olimpíada Todo Dia não deixa você ter saudade dos Jogos nunca. É o único veículo de comunicação que todos os dias traz a trajetória dos atletas olímpicos e paralímpicos, combatendo a monocultura do futebol e na busca de ajudar a mudar a cultura esportiva do Brasil. Gosta do nosso trabalho? Nos apoie! Faça um pix para [email protected]

Outra alternativa para nos apoiar é usando o cupom OTD em compras na Centauro. Com o cupom, você ganha 10% de desconto na compra de equipamentos esportivos e parte do valor será revertido para o Olimpíada Todo Dia. Vale lembrar que os descontos não são cumulativos. Se alguma peça já estiver em oferta, você não conseguirá aumentar o desconto, mas se colocar o cupom OTD, parte do valor vai ajudar o portal do mesmo jeito. Você pode comprar também pela vitrine do OTD no site das Centauro.

Mais em Tóquio 2020