Siga o OTD

Tóquio 2020

Rebecca aposta no entrosamento para ganhar medalha em Tóquio

Atleta forma dupla com Ana Patrícia e confia na afinidade que tem com a parceira para realizar sonho na Olimpíada

A dupla Rebecca e Ana Patrícia conquistou uma vaga no vôlei de praia para representar o Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2021. Natural de Fortaleza, no Ceará, Rebecca, de 27 anos, foi a convidada da live do Instagram do Olimpíada Todo Dia nesta quarta-feira (29) e apontou os fatores que considera um diferencial da parceria na busca por uma medalha olímpica no Japão
Rebecca forma dupla com Ana Patrícia e disputará em Tóquio sua primeira Olimpíada (William Lucas/Inovafoto/CBV)

A dupla Rebecca e Ana Patrícia conquistou uma vaga no vôlei de praia para representar o Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2021. Natural de Fortaleza, no Ceará, Rebecca, de 27 anos, foi a convidada da live do Instagram do Olimpíada Todo Dia nesta quarta-feira (29) e apontou os fatores que considera um diferencial da parceria na busca por uma medalha olímpica no Japão.

“Temos uma afinidade e um entrosamento muito grandes. Nós já provamos  para todo mundo em várias oportunidades que o nosso time consegue se superar. Quando o outro time ou alguém pensa que já estamos mortas e enterradas, nós conseguimos ressuscitar, ganhar e jogar melhor ainda. Acredito que isso será um dos pontos mais fortes da nossa dupla”, destacou Rebecca.

“Lógico que vamos treinar para melhorar e evoluir em outros aspectos, mas esse tipo de competição se ganha nos detalhes e aposto nisso como nosso diferencial”, completou a atleta, que, assim como Ana Patrícia, torce por uma final brasileira em Tóquio.

+ Sem brasileiros, Circuito Mundial recomeça após quatro meses

“Acho que seria o ideal. Eu penso muito no país e uma final brasileira seria a garantia de mais medalhas para o Brasil. Espero que dê certo e que nos encontremos só na final”, disse Rebecca, que revelou ter como referência no vôlei de praia as atletas Larissa, brasileira, e as estadunidenses Walsh e May.

Sem pressão e sonho de medalha

Rebecca Vôlei de Praia Tóquio Medalha Olímpica
Rebecca comentou que lida bem com a pressão (William Lucas/Inovafoto/CBV)

Rebecca contou que lida bem com a pressão e que raramente alguém consegue tirá-la do sério. A atleta iniciou no vôlei de quadra e só começou a vislumbrar a chance de participar dos Jogos Olímpicos quando migrou para a praia. Aos poucos passou a competir na praia e pegou gosto pela modalidade. Historicamente, o vôlei de praia traz medalhas para o Brasil e é um dos esportes mais cobrados por resultados.

+ “Atleta não aposenta”, conta Jackie Silva 24 anos pós ouro

A atleta não se preocupa com isso e sabe filtrar o que vem de fora. “O vôlei de praia é um dos esportes que mais dá medalha e o pessoal continua em cima. Ninguém vive sem essa pressão, mas eu consigo lidar muito bem e tento pensar em outras coisas. Só escuto o que me agrega e consigo tirar de letra essa cobrança”, comentou Rebecca, que avaliou que ambas mostraram na corrida olímpica que em nenhum momento sentiram a pressão.

+ 1ª medalhista e porta-bandeira: a história de Sandra Pires

Afinidade

Ana Patrícia e Rebecca são as campeãs do Circuito Brasileiro na temporada 2019/20. “Acho que nós estamos dando certo porque somos completamente diferentes. A nossa expectativa para Tóquio é a melhor possível. Estamos vindo de uma temporada muito boa e agora temos mais um ano de preparação e esperamos voltar com tudo e, se Deus quiser, com o mesmo embalo”, disse Rebecca.

+ SIGA O OTD NO FACEBOOKINSTAGRAMTWITTER E YOUTUBE

“Acho que a medalha virá, já que nós dormimos e acordamos pensando nisso. E no treino também comentamos, portanto, realmente enquanto não chegar o momento de viver essa experiência não vamos parar de sonhar com isso. O meu sonho é chegar bem na Olimpíada e trazer essa medalha”.

Rebecca Vôlei de Praia Tóquio Medalha Olímpica
Rebecca está com 27 anos e é natural de Fortaleza (William Lucas/Inovafoto/CBV)

Confira a entrevista completa

Mais em Tóquio 2020