Siga o OTD

Tênis

Thiago Monteiro toma pneu e perde final para Sebastian Baez na Argentina

Brasileiro conseguiu fazer frente ao anfitrião apenas no primeiro set, sai do Challenger de Buenos Aires com o vice-campeonato e vai perder pontos no ranking da ATP

Thiago Monteiro vice Challenger de Buenos Aires tênis
(instagram/thiagomonteiro94/arquivo)

Thiago Monteiro perdeu a final do Challenger de Buenos Aires de tênis disputada no início da tarde deste domingo (24) na quadra central do Racket Club da capital argentina. Acabou derrotado pelo anfitrião Sebastian Baez por 2 sets a 0, sendo que o brasileiro fez frente apenas no primeiro set. As parciais foram de 6/4 e 6/0. Esta foi a segunda final de challenger que Monteiro fez este ano em seis torneios disputados. A primeira ele venceu, em Braga, Portugal, no final do mês passado. O vice-campeonato dá 48 pontos no ranking da ATP, porém ele defende 80 nesta semana. O dia foi de final também no Brasil, no ITF de Rio do Sul.

A primeira parcial do duelo contra Sebastian Baez começou com ampla soberania dos sacadores, exceto no segundo game, quando Thiago Monteiro, que entrou na competição como o número 92 do mundo, precisou salvar dois break-points para confirmar o primeiro serviço. No sétimo, foi a vez do brasileiro pressionar o saque rival e ter a chance de quebra, sem sucesso. No oitavo, Monteiro precisou e conseguiu salvar mais dois breaks, mas no décimo game Baez, número 124 do mundo, finalmente conseguiu a quebra e, com ela, fez 1 a 0 na disputa do título no Challenger de Buenos Aires.

Pra esquecer

No primeiro game do segundo set, Thiago Monteiro deu a impressão que voltaria forte para disputa. Colocou nas cordas o saque do adversário, teve chance de quebra, mas não conseguiu pontuar. O jogo do brasileiro acabou ali. Ele não conseguiu mais confirmar o saque, tomou três quebras e, nas duas vezes seguintes em que esteve na devolução, venceu apenas uma troca de bolas. Sucumbiu no sexto game, no primeiro match point do adversário, e ficou com o vice no torneio argentino de tênis.

“A final de hoje foi dura, o Baez foi muito sólido o tempo inteiro. Não me deu nenhuma chance de me sentir bem em quadra. Não é à toa que ele vem num grande ano, com vários títulos. É um jogador com muita qualidade. No geral, a semana foi positiva. Valeu os jogos que fiz por aqui e da superação nas partidas, além de ter defendido alguns pontos muito importantes no ranking”, analisou o número 1 do tênis do Brasil.

Incômodo no adutor

Após o vice no Challenger de Buenos Aires, Thiago Monteiro seguiria para o de Lima, no Peru, mas optou pela desistência após sentir dores na perna. “Estou com um incômodo no adutor já tem uns dias, então meu técnico, preparador e fisioterapeuta acharam melhor dar uma recuperada e se preparar para os últimos torneios do ano. Ainda não sei se vou jogar Guayaquil, mas para Lima ficaria muito corrido chegar. Optei por voltar melhor fisicamente do que fazer tudo as pressas e acabar perdendo a confiança do que foi conquistado nesta semana”, finalizou. A sequência final do calendário de 2021 de Monteiro inclui challengers de Guayaquil, Montevidéu e Campinas.

ITF de Rio do Sul

Pedro Boscardin Gustavo Heide ITF de Rio do Sul tênis
Boscardin, à esquerda, e Heide (Luiz Candido/divulgação CBT)

O dia foi de final também em Santa Catarina e com dois brasileiros no ITF de Rio do Sul. Melhor para o jovem Pedro Boscardin, de apenas 18 anos, que bateu Gustavo Heide, 19 anos, por 2 sets a 0, parciais de 7/6 (6) e 6/4, e ficou com o título. No feminino, a húngara Panna Udvardy confirmou o favoritismo diante da chilena Daniela Seguel por 6/1 e 6/0. Na noite anterior, no sábado (24), eles formaram uma das parcerias que decidiu o torneio de duplas da competição catarinense. Perderam para Daniel Dutra e Igor Marcondes por 2 a 1, com 6/4 e 6/3 nas parciais, e ficaram com o vice.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBETWITTERINSTAGRAMTIK TOK E FACEBOOK

O título em Rio do Sul é o primeiro da carreira profissional de Boscardin no tênis. “Foi uma semana sensacional e só tenho a agradecer à CBT, à Dove Men+Care e ao BRB por terem realizado este torneio no Brasil. Só tem uma palavra para descrever tudo isso, que é felicidade. Sabia desde o princípio que seria um jogo bastante equilibrado com o Gustavo, pois somos amigos e nos conhecemos muito bem. Mas felizmente teve a torcida que me incentivou nos momentos chave e me deu energia para conseguir esse título tão importante.”.

Mais em Tênis

viagra