Siga o OTD

Tênis

Terceira maior do país, Teliana Pereira se despede das quadras

Brasileira venceu dois torneios da WTA e chegou a ser número 43 do mundo, posição superada aqui apenas por Maria Esther Bueno e Niege Dias nas simples

Teliana Pereira aposentadoria tênis
Teliana venceu 2 torneios WTAs e 22 ITFs (instagram/telianapereira)

A brasileira Teliana Pereira anunciou nesta segunda-feira (28) a aposentadoria das quadras do circuito mundial de tênis. Ela tem o terceiro maior ranking mundial feminino da história do país nas simples, a 43ª colocação, em outubro de 2015, atrás apenas de Maria Esther Bueno e Niege Dias.

Teliana Pereira venceu dois torneios WTA e outros 22 de ITF. Tem ainda onze participações na chave principal de torneios Grand Slam, sendo três em Roland Garros, Winbledon e OS Open e duas no Aberto da Austrália.

Representando o Brasil, foi medalha de bronze nos Jogos Pan-Americanos do Rio, em 2007, e participou dos Jogos Olímpicos de 2016, novamente na Cidade Maravilhosa. Competiu também na Fed Cup.

“O processo para tomar essa decisão (aposentadoria) levou um tempo. Eu fui amadurecendo a ideia em um período mais ou menos de um ano. Comecei a realmente pensar nisso que cada dia era mais difícil viajar, pegar avião, levantar para treinar. Eu percebi que já não era tanto mais a prioridade. Foi aí que pensar em parar de jogar,” contou Teliana Pereira.

Sertão pernambucano

Hoje com 32 anos, a brasileira nasceu em 20 de julho de 1988 no município de Águas Belas, no sertão pernambucano. Ainda criança, mudou para o Paraná e, em 2005, começou a carreira profissional após boas performances como juvenil.

Em 2007 deu um pulo na carreira, conquistando a medalha de bronze no Pan do Rio, ao lado de Joana Cortez, nas duplas. Em 2013, se tornou a primeira brasileira em quase 15 anos a alcançar a semifinal de um WTA, em Bogotá. Ainda naquele ano, se tornou a primeira tenista do Brasil a chegar no top 100 da WTA, desde 1990.

Dentro do top 100, em 2014, Teliana Pereira conseguiu disputar, pela primeira vez na carreira, todos os Grand Slams na chave principal, chegou a ganhar uma rodada em Roland Garros.

+ Thiago Wild e João Menezes caem cedo em torneios challengers

Em 2015 quebrou um jejum de 27 anos do Brasil ao conquistar o primeiro título da carreira no WTA de Bogotá, em abril. Em agosto conquistou o segundo trofeu de WTA, em Florianópolis e chegou ao 43º posto no ranking mundial de tênis.

Vale, tênis!

“É uma fase da minha vida que encerra. Eu tenho muito orgulho de tudo que fiz, das pessoas que estavam ao meu lado e que me ajudaram bastante. Estou muito satisfeita com a minha carreira. Fui muito além do que imaginava, com dois títulos de WTA e sempre superando as minhas expectativas”, acrescentou a tenista, sobre a aposentadoria.

+ SIGA O OTD NO FACEBOOKINSTAGRAMTWITTER E YOUTUBE

“Estou ansiosa para fazer coisas diferentes, iniciar algo novo. Ainda não sei o que vai ser. Estou curtindo esse momento para ter ideias, estou refletindo bastante, relembrando momentos bons e os mais difíceis que foram de muito aprendizado. Levou um tempo, mas a partir do momento que tomei a decisão final, me deu muito alegria por tudo o que eu já fiz“, completou Teliana Pereira.

Mais em Tênis