Siga o OTD

Surfe

Brasil avança com cinco atletas para as oitavas de Rottnest Island, na Austrália

Gabriel Medina, Ítalo Ferreira, Adriano de Souza, Miguel Pupo e Yago Dora se garantem entre os 16 melhores na Austrália

Gabriel Medina Rottnest Island etapa mundial de surfe
- WSL / CAIT MIERS

Após três dias sem atividades, a etapa de Rottnest Island, a quinta etapa do Mundial de surfe de 2021, na Austrália, voltou a ter baterias. Em um dia longo, o Brasil voltou a ter saldo positivo na competição. Tendo representantes somente na chave masculina, o país classificou cinco atletas para as oitavas de final. Os destaques dicaram com Gabriel Medina, Ítalo Ferreira e Adriano de Souza, que dominaram desde o início e saíram com a vitória e a vaga entre os 16 melhores.

Gabriel Medina domina a bateria e avança em Rottnest Island

Líder do ranking mundial de surfe, Gabriel Medina teve o australiano Kael Walsh como oponente. Na disputa, o brasileiro levou a melhor nos primeiros minutos e chegou em 6.40 nas três primeiras manobras. Com isso, Kael buscou surfar em quantidade porém, não conseguindo finalizar os movimentos, somou só 3.80 após as cinco primeiras notas.

Ainda na primeira metade da disputa, Medina subiu ainda mais seu total. Com um 4.53, o bicampeão do mundo chegou em 9.36 e aumentou ainda mais a vantagem. Já nos últimos 10 minutos, Gabriel subiu ainda mais seu total, chegando em 10.23. Como resposta, Walsh seguiu apostando na quantidade de ondas surfadas e chegou em 8.20, trazendo emoção para a reta final da disputa.

Nos últimos dois minutos, Gabriel Medina conseguiu sua melhor nota da bateria. Com uma série de manobras, o brasileiro fechou a disputa com um 5.57, subiu seu total para 10.80 e se garantiu entre os 16 melhores surfistas da etapa do Mundial de surfe.

Ítalo Ferreira segue para as oitavas

Atual vice-líder da temporada 2021, Ítalo Ferreira teve como oponente Jacob Willcox, da Austrália. Logo nas primeiras três ondas da bateria, os dois surfistas mostraram o que queriam na disputa em Rottnest Island. 

Na primeira onda da bateria, Willcox conseguiu um 5.50. Como resposta, Ítalo Ferreira encaixou dois aéreos em duas ondas e somou 10.74, tomando a liderança para si com cerca de oito minutos passados. Próximo da metade da disputa, o brasileiro aumentou a diferença. Com mais um aéreo, Ítalo conseguiu um 5.47 e colocou seu total em 11.54. 

Já na metade final da disputa, a vantagem brasileira aumentou. Com uma série de manobras, Ítalo Ferreira conseguiu um 6.67 e totalizou 12.74, colocando ainda mais pressão no adversário. Nos minutos finais, o representante do Brasil aumentou ainda mais seu total, chegando em 13.20 e garantiu a vaga nas oitavas de final.

Adriano de Souza controla do início ao fim e avança

Já na reta final do dia de baterias, Adriano de Souza, o Mineirinho, teve como adversário o australiano Ethan Ewing. Logo no começo da disputa, o brasileiro já assumiu a liderança, com 5.33. Em seguida, o surfista do Brasil somou mais 4.83 e chegou em 10.16. Próximo da metade da disputa, Adriano de Souza seguiu aumentando seu total. Com um 5.93, o surfista chegou em 11.26 e colocou o adversário em situação complicada. 

Na reta final, Adriano de Souza usou a experiência de campeão mundial. Com a vantagem nos minutos finais, Mineirinho controlou a distância, usou a prioridade e o tempo ao seu favor e seguiu para as oitavas de final da etapa do Mundial de surfe de 2021. 

Miguel Pupo vence duelo brasileiro

No único duelo brasileiro no round 3 de Rottnest Island, Miguel Pupo e Caio Ibelli fizeram um confronto igual na etapa do Mundial de surfe. Nos primeiros minutos de disputa, Pupo foi melhor e abriu com a liderança, com 3.90 contra 0.37 após três ondas surfadas. 

Com cerca de 14 minutos de bateria, Miguel Pupo abriu vantagem. Com uma série de manobras, o surfista conseguiu um 5.17 e chegou em um total de 8.84, abrindo vantagem na disputa. Como resposta, Caio Ibelli conseguiu uma série de manobras e subiu seu total para 5.77. 

Na sequência, Miguel Pupo teve a maior nota do dia na chave masculina, até o momento. Com uma série de três manobras, Pupo tirou um 8.33 e colocou sua somatória em 13.50, colocando pressão no compatriota. 

Já dentro dos 10 minutos finais, Miguel aumentou ainda mais seu total. Com um 6.33, o brasileiro chegou em 14.66 e garantiu a vitória na bateria, se classificando para as oitavas de final da etapa. 

Yago Dora cresce na bateria e avança

Na última bateria com a presença brasileira, Yago Dora teve como adversário Jack Freestone, da Austrália. Colocando volume de ondas logo no começo da disputa, o brasileiro abriu vantagem na liderança, somando 10.77 contra 6.57. 

Já na segunda metade da disputa, Yago Dora colocou mais vantagem. Com uma série de manobras, o brasileiro tirou um 6.67 e subiu seu total para 13.94 e encaminhou a vaga nas oitavas de final da etapa do circuito Mundial de surfe. Precisando de uma nota acima de oito, Jack Freestone se complicou ainda mais. Ao tentar uma manobra mais forte, o australiano acabou quebrando sua prancha e o atleta perdeu minutos importantes na reta final da bateria.

Com isso, bastou para Yago Dora controlar o tempo, usar a prioridade e, com isso, manter a vantagem na liderança da disputa para se garantir ente os 16 melhores surfistas da etapa de Rottnest Island, na Austrália.

-Didi fala sobre nervosismo na estreia da NBA e relação especial com a seleção

Eliminações

Deivid Silva toma a virada na última onda 

Abrindo a participação brasileira no dia de baterias de Rottnest Island, Deivid Silva teve Morgan Cibilic, da Austrália, como adversário. No duelo, o surfista do Brasil começou melhor e terminou com um bom início. Com um 4.27 e 3.57, Deivid abriu a disputa com um total de 7.84. Já Cibilic conseguiu uma somatória de 3.20 após duas notas e ficou em segundo. 

Logo na sequência, o brasileiro subiu ainda mais o seu total. Com uma série de manobras, Deivid Silva tirou um 6.50 e subiu para 10.77. Como resposta, Morgan Cibilic aumentou seu total, com um 4.17, para 6.50. 

Com pouco mais de 30 minutos para o fim da disputa, Deivid Silva aumentou sua somatória. Com uma onda de manobra única, o brasileiro tirou um 4.83 e chegou em 11.33, aumentando um pouco mais sua diferença na liderança da bateria. Já na meta final da disputa, Deivid e Morgan conseguiram surfar algumas ondas, mas não aumentaram suas somatórias e mantiveram a diferença. 

+Com Varejão, Brasil divulga pré-lista de 25 jogadores para o Pré-Olímpico

Com cerca de 12 minutos para o fim, Morgan subiu um pouco seu total, chegando em 8.64, mas seguiu em situação complicada na disputa. Já dentro da reta final da bateria, o australiano conseguiu a virada. Com um 7.50, Cibilic chegou em 11.97 e assumiu a ponta. Contudo, segundos mais tarde, Deivid Silva encaixou duas manobras fortes e, com um 5.50, chegou em 12.00, assumindo a liderança. 

Nos últimos 120 segundos, o brasileiro subiu sua somatória para 12.17, com um 5.67. Contudo, faltando menos de um minuto, Morgan Cibilic conseguiu uma onda. Nela, o australiano desferiu uma série de manobras, tirou um 5.07 e saiu com a vitória de virada na bateria, com 12.57 contra 12.17. 

Filipe Toledo fica atrás a bateria toda e é eliminado 

Na segunda bateria com presença brasileira, Filipe Toledo teve pela frente Liam O’Brien, da Austrália. Logo nos primeiros segundos da bateria, o australiano conseguiu uma onda que deu 4.67 de nota e saltou na liderança da disputa. Com pouco mais de cinco minutos de bateria, o brasileiro tentou um aéreo, errou e somou apenas um ponto. 

Filipe Toledo
– WSL / DANIEL SMORIGO

Como resposta, Liam encaixou uma série de manobras e subiu seu total para 11.00, já colocando pressão em Filipinho. Atrás do australiano, Filipe Toledo começou a surfar ao seu estilo. Procurando a quantidade e “atacando” a onda, o brasileiro conseguiu subir seu total para 9.34 e voltou para a disputa. 

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK

Na segunda metade da disputa, o brasileiro seguiu tirando a diferença e encostando ainda mais em Liam O’Brien, fazendo com que a desvantagem ficasse em 13.66 contra 10.77. Com menos de sete minutos para o fim, Filipinho diminuiu ainda mais a diferença. 

Com uma série de manobras, o brasileiro tirou um 6.37, chegou em 12.04 e se aproximou ainda mais do adversário na disputa. Em seguida, Filipe Toledo tirou um 6.13, subiu seu total para 12.50 e diminuiu ainda mais a desvantagem. Nos segundos finais, Liam O’Brien controlou o relógio e a vantagem para ficar com a caga nas oitavas de final. 

Alex Ribeiro é superado por australiano

Alex Ribeiro disputou uma das vagas nas oitavas de final da etapa do Mundial de surfe contra Conner Coffin, dos Estados Unidos. Na disputa, o surfista do Brasil foi melhor no começo e abriu uma vantagem, com 6.66 contra 2.37. Atrás na disputa, Coffin foi buscando encurtar a diferença onda por onda, até confirmar a virada. 

Com uma série de manobras fortes, o surfista americano conquistou um 7.17, chegou em 10.04 e assumiu a ponta. Na sequência, Alex Ribeiro fez um 5.43 em uma onda com duas manobras e chegou em 10.70, voltando para a ponta.

Nos minutos finais, Conner Coffin voltou para a liderança. Com um 3.93, o australiano chegou em 11.10. Nos últimos segundos, Alex Ribeiro teve a chance de virar, mas acabou caindo na última manobra e foi eliminado da competição.

Mais em Surfe

viagra