Siga o OTD

Surfe

Dobradinha: Silvana e Filipinho são campeões em Trestles

WSL: Sean Rowland
Silvana Lima e Filipe Toledo vencem a etapa de Trestles, quebrando inúmeros tabus.

O Brasil está, definitivamente, no topo do mundo do surfe. Na tarde desta sexta-feira (15), o país conseguiu a primeira “dobradinha” na história do circuito mundial. Pelo masculino, Filipe Toledo superou o sul-africano líder do ranking mundial, Jordy Smith, na final. Já no feminino, Silvana Lima voltou a vencer uma etapa após 7 anos. Também foi a primeira vez que um brasileiro(a) venceu a etapa de Trestles do CT, tanto no masculino, quanto no feminino.

Inúmeros jejuns quebrados. A etapa de Trestles era a única que nunca um brasileiro havia vencido em nenhuma categoria, desde sua entrada no CT. Aos gritos de “Uh, uh, é dobradinha” da torcida presente na praia, Silvana e Filipinho deram um abraço emocionados após a bateria do menino de Ubatuba. Era um feito inédito para o Brasil, que talvez poucos saibam, mas por pouco não aconteceu.

Silvana teve que vender seu carro, seu cachorro e competiu sem patrocínio master nos últimos tempos. Ela foi guerreira para seguir competindo. Bancou as viagens por conta própria, mas só havia vencido duas baterias no CT este ano. O choro após a vitória sobre a australiana não foi à toa. Muito se passou nos últimos 7 anos. Muita coisa que poderia fazê-la desistir.

WSL: Silvana e Filipinho se abraçam antes da final.

Os dois brasileiros destruíram no campeonato

Silvana venceu suas adversárias com enorme facilidade. Ela abusou das rasgadas, do seu power surf e até mesmo de aéreos (coisa que quase nenhuma mulher do CT consegue fazer) para superar todas. Conseguiu vencer três vezes a hexacampeã mundial Stephanie Gilmore ao longo do torneio. Duas em rounds não eliminatórios e uma nas quartas de final. A final contra Keely Andrew foi extremamente sossegada. Silvana dominou de cabo a rabo, variando manobras e arrancando nota dos juízes.

Filipe Toledo, por sua vez, surfou em casa. Sem dúvidas, a maior torcida do pessoal que estava na praia, foi para ele. Afinal, ele mora na Califórnia.  Na final contra Jordy Smith, Filipe não esperou muito e saiu pegando várias ondas. Estratégia oposta à do seu oponente, que esperou muito e acabou surfando apenas uma nota boa, que foi um 9. O brasileiro surfou tão bem que nem precisou usar os aéreos na final. Ganhou apenas com surfe de borda contra o maior surfista de borda da atualidade. Uma aula!

WSL: Filipinho surfando muito na final.

Como fica agora para Silvana e Filipinho?

Com a vitória, Filipinho entra, definitivamente, na briga pelo título dessa temporada. Ele sobe da 9ª para a 7ª posição e encosta nos líderes. O brasileiro é o único do circuito a conseguir vencer duas competições em 2017. Já Silvana sobe da 15ª para a 13ª posição. Somente as 10 primeiras se qualificam para o CT 2018, mas Silvana já está garantida pela divisão de acesso. É importante ressaltar que só nessa etapa ela ganhou mais baterias do que em todas as outras etapas do ano somadas.

 

RESULTADOS DAS BATERIAS DO FEMININO (Swatch Pro Trestles):

Final:

Silvana Lima (BRA) 17.60 x Keely Andrew (AUS) 10.93

Semifinais:

1: Silvana Lima (BRA) 16.90 x Lakey Peterson (EUA) 15.60
2: Courtney Conlogue (EUA) 13.43 x Keely Andrew (AUS) 13.17

RESULTADOS DAS BATERIAS DO MASCULINO (Hurley Pro Trestles):

Final:

Filipe Toledo (BRA) 15.67 x 9.80 Jordy Smith (AFS)

Semifinais:

Jordy Smith (AFS) 14.33 x 10.17 Adrian Buchan (AUS)

Filipe Toledo (BRA) 14.90 x 12.66 John John Florence (HAV)

Quartas de final:

1. Adrian Buchan (AUS) 15.57 x 15.30 Adriano de Souza (BRA)

2. Jordy Smith (AFS) 17.76 x 16.60 Frederico Morais (POR)

3. John John Florence (HAV) 14.84 x 13.80 Jeremy Flores (FRA)

4. Filipe Toledo (BRA) 15.26 x 11.10 Kanoa Igarashi (EUA)

 

NOVO TOP 10 DO CT MASCULINO 2017:
1º Jordy Smith (AFS) – 45.850
2º John John Florence (HAV) – 43.400
3º Julian Wilson (AUS) – 37.200
4º Matt Wilkison (AUS) – 36.450
5º Owen Wright (AUS) – 35.850
6º Adriano de Souza (BRA) – 34.850
7º Filipe Toledo (BRA) – 34.450
8º Gabriel Medina (BRA) – 30.750
9º Joel Parkison (AUS) – 26.650
10º Connor O’Leary (AUS) 24.700

Classificação completa aqui.

 

NOVO TOP 10 DO CT FEMININO 2017:

1ª Sally Fitzgibbons (AUS) – 45.100
2ª Courtney Conlogue (EUA) – 44.800
3ª Tyler Wright (AUS) – 44.700
4ª Stephanie Gilmore (AUS) – 39.950
5ª Sage Erickson (EUA) – 37.150
6ª Johanne Defay (FRA) – 36.700
7ª Nikki Van Dijk (AUS) – 32.000
8ª Lakey Peterson (EUA) – 31.100
9ª Carissa Moore (HAV) – 31.050
10ª Tatiana Weston-Webb (HAV) – 29.400
13ª Silvana Lima (BRA) – 23.600

Classificação completa aqui.

APOIE O OLIMPÍADA TODO DIA

Desde setembro de 2016, o Olimpíada Todo Dia não deixa você ter saudade dos Jogos nunca. É o único veículo de comunicação que todos os dias traz a trajetória dos atletas olímpicos e paralímpicos, combatendo a monocultura do futebol e na busca de ajudar a mudar a cultura esportiva do Brasil. Gosta do nosso trabalho? Nos apoie! Faça um pix para [email protected]

Outra alternativa para nos apoiar é usando o cupom OTD em compras na Centauro. Com o cupom, você ganha 10% de desconto na compra de equipamentos esportivos e parte do valor será revertido para o Olimpíada Todo Dia. Vale lembrar que os descontos não são cumulativos. Se alguma peça já estiver em oferta, você não conseguirá aumentar o desconto, mas se colocar o cupom OTD, parte do valor vai ajudar o portal do mesmo jeito. Você pode comprar também pela vitrine do OTD no site das Centauro.

Jornalista formada pela Cásper Líbero. Apaixonada por esportes e boas histórias.

Mais em Surfe