Siga o OTD

Rúgbi

Gêmeas da seleção trilham o próprio caminho com força e velocidade

Gêmeas idênticas, Thalia e Thalita Costa são destaque na seleção brasileira de rúgby sevens

Thalia e Thalita começaram no esporte em 2017 e são destaques do Brasil (Rafael Bello/COB)

Gêmeas da seleção trilham o próprio caminho com força e velocidade

Um detalhe chama a atenção de quem tem um olhar mais atento para a seleção brasileira de rúgbi sevens feminina. Thalia e Thalita da Silva Costa, de 23 anos e 1,58m, são irmãs gêmeas. Apesar da semelhança, cada uma delas traz um elemento diferente para a equipe do Brasil. 

“Além de ser muito veloz, uma das maiores qualidades da Thalia é a persistência, é ir sempre em busca do que ela acredita. Enquanto ela estiver de pé, ela vai estar com o time. Eu admiro muito a persistência que ela bota no que faz”, define Thalita.

“A Thalita parece um touro na frente de qualquer pessoa. Todo mundo chega do meu lado e fala: nossa, tua irmã é um touro, é muito forte. Ela defende muito bem, é uma das minhas referências”, disse Thalia.

+ Bruna Takahashi é campeã invicta do Masters da Espanha

Graças à influência da família, as irmãs sempre estiveram no esporte. Por conta da mãe, o começo esportivo se deu pelo atletismo, onde começaram nas corridas de rua e depois passaram para as provas de pista. Por conta disso, chegaram ao rúgbi com a velocidade como grande arma.

Começo no rúgbi

Naturais do Maranhão, as irmãs conheceram o esporte por um amigo e começaram na modalidade no Piauí. Defendendo o Delta, de Teresina, as irmãs de São Luís chamaram a atenção da CBRu (Confederação Brasileira de Rúgbi) quando jogavam o Super Sevens, o campeonato brasileiro da modalidade.

Seleção Brasileira de rúgbi sevens em torneio preparatório para Tóquio
(Divulgação/Rugby Sudamericana)

“Foi o que abriu portas para nós na seleção. Logo que eu cheguei, as pessoas notaram minha velocidade. Em 2018, apareceu a oportunidade de fazer o teste da seleção em São Paulo. Mas antes, já me chamaram para disputar os Jogos Sul-americanos de Cochabamba. Foram muito bons jogos e tivemos 100% de aproveitamento. Assim que eu voltei, já assinei o contrato e fiquei em São Paulo até hoje”, comentou Thalita.

+ Ítalo Ferreira se prepara para Tour de 2021 e vê evolução

Quando uma das irmãs ficou em São Paulo, as gêmeas foram separadas pela primeira vez na vida, mas a distância durou pouco. “Nunca almejei ser convocada. Quando me chamaram e eu soube que eu ia poder ficar perto dela, foi uma das maiores realizações da minha vida. Parece que eu sempre sigo os passos dela”, completou Thalia. 

Treinamentos visando Tóquio 

A seleção brasileira de rúgbi sevens feminina está garantida nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2021. Por conta disso, a equipe e sua comissão técnica desembarcou em Portugal para um período de treinamentos, fazendo parte com isso da Missão Europa do COB (Comitê Olímpico do Brasil). 

Seleção Brasileira de rugby sevens 1
Seleção Brasileira de rúgbi sevens treina em Portugal (Divulgação COB)

“É uma oportunidade muito grande pro time se conectar novamente. É muito importante o COB e a CBRu estarem nos dando a chance de treinar e evoluir como um time para as competições que estão vindo. Ficamos muito agradecidas. Sabemos que é uma oportunidade para poucos. Espero que a gente aproveitar para evoluir juntos, se conectar como time e crescer dentro de campo”, analisou Thalia. 

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM E NO FACEBOOK 

“Sempre quis uma chance para mostrar o que eu posso fazer, que sou tão boa quanto qualquer uma que esteja aqui. Quando saiu a convocação, eu falei: esse é meu momento e agora eu tenho que mostrar que eu mereço estar aqui. É um desafio pessoal e vou agarrar essa oportunidade com unhas e dentes”, contou Thalita.

Mais em Rúgbi