Siga o OTD

“Contra a maré”, Time Nissan 2.0 surgiu no embalo do sucesso da Rio-2016

O Desafio

“Contra a maré”, Time Nissan 2.0 surgiu no embalo do sucesso da Rio-2016

Após o sucesso na experiência com o Time Nissan 1.0 nos Jogos Rio-2016, a montadora japonesa decidiu criar a versão 2.0 para continuar o apoio até Tóquio

Diferente de muitas marcas, que costumam apoiar os atletas no ano de Jogos e depois desaparecem, a Nissan, depois do sucesso do primeiro time, formado em 2012 e que seguiu até a Rio-2016, decidiu manter o patrocínio com foco na Olimpíada e na Paralimpíada de Tóquio-2020.

“Quando nós encerramos o primeiro ciclo do Time Nissan no fim de 2016, como previsto, começamos a avaliar e decidimos então continuar”, conta Rogério Louro, diretor de comunicação da montadora japonesa no Brasil. “O segundo ciclo do Time Nissan foi pensado num time um pouco mais reduzido pelo momento que estava acontecendo em geral”, explica o diretor de marketing, Humberto Gómez.

+VEJA OS OUTROS EPISÓDIOS DO DOCUMENTÁRIO “O DESAFIO”

Da primeira edição do Time Nissan, mesmo aposentado da natação paralímpica, Clodoaldo Silva foi mantido como mentor. Junto com ele, os olímpicos Ana Marcela Cunha, da maratona aquática, Renato Rezende, do BMX, e Ygor Coelho, do badminton, e os paralímpicos Jane Karla, do tiro com arco, Susana Schnarndorf, da natação, e Caio Ribeiro, da canoagem velocidade, foram os remanescentes. Aos sete, se juntaram talentos como Ágatha e Duda, do vôlei de praia, e Hugo Calderano, do tênis de mesa, além de Petrúcio Ferreira e Verônica Hipólito, do atletismo paralímpico.

“A Nissan nadou contra a correnteza, continuou com o projeto a longo prazo e essa família permaneceu porque muitos atletas que eram do antigo time continuaram e vieram atletas novos para poder dar esse gás para que a gente pudesse conhecer mais de perto. Por isso que o Time Nissan, além de ser uma equipe de grandes atletas, de alto rendimento, é uma grande família”, acredita Clodoaldo Silva.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBETWITTERINSTAGRAMFACEBOOK E TIKTOK

Medalhista de prata na Rio-2016, Ágatha chegou ao Time Nissan em 2017 junto com sua parceira Duda e se sentiu abraçada. “O legal é que, falando assim da empresa e dos funcionários, todo mundo já estava ambientado com essa ideia de ter atletas representando a marca. Eu me senti super bem recebida, tanto pelos atletas como pelos funcionários e pela empresa em si”, conta a jogadora de vôlei de praia. “Foi um presente entrar nesse time. É uma energia tão incrível que eu não sei descrever. É uma união muito grande com um ajudando o outro, um querendo empolgar o outro e dar força também. É uma energia que não tem igual”, completa Duda.

“A gente brinca que a gente não tem um patrocinador, a gente tem uma família. A gente sempre está no grupo de WhatsApp dos atletas sempre trocando ideias e experiências. Cada um mostra como superou essa dificuldade para estar incentivando e apoiando outros atletas que estão passando por dificuldades parecidas que a gente já vivenciou e conseguiu superar. A uinião que faz a força”, destaca Petrúcio Ferreira, o paralímpico mais rápido do mundo, que treina em João Pessoa, e considera fundamental para a evolucão dele o Kicks oferecido pela Nissan, entre outras coisas, para cada atleta.

“Até 2017, eu não tinha transporte algum para ir para o treino e precisava pegar ônibus e tudo mais. Então, eu tinha um dia desgastante pelo fato de precisar pegar dois ônibus para chegar até o local do treino”, conta o paraibano de São João do Brejo da Cruz. “No esporte, esse tipo de apoio e patrocínio faz toda a diferença para todos nós”, completa Hugo Calderano

Mais em O Desafio