Siga o OTD

Laguna Olímpico

Carol Solberg termina semana polêmica com aliada inesperada

Senadora Leila Barros (PSB-DF), que foi medalhista olímpica com o vôlei, criticou punição aplicada à Carol Solberg pelo STJD da CBV

Carol Solberg vôlei de praia
Carol Solberg em ação na segunda etapa do Circuito Brasileiro, em Saquarema (Ana Patrícia/Inovafoto/CBV)

Na semana mais tensa de sua carreira, quando encarou um julgamento que na prática a proibiu de se manifestar politicamente, Carol Solberg viu aparecer uma aliada de onde menos esperava. A ex-jogadora Leila Barros, medalhista olímpica de bronze com a seleção feminina de vôlei em Atlanta-1996 e Sydney-2000, se posicionou contra a advertência dada à jogadora do vôlei de praia.

O STJD da CBV (Confederação Brasileira de Vôlei) avisou no julgamento da última terça-feira (13) que ela não poderá mais fazer uma nova manifestação como a que fez na primeira etapa do Circuito Brasileiro de vôlei de praia, em setembro, quando gritou “Fora, Bolsonaro” após a decisão do terceiro lugar.

+ O blog está no Twitter. Clique e siga para acompanhar
+ Curta a página do blog no Facebook
+ O blog também está no Instagram. Siga

Só que a decisão dos jurados do STJD em aplicar uma punição de R$ 1000,00 convertida em “advertência” com teor educativo não foi bem digerido por Leila, que também é senadora pelo PSB-DF. Ao site “Congresso em Foco”, a ex-jogadora disse que era contra a decisão do tribunal da CBV.

Leila Barros defende Carol Solberg
A senadora e ex-jogadora de vôlei Leila Barros, que saiu em defesa de Carol Solberg (Jefferson Rudy/Agência Senado)

“Não concordo com a punição, mesmo que tenha sido revertida para uma advertência. O país inteiro assistiu a atletas do vôlei fazendo campanha para o mesmo governo que foi criticado pela Carol Solberg. Está na hora de o esporte brasileiro se aprofundar sobre este tema e debater um mecanismo que estabeleça um equilíbrio”, disse a senadora Leila Barros. Ela já foi também secretária de Esportes e Lazer do Distrito Federal.

LEIA TAMBÉM:

+ CBV e Comissão de Atletas não entendem o que é democracia
+ CBV e seu tribunal promovem uma Inquisição a Carol Solberg

A defesa de Leila para Carol Solberg teve como justificativa a manifestação dos jogadores Wallace e Mauricio Souza durante o Campeonato Mundial de 2018. Após uma vitória da seleção brasileira masculina, eles fizeram alusão ao número que o então candidato Jair Bolsonaro usou na campanha presidencial daquele ano.

A doce ironia de tudo isso é que Leila Barros é casada com Emanuel Rêgo, campeão olímpico do vôlei de praia em Atenas-2004. Emanuel também é o presidente da comissão de atletas do vôlei na CBV.

Foi ele quem assinou uma nota oficial bizarra na qual criticava a atitude de Carol Solberg. O presidente de uma entidade que teoricamente existe para defender o atleta criticando, vejam vocês, uma atleta!

Deve ter sido engraçado o jantar do casal Leila e Emanuel em casa, conversando sobre essa, digamos, divergência ideológica.

Mais em Laguna Olímpico