Siga o OTD

Mayra Aguiar

Judô

Com Mayra Aguiar de volta, Brasil é convocado para o Mundial

Após operação no joelho, Mayra Aguiar volta para as competições em último teste antes dos Jogos Olímpicos

(Instagram/timebrasil)

Com Mayra Aguiar de volta, Brasil é convocado para o Mundial

Na tarde desta terça-feira (12), a Confederação Brasileira de Judô anunciou a convocação para o Campeonato Mundial de judô, que acontece na Hungria, entre os dias 6 e 13 de junho e é a última competição que soma pontos para o ranking olímpico. A grande novidade da lista é a volta de Mayra Aguiar para uma competição oficial. A juduco estava afastada das lutas desde a sua cirurgia no joelho.

Além de marcar o retorno de Mayra Aguiar, o Mundial de judô da Hungria é a última chance dos atletas somarem pontos para o ranking olímpico. No caso do Brasil, existem judocas que buscam se afirmar dentro do grupo de classificados para os Jogos Olímpicos de Tóquio, atletas que precisam entrar na zona de classificação e categorias que dois lutadores estariam se classificando e precisam dos pontos da competição em Budapeste para vencer a disputa interna do país, já que na disputa da modalidade na Olimpíada são permitidos apenas um representante de cada país.

“Apesar das incertezas e desafios gerados pelo contexto da pandemia, a CBJ, em parceria com o COB, conseguiu oferecer aos atletas condições de treinamento em ambiente controlado em Pindamonhangaba, além de treinamentos de campo com europeus no Kosovo, na Geórgia e, agora, na Rússia, onde estamos treinando com as seleções do Azerbaijão, Japão, Cazaquistão e Grécia. Os resultados mais recentes, como os quatro pódios no Grand Slam de Tbilisi e os cinco pódios no Grand Slam de Kazan, mostram nossa evolução e indicam que o planejamento está no caminho certo. Esperamos alcançar nossos objetivos nesse Mundial. Queremos melhorar o ranking das categorias que ainda estão fora da zona de classificação olímpica e definir as disputas internas pelas vagas do Brasil”, explicou Ney Wilson Pereira, gestor de Alto Rendimento da CBJ. 

Equipe feminina

Após assustar o mundo do judô brasileiro ao ter que operar o joelho por uma lesão ligamentar, Mayra Aguiar voltará a lutar. Recuperada, a brasileira é uma das nove atletas que representará o Brasil no Mundial de judô, que acontecerá em Budapeste. Além de Mayra, a delegação brasileira terá Gabriel Chibana, Larissa Pimenta, Ketelyn Nascimento, Ketlyn Quadros, Aléxia Castilhos, Maria Portela, Maria Suelen Altherman e Beatriz Souza.

Na lista de atletas convocadas para o Mundial de judô, temos alguns pontos a se destacar. Mesmo afastada dos tatames desde o fim de 2020, Mayra Aguiar segue bem colocada no ranking olímpico e deve se classificar para os Jogos OIímpicos. Já em outras três categorias, os pontos da competição na Hungria são de extrema importância.

+SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM E NO FACEBOOK

Na disputa até 48kg, Gabriela Chibana é a 24ª colocado no ranking mundial e estaria classificada para os Jogos Olímpicos. Contudo, como só se garantem de forma direta as 25 primeiras, a brasileira precisa de um bom resultado para se garantir no Japão. Já na categoria até 57kg, o Brasil vive uma situação ainda mais complicada. Com a suspensão por doping de Rafaela Silva, a melhor judoca do país classificada no ranking olímpico é Ketelyn Nascimento. Contudo, como a atleta é a 33ª colocada, ela precisa de um bom resultado no Mundial de judô para subir e tentar se classificar para os Jogos Olímpicos.

Na categoria acima de 78kg, a mais pesada do judô feminino, o Brasil tem um excelente cenário. Maria Suelen Altherman e Beatriz Souza estão na quinta e sexta colocação no ranking mundial. Contudo, como só se classifica uma das atletas para Tóquio, a disputa interna entre as duas segue forte e faz com que a competição que fecha a classificação olímpica seja extremamente importante.

Equipe masculina

Entre a equipe masculina convocada para o Mundial de judô, não temos surpresa. Entre os nove convocados para a competição, a CBJ levará o melhor classificado no ranking em cada uma das categorias e, em duas delas, vão dois atletas que brigam internamente pela vaga. Com isso, o Brasil chegará na Hungria com Eric Takabatake, Daniel Cargnin, Eduardo Barbosa, Eduardo Yudy, Rafael Macedo, Rafael Buzacarini, Leonardo Gonçalves, Rafael Silva e David Moura.

Assim como acontece no feminino, para os homens o mundial também terá um importância maior em algumas categorias. Eduardo Barbosa, que atualmente é o 35º colocado no ranking mundial, precisa somar pontos para subir no ranking e conseguir se garantir entre os 25 judocas que se classificam de forma direta.

Eduardo Yudi hoje é ao 23º colocado do ranking mundial e está se classificando pela cota continental para o Japão. Contudo, o Mundial por fazer com que o brasileiro suba ainda mais na ordem dos classificados. Já nas duas categorias mais pesadas da modalidade, até 100kg e acima de 100kg, o Brasil tem duas disputas internas em busca da vaga. Na primeira, Rafael Buzacarini e Leonardo Gonçalves estão dentro do zona que garante a vaga para Tóquio, mas como só é permitido um atleta por país disputam entre si a chance estar na Olimpíada.

Já na categoria acima de 100kg, como já aconteceu em anos anteriores, Rafael Silva, o Baby, e David Moura duelam competição a competição pela melhor classificação possível visando os Jogos Olímpicos de Tóquio. Atualmente, Rafael é o sétimo colocado e David é o 11º.

Critérios para a convocação

Para o Mundial, a CBJ usou como critério o ranking mundial. Cada país pode inscrever, no máximo, 9 atletas mulheres e 9 atletas homens. Dessa forma, foram chamados os melhores brasileiros em todas as 14 categorias. Para as dobras, foram selecionados os dois melhores do Brasil por pontos por gênero.

Mais em Judô