Siga o OTD

seleção brasileira judô treinos brasil budapeste pindamonhangaba World Masters Doha Catar

Judô

Seleção já está concentrada visando o World Masters

Competição é uma das mais importantes do Circuito Mundial e abre o ano olímpico do Judô. Disputa acontece nos dias 11, 12 e 13 de janeiro

(Lara Monsores/CBJ/arquivo)

Seleção já está concentrada visando o World Masters

A seleção brasileira de judô se apresentou na segunda-feira (4) em Pindamonhangaba, São Paulo, para período de concentração visando ao World Masters de Doha, no Catar. A competição abre o calendário do circuito mundial de 11, 12 e 13 de janeiro e é reserva apenas os 36 melhores do ranking mundial em cada categoria.

O World Masters de Doha é a segunda competição que mais dá pontos no ranking mundial, base da corrida olímpica,. São 1,8 mil para o campeão, perdendo apenas para os 2 mil do Mundial.

Normalmente, o torneio acontece no final de cada temporada, mas por conta da pandemia do novo coronavírus a disputa foi realocada para o início do ano no Catar.

A seleção brasileira de judô levará 18 atletas, sendo doze no masculino e mais seis no feminino. Haverá pelo menos um representante em todas as categorias masculinas e, nas femininas, em quarto de sete.

Todo mundo bem

“O evento é de extrema importância, porque é de pontuação muito alta. Só a participação já vale 200 pontos. E é o único 100% confirmado para 2021 até agora”, diz Ney Wilson Pereira, gestor de Alto Rendimento da Confederação Brasileira de Judô. “Eles se apresentaram em Pinda muito bem, no peso, tranquilos. Cumpriram o treinamento no período de festas na medida em que entenderam a importância do evento.”

+ Seleção brasileira volta a treinar de olho no World Masters

Além do Masters, a expectativa é de que o Circuito Mundial de 2021 conte ainda com outras competições, como os grand slams de Tel Aviv e Paris, dando 1 mil pontos cada para os campeões, o Campeonato Pan-Americano (700 pontos) e o Mundial de Budapeste (2 mil pontos). Seriam, portanto, mais 4,7 mil pontos em jogo para quem sonha com a vaga olímpica em Tóquio.

+ SIGA O OTD NO FACEBOOKINSTAGRAMTWITTER E YOUTUBE

“Esperamos que o calendário se confirme. Mas, é de degrau em degrau. O que temos na mão é o World Masters. Temos que fazer o melhor nessa competição”, conclui Ney Wilson.

Brasil no Masters de Doha (Catar)

Feminina

52kg: Larissa Pimenta (8º) – Atleta do Time Ajinomoto
63kg: Ketleyn Quadros (10º)
63kg: Aléxia Castilhos (20º)
70kg: Maria Portela (12º)
+78kg: Maria Suelen Altheman (2º)
+78kg: Beatriz Souza (6º)

Masculina

60kg: Eric Takabatake (10º)
60kg: Phelipe Pelim (32º)
60kg: Felipe Kitadai (36º)
66kg: Daniel Cargnin (6º)
66kg: Willian Lima (28º) – Atleta do Time Ajinomoto
73kg: Eduardo Katsuhiro Barbosa (29º) – Atleta do Time Ajinomoto
81kg: Eduardo Yudy Santos (18º)
90kg: Rafael Macedo (14º)
100kg: Rafael Buzacarini (12º)
100kg: Leonardo Gonçalves (19º)
+100kg: Rafael Silva (6º)- Atleta do Time Ajinomoto
+100kg: David Moura (9º)

Mais em Judô