Siga o OTD

Chiaki Ishii, do judô

Planeta Ippon

Chiaki Ishii definitivamente entre os imortais do esporte brasileiro

Primeiro medalhista olímpico e mundial do judô brasileiro é também o pioneiro da modalidade a entrar no seleto grupo de grandes lendas dos esporte brasileiro

Ishii, o quarto da esquerda para a direita (Alexandre Loureiro/COB)

Chiaki Ishii definitivamente entre os imortais do esporte brasileiro

O medalhista olímpico do judô brasileiro Chiaki Ishii foi imortalizado no Hall da Fama do COB durante o Prêmio Brasil Olímpico, a festa de gala do esporte olímpico nacional realizada na terça-feira (10) no Rio de Janeiro.

Primeiro medalhista olímpico e mundial do judô brasileiro, Chiaki Ishii foi também o pioneiro da modalidade a entrar no seleto grupo de grandes lendas dos esporte brasileiro.

A indicação da Confederação Brasileira de Judô foi aceita e aprovada pelo colegiado do Hall da Fama e, aos 78 anos, o medalhista de bronze nos Jogos de Munique 1972 foi pessoalmente receber a homenagem.

Chiaki Ishii imortalizado no Hall da Fama do COB
Ishii, o quarto da esquerda para a direita (Alexandre Loureiro/COB)

“É uma honra receber esta homenagem. Agradeço ao COB e a CBJ, especialmente aos presidentes Paulo (Wanderley) e Silvio (Acácio Borges), que proporcionaram esse momento emocionante, um dos dias mais felizes da minha vida”, disse Chiaki Ishii em julho, quando marcou suas mãos no mural do Hall da Fama.

Neste ano, entraram para o Hall da Fama, além do sensei Ishii, Guilherme Paraense (tiro esportivo), Joaquim Cruz (atletismo), João do Pulo (atletismo), Magic Paula (basquete) Maria Lenk (natação), Sylvio de Magalhães Padilha (atletismo), Hortência Marcari (basquete), Bernardinho e Zé Roberto Guimarães (vôlei).

+ INSCREVA-SE NO NOSSO CANAL NO YOUTUBE

Mayra Aguiar

Com ouro inédito no Pan e sexta medalha em Mundial, Mayra Aguiar levou o prêmio de judoca do ano no Prêmio Brasil Olímpico.

Mayra registrou mais uma temporada de resultados constantes coroada pelo ouro inédito nos Jogos Pan-Americanos de Lima e pelo bronze no Campeonato Mundial de Tóquio.

Concentrada na China para lutar o World Masters, em Qingdao, no próximo sábado, a meio-pesado da seleção brasileira e da Sogipa não pôde comparecer à festa do PBO.

Em 2017, após conquistar o bicampeonato mundial, Mayra foi eleita a atleta do ano no PBO, título que ficou para outra atleta de esportes de combate neste ano, Beatriz Ferreira, campeã mundial no Boxe. No masculino, o melhor atleta foi o ginasta Arthur Nory, campeão mundial também em 2019.

Mais em Planeta Ippon