Siga o OTD

Pan 2019

Andressa de Morais é a segunda brasileira a testar positivo

Atleta do lançamento de disco pode ficar sem a prata e o recorde obtidos no Pan de Lima; caso ainda é mantido em sigilo

©Wander Roberto/COB

Andressa de Morais é a segunda brasileira a testar positivo

Ao longo desta quarta-feira (28), o ciclista Kacio Freitas foi flagrado no exame antidoping dos Jogos Pan-Americanos de Lima 2019. Pelas redes sociais, ele confirmou a situação e quer provar a inocência. Horas depois, Andressa de Morais, do lançamento de disco, também testou positivo e pode perder a medalha de prata e o recorde obtidos na competição, como relevou o Blog Olhar Olímpico, do UOL.

De acordo com a publicação, o COB foi notificado na última terça-feira (27). Além disso, a entidade trata a situação de maneira sigilosa junto à PanAm Sports, organizadora do maior evento esportivo das Américas. Ainda não houve a solicitação da segunda amostra.

Em fases preliminares, os atletas têm a chance de comprovar que houve erro nos resultados dos exames através da contraprova. Caso contrário, a polêmica pode se tornar pública. Andressa de Morais, no entanto, ainda não teve essa oportunidade, como completa o Olhar Olímpico.

Nos Jogos Pan-Americanos, a brasileira arremessou 65,98m para faturar a medalha de prata no torneio, atrás apenas da cubana Yaime Pérez (66,58m), que levou a melhor na última rodada. Se o doping for comprovado, Andressa cederia a medalha para a compatriota Fernanda Borges. O recorde sul-americano, no entanto, não seria computado.

A paraibana, que representa o Esporte Clube Pinheiros, continua na listagem do Troféu Brasil de Atletismo, que será disputado a partir de amanhã, em Bragança Paulista, cidade paulista. Aos 28 anos, Andressa de Morais é um dos grande nomes do Brasil na modalidade, sendo também forte candidata na corrida por medalhas no Campeonato Mundial de Doha e nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

Mais em Pan 2019