Siga o OTD

Paulo Wanderley presidência COB Comitê Olímpico do Brasil

COB

Paulo Wanderley comemora três anos na presidência do COB

Reeleito recentemente, mandário aponta Tóquio 2020, Programa GET e Comissão de Atletas como prioridades para o próximo quadriênio

Paulo Wanderley comandará o COB no quadriênio de 2021 a 2024 (Miriam Jeske/COB)

Paulo Wanderley comemora três anos na presidência do COB

Poucos dias após ser reeleito para a presidência do COB ao lado do vice Marco La Porta, para o próximo quadriênio (2021-2024), Paulo Wanderley completou três anos à frente da entidade, no domingo (11).

“Neste primeiro ciclo, o objetivo foi resgatar a reputação do COB. Agora é o momento de pensarmos no futuro. Quando me candidatei à presidência, buscava uma evolução ainda maior do COB e do esporte brasileiro. Esse é o nosso compromisso nos próximos quatro anos”, afirma o presidente do COB, Paulo Wanderley.

A gestão da presidência reafirma que austeridade, meritocracia e transparência, chamada de “três pilares da administração” anterior, iniciada em outubro de 2017, seguirão como prioridade. Paulo Wanderley diz que um dos principais objetivos é refinar o programa GET (Gestão, Ética e Transparência).

Tóquio 2020

No âmbito esportivo, o foco, como não poderia deixar de ser, está em Tóquio 2020 e a campanha histórica nos Jogos Pan-americanos de 2019 é um norte. Em Lima, o Time Brasil bateu recorde de pódios (169) e medalhas de ouros (54), e fechou em segundo lugar na classificação geral

Além disso, no ano passado atletas e equipes brasileiros conquistaram 22 medalhas em Campeonatos Mundiais ou competições equivalentes, o melhor resultado de todos os tempos em um ano pré-olímpico.

“Daremos continuidade à preparação que já vem sendo feita. Nosso planejamento está bem definido e ofereceremos as melhores condições possíveis para que nossos atletas obtenham grandes resultados em Tóquio”.

Combate a abusos

Outro ponto envolve políticas de prevenção e combate aos diferentes tipos de abuso e assédio, além do enfrentamento ao racismo.

O COB informa que tornou obrigatória a realização do Curso de Prevenção e Enfrentamento do Assédio e Abuso no Esporte, lançado em março deste ano, pelos integrantes da delegação brasileira que participarão dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Em 2021, está previsto também o lançamento do Programa de Prevenção e Enfrentamento do Racismo no Esporte.

“Não vamos abrir mão de discutir temas sensíveis da sociedade. Demos ótimos exemplos na questão da igualdade de gênero, sendo reconhecidos pelo COI por nossas iniciativas”, diz Paulo Wanderley, referindo-se à premiação Women and Sport 2020, uma homenagem do COI às organizações e pessoas que contribuíram para o desenvolvimento e incentivo da participação de mulheres no esporte, da qual o COB foi finalista.

Comissão de Atletas

A Comissão de Atletas terá, de acordo com o COB, terá seis novos membros, chegando a 25, sendo 19 com direito a voto na próxima Assembleia. Além disso, a comissão passará a ter orçamento próprio, maior apoio jurídico, financeiro e de comunicação.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM E NO FACEBOOK

“Devolvemos valor à marca COB, agora estamos prontos para colher os frutos. Daremos continuidade às parcerias estratégicas, que tanto conferem valor como monetizam o Movimento Olímpico brasileiro. Mesmo diante de tantas incertezas, fomos capazes de trazer R$11 milhões em novos recursos para o COB nos últimos três anos. E temos convicção que o melhor está por vir”, finaliza Paulo Wanderley.

Mais em COB