Siga o OTD

Marlene foi personagem histórica do basquete brasileiro

Basquete

Morre Marlene, ex-capitã da seleção feminina de basquete

Atleta liderou o time histórico do Brasil que conquistou o bronze no Mundial de 1971 e cinco medalhas no Pan

Marlene foi personagem histórica do basquete brasileiro (Twitter/basquetebrasil)

Morre Marlene, ex-capitã da seleção feminina de basquete

Morreu nesta terça-feira (27), aos 82 anos, a ex-capitã da seleção brasileira feminina de basquete, Marlene José Bento. Pivô do Brasil durante as décadas de 60 e 70, a atleta liderou uma geração vitoriosa da modalidade no país. Foi capitã do elenco que contava com nomes como Maria Helena, Heleninha, Nilza e Norminha. Marlene conquistou cinco medalhas em Jogos Pan-Americanos (bronze em 1955, prata em 1959 e 1963 e o ouro em 1967 e 1971).

+ Websérie mostra preparação de Ana Marcela Cunha para Tóquio

Além dos pódios em Pan-Americanos, Marlene fez parte da histórica conquista da medalha de bronze no Campeonato Mundial de 1971, disputado em São Paulo.

“Nosso abraço fraterno em seus familiares e agradecimento mais uma vez por tudo que fez pelo nosso basquete. Descanse em paz, nossa capitã!”, publicou a CBB (Confederação Brasileira de Basquete).

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NOINSTAGRAM E NO FACEBOOK

Durante a sua carreira como a jogadora, Marlene defendeu clubes tradicionais como Flamengo e Botafogo, antes de se mudar para São Caetano do Sul, onde atuou por seis anos. Passando a morar na cidade paulista após a aposentadoria, a ex-atleta se tornou professora e dá nome a um ginásio na cidade.

Marlene foi uma das primeiras treinadoras de Hortência Marcari, uma das maiores jogadoras da história do basquete brasileiro. “Ela quem falou de mim para o meu primeiro técnico, o Waldir Pagan. A primeira escolinha foi com ela. A primeira a me dar a bola foi na aula de Educação Física foi a professora Mitsuko. Mas quando entrei na escolinha de São Caetano, a técnica, a professora, foi a Marlene”, disse Hortência ao “ge.globo”

Mais em Basquete