Siga o OTD

Basquete

Após boicote, NBA volta sábado e traz eleição dos EUA junto

Playoffs da NBA voltam sábado após reunião definir participação efetiva das franquias e da liga nas eleições dos EUA

LeBron James Playoffs NBA volta
LeBron James, uma fera dentro e fora das quadras (twitter/Lakers)

Após dois dias de boicote, está confirmada para sábado (29) a volta dos Playoffs da NBA. Em reunião entre jogadores, treinadores e representantes das equipes e da liga, ficou definida, além da data da retomada, que as eleições presidencias do Estados Unidos vão “entrar em quadra”.

Os Playoffs da NBA foram interrompidos na quarta-feita (26) após os jogadores do Milwaukee Bucks se recusarem a jogar. Eles se revoltaram contra mais um episódio de violência policial contra negros nos Estados Unidos, desta vez no estado de Wisconsin, onde localiza-se a cidade de Milwaukee.

O jogo seria contra o Orlando Magic, a quinta partida entre ambos pela primeira rodada da série melhor de sete. Logo os adversários também recusaram-se a jogar, o boicote ganhou força e nenhum atleta entrou em quadra naquela noite e também na de quinta (27). O boicote espalhou-se para toda a WNBA, a liga feminina, e chegou a jogos da liga de beisebol (MLB), futebol (MLS), hóquei no gelo (NHL) e até no tênis.

boicote playoffs nba
Quadra vazia minutos antes de Bucks x Magic na quarta-feira (divulgação/NBA)

Volta com a eleição dos EUA no foco

A retomada dos Playoffs da NBA foi condicionada ao entendimento de que a liga trabalhará em conjunto com os atletas para cumprir três principais compromissos. Todos envolvem as eleições nos Estados Unidos, marcadas para 3 de novembro, entre o atual presidente Donald Trump, do Partido Republicano e notório crítico da luta pela igualdade racial, e Joe Biden, do Partido Democrata.

A questão racial está no centro do debate político atual, mais ainda depois que o movimento Black Lives Matter tomou grandes proporções. Pelas redes sociais, LeBron James, o maior nome da liga, constantemente encoraja as pessoas a participarem das eleições, por exemplo. Mas não é só ele.

Em entrevista marcante na segunda (22), usando uma máscada com a palavra “vote”, o treinador Doc Rivers, do Los Angeles Clippers, também um dos grandes personagens do basquete, foi outro que abordou o tema.

“Assistindo à convenção republicana, eles ficam vomitando esse medo. Tudo o que você ouve do Donald Trump, todos eles falando de medo”, disse, referindo-se ao discurso dos partidários de Trump de que o movimento de protesto traz o caos ao país, mesmo sendo pacífico por parte dos manifestantes.

“Nós somos os que estão sendo mortos, somos nós que estamos sendo baleados, nós que estamos sendo impedidos de viver em certas comunidades. Fomos enforcados, alvejados e só o que ouvimos é sobre medo”, acrescentou Rivers, visivelmente emocionado e com a voz embargada.

Donald Trump volta Playoffs da NBA boicote
“Traremos segurança para nossas cidades (…), seremos solidários com homens e mulheres da aplicação da Lei”, diz Trump para policiais de Nova York (twitter/realDonaldTrump)

Engajamento com a eleição

O primeiro ponto acordado para a volta da NBA após o boicote é estabelecer um pacto pela justiça social envolvendo representantes dos atletas, técnicos e franquias. Eles irão focar em uma série de temas, com destaque para ampliar o acesso ao voto, promoção do engajamento cívico e a defesa de uma reforma significativa da polícia e da justiça criminal nos Estados Unidos.

Além disso, em todas as cidades onde as franquias da liga possuem e controlam arenas, os administradores terão de continuar a trabalhar com autoridades eleitorais locais para disponibilizar instalações como locais de votação para as eleições de 2020, permitindo opção de voto pessoal seguro para comunidades vulneráveis ao Covid-19.

+ ‘Levante a bola delas’: atletas e LBF se unem por mais apoio

Caso não dê mais tempo para tal, os representantes das equipes trabalharão com as autoridades para encontrar outras formas de uso das instalações, como por exemplo registro de eleitores e ou recebimento de cédulas.

O terceiro ponto diz que a NBA deverá trabalhar com atletas e parceiros para criar e incluir anúncios em cada jogo dos Playoffs da NBA, dedicados a estimular e promover maior engajamento cívico nas eleições nacionais e locais, a fim de aumentar a conscientização sobre o acesso e as oportunidades dos eleitores.

Playoffs da NBA

Superado, pelo menos por hora, o boicote, a volta dos Playoffs da NBA deverá ser repleto de ações e manifestações antirracistas. Vale lembrar que a temporada, na bolha de Orlando, o assunto é recorrente. Na quadra há a frase Black Lives Matter, ou Vidas Negras Importam, destacada. Ela também aparece na camisa dos atletas, bem como outras ligadas à luta contra o racismo e ao estímulo ao voto.

+ ‘Levante a bola delas’: atletas e LBF se unem por mais apoio

Os jogadores costumam ajoelhar quando o hino dos Estados Unidos toca, sempre antes das partidas, muitos com o punho cerrado para cima. Manifestações imortalizadas tanto pelos Panteras Negras, combatentes do racismo na segunda metade do século passado, quanto pelo jogador de futebol americano Colin Kaepernick alguns anos atrás.

colin kaepernick
Kaepernick (7) e Eric Reid em protesto durante na NFL (instagram/kaepernick7)

Na volta às quadras, os Bucks, vão enfrentar os Magic pela quinta rodada da primeira fase dos Playoffs da NBA. Eles estão vencendo a série melhor de sete por 3 a 1.

A rodada tem ainda Los Angels Lakers, de LeBron James, contra Portland Trail Blazers (3 a 1); Houston Rockets x Oklahoma City Thunder (2-2); Dallas Mavericks x Los Angeles Clippers (3-2) e Denver Nuggets x Utah Jazz (2-3).

 Playoffs NBA volta

Mais em Basquete