Siga o OTD

Emanoel Victor e Izabella Campos seletiva paralímpica de atletismo

Atletismo

Emanoel Victor e Izabella Campos batem índice na segunda fase de seletiva

Emanoel Victor e Izabella Campos alcançam índices no primeiro dia de segunda fase da seletiva paralímpica do atletismo

(Alê Cabral/CPB)

Emanoel Victor e Izabella Campos batem índice na segunda fase de seletiva

O primeiro dia da Segunda Fase de Treinamento da seletiva paralímpica do atletismo terminou com dois atletas com índice para os Jogos Paralímpicos de Tóquio. Nesta terça-feira, 15, os atletas de meio fundo e campo competiram pela manhã e à tarde foi a vez dos saltadores. Ao todo, estão inscritos 59 atletas. Todos os atletas deverão aguardar o final da seletiva para confirmar suas vagas para o evento na capital japonesa.

Pela manhã, no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo, Emanoel Victor de Oliveira, da classe F37, alcançou o índice do arremesso de peso [14,50m] e estabeleceu o novo recorde das Américas com a marca de 14m58. O recorde anterior já pertencia a um brasileiro, João Victor Teixeira [14,09m].

+ Atleta infectado por Covid será afastado, mas poderá ganhar medalha em Tóquio

“É um sentimento bom, nem consigo dimensionar. Tirei um peso dos ombros. Depois da pandemia, de tudo que passei, nascimento da minha filha, são vários sentimentos bons. Agora é continuar treinando”, contou Emanoel, que tem paralisia cerebral, que causa atrofia nos membros do lado direito, devido à falta de oxigenação durante o parto.

Emanoel Victor começou no paradesporto em 2008 no futebol de 7 (para paralisados cerebrais) e em 2015 decidiu migrar para o atletismo, para as provas de campo. A primeira convocação para a Seleção Brasileira em um grande evento foi em 2019, para o Campeonato Mundial de Atletismo, em Dubai. 

Na ocasião, também no arremesso de peso, ele ficou em sexto lugar. Com a marca alcançada hoje na seletiva paralímpica, Emanoel está na terceira posição do ranking mundial, atrás somente do russo Albert Khinchagov [15,19m] e do ucraniano Mykola Zhabnyak [14,69m].

Outros índices do dia

A mineira Izabella Campos (F11) foi outra atleta do dia a superar o índice exigido no lançamento de disco [35,41m], com a marca de 35,60m, neste primeiro dia de segunda fase da seletiva paralímpica.

Já na prova do arremesso de peso F33 na seletiva paralímpica, a pernambucana Leylane de Castro estabeleceu um novo recorde das Américas com a marca de 5,69m. A marca anterior, 5,44m, era da própria atleta. Ela também bateu o recorde das Américas no lançamento de dardo, com 8,91m. 

+ SIGA O OTD NO FACEBOOKINSTAGRAMTWITTER E YOUTUBE

No arremesso de peso classe F55, o carioca Wallace Antônio de Oliveira, também estabeleceu uma nova marca continental com 11,69m, recorde que já pertencia ao atleta com 11,24m, enquanto cearense Francisco Jefferson de Lima bateu o recorde das Américas no lançamento de disco F44 com a marca de 59m.

Também nesta terça, a campeã mundial no lançamento de disco no Mundial de Dubai em 2019, Beth Gomes (F52) quebrou o próprio recorde mundial. Ela superou a marca mundial ao lançar o disco por 16,92m e superou o seu antigo recorde de 16,89m, registrados durante sua vitória no Mundial de Atletismo em 2019. 

Mais em Atletismo