Siga o OTD

Vôlei de Praia

Olimpíada do Amor #4: Ágatha e Renan Rippel do vôlei de praia

O casal do vôlei de praia, Ágatha Rippel e Renan Rippel participam do quarto episódio game show do OTD. Assista!

E pra continuar com o nosso game show Olimpíada do Amor temos um casal muito especial. Pro terceiro episódio, convidamos Ágatha e Renan Rippel para participar desse jogo, que foi sucesso e agora vai virar um ranking entre 10 casais! Ele é dividido em três partes e, juntos, eles precisam levar essa. Será que esse casalzão conseguiu? Assista!

+ SIGA O OTD NO FACEBOOKINSTAGRAMTWITTER E YOUTUBE

Conheça mais sobre Ágatha Rippel:

Renan e Ágatha Rippel integram o quarto capítulo do game show do OTD: Olimpíada do Amor (Montagem/Caio Poltronieri)
Renan e Ágatha Rippel integram o quarto capítulo do game show do OTD: Olimpíada do Amor (Montagem/Caio Poltronieri)

Aos dez anos de idade, Ágatha Bednarczuk Rippel começou a participar de uma escolinha de vôlei em Paranaguá (PR). A modalidade de praia, porém, só entrou na vida da atleta aos 19, e logo se tornou uma paixão. As primeiras parceiras dos torneios disputados no Paraná, seu estado natal, foram Shirley, Cíntia e Sueli.

Até formar dupla com Duda Lisboa, em 2017, iniciando um novo ciclo para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, Ágatha teve inúmeras parceiras. Entre elas, estão Bruna Figueiredo (2003), Andréa Teixeira (2004), Sandra Pires (2005), Shaylyn (2006/07/09), Fabí Aires (2009), Isabela Maio (2009), Raquel da Silva (2010), Luiza Amélia (2011), Bárbara Seixas (2012/15/16) e Carol Solberg (2016).

+ A PÁGINA DE ÁGATHA NO OTD

Com tantos anos de carreira, não faltam títulos para a coleção da atleta. Em 2015, ao lado de Bárbara Seixas, Ágatha venceu, de maneira invicta, o Campeonato Mundial de Vôlei de Praia em Haia, na Holanda – garantindo também o título de MVP (melhor jogadora) do torneio. No mesmo ano, também alcançou o lugar mais alto do pódio no Circuito Mundial.

Em 2016, viveu o ponto mais alto de toda a carreira. Ainda com Bárbara, Ágatha conquistou a medalha de prata nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. A final foi contra a dupla alemã Laura Ludwig e Kira Walkenhorst. Na semifinal, Ágata e Bárbara superaram a dupla americana formada por April Ross e a tricampeã olímpica Kerri Walsh.

Atualmente, ao lado de Duda e sob o comando do técnico Marco Char, a atleta faz parte da equipe brasileira que mais subiu ao pódio no Circuito Mundial 2017, com seis medalhas.

Em 2018, a dupla já conquistou alguns títulos, garantindo o ouro na etapa de Itapema, prata em Moscou e o bronze em Varsóvia pelo Circuito Mundial, resultados que deram a elas o título da temporada. Além disso, foram campeãs do World Tour Finals. Em 2019, garantiram a classificação para a Olimpíada de Tóoquio, onde Ágatha vai ter a segunda medalha de sua carreira nos Jogos.

Parceria e convivência: atletas que trabalham em casal

São 24 horas de convivência, anos de trabalho, mas muitas conquista. E acima de tudo, amor. Alguns atletas no Brasil tem o privilégio e as vantagens – e desvantagens – de trabalhar lado a lado com as suas cara metades. Além de esposos, são também equipes profissionais. Assim, eles dividem a quadra/tatame/mar e a vida.

E para celebrar o dia dos namorados, o Olimpíada Todo Dia convidou quatro deles para contarem como é trabalhar em casal: Ágatha, do vôlei de praiaDouglas e Lucélia Brose, do caratê, e Poliana Okimoto, da maratona aquática. Leia mais!

Mais em Vôlei de Praia