Siga o OTD

Ana Paula Racismo Homofobia Acusações Preconceito

Vôlei

Ana Paula é acusada de preconceito e racismo duas vezes

Duas pessoas registraram Boletim de Ocorrência contra a ex-jogadora de vôlei e medalhista de bronze em Atlanta-1996

Ana Paula se posiciona com frequência em suas redes sociais e foi acusada de racismo e homofobia (Daniela Dacorso)

Ana Paula é acusada de preconceito e racismo duas vezes

A ex-jogadora de vôlei Ana Paula Henkel não consegue ficar longe das polêmicas. No início de junho, Isabel Salgado, ex-atleta da modalidade, publicou uma carta criticando o posicionamento da medalhista olímpica de bronze em Atlanta-1996 no combate ao racismo. E, nesta semana, duas pessoas registraram boletim de ocorrência contra ela com acusações de preconceito no que se refere a homofobia e questão racial.

+ Jornalistas LGBTQIA+ falam do desafio em buscar o ‘natural’

Alexandre Alvim, assessor de imprensa, e Andressa Faiad, estilista, procuraram a polícia e fizeram B.O. denunciando Ana Paula. Em matéria da “Folha de S. Paulo”, a ex-atleta foi acusada por Alvim de homofobia em mensagem recebida no Instagram. O jornal publicou a imagem do que foi escrito por ela. “A bicha se acha linda. HAHAHAHA. Vc é muito brega. Puta que pariu! HAHAHAHA. Se olha no espelho! Vc é muito brega, bicha”.

Já Andressa revelou ao “GloboEsporte.com” que fez críticas à medalhista olímpica por declarações políticas há algumas semanas. Ana Paula retrucou com um texto que a estilista considerou ofensivo e de homofobia e racismo. “Minha filha tem espelho na sua casa?? Hahahahaha vc parece um travesti! Hahaha olha seu cabelo, sua roupa! Seu corpo! Olha vc! P… que p… ! Vc é feia demais! Hahaha”.

Casos com a polícia

O caso de Alvim foi registrado como injúria e repassado para a Delegacia de Atibaia, cidade onde mora. Segundo o assessor de imprensa, a discussão com Ana Paula começou quando ele respondeu a uma postagem feita por ela e citou o fato da geração dela ter perdido e apanhado fora de quadra para as cubanas e que as duas maiores centrais da história eram pretas: Regla Torres e Magaly Carvajal, da seleção de Cuba.

+ Benite exalta personalidade do Burgos e boa chance na semi

Já a demanda de Andressa está em andamento na 13ª DP da Casa Verde, em São Paulo. No B.O., consta que a vítima “foi ofendida com palavras de baixo calão”. No print anexado ao documento, a ex-atleta teria comparado a estilista a um travesti e feito críticas ao seu corpo e cabelo. Inconformada com a postura de Ana Paula, Andressa disse ao “GloboEsporte.com” que não poderia passar pano para a atitude da medalhista olímpica.

“Recebi uma matéria falando da declaração dessa jogadora, tratando como ‘mimimi’ a questão do negro. Eu respondi um story dela dizendo que ‘(Fabrício) Queiroz (ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro) está preso’. Mais nada, não agredi, não fiz nada. E ela me mandou a mensagem que pareço um travesti e que sou feia demais. Fiquei em choque. Não podemos passar pano para essa atitude que ela tem tido, humilhando as pessoas”.

Indireta de Ana Paula

Ana Paula, que mora nos Estados Unidos, participou do programa “Pânico”, na rádio “Jovem Pan”, e comentou que ainda não sabia das acusações de racismo e homofobia. Entretanto, em seu Twitter, a ex-jogadora fez uma postagem em que deu uma indireta sobre o tema. Além do bronze olímpico e de outras conquistas na quadra, Ana Paula também jogou vôlei de praia.

+ SIGA O OTD NO FACEBOOKINSTAGRAMTWITTER E YOUTUBE

Mais em Vôlei