Siga o OTD

Brasil - CCE - Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

Tóquio 2020

Brasil encerra participação no CCE na 11ª colocação nos Jogos Olímpicos

Prova de salto encerra a competição de CCE e Carlos Parro termina em 32º no individual, ficando fora da final

Luis Ruas / Hipismo Brasil

Brasil encerra participação no CCE na 11ª colocação nos Jogos Olímpicos

Chegou ao fim, nesta segunda-feira (2), o Concurso Completo de Equitação (CCE) dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Na prova, que reúne adestramento, cross country e salto, o Brasil foi representado por Marcelo Tosi, Rafael Losano, Carlos Parro e Marcio Appel (reserva) e encerrou sua participação na 11º colocação geral.

Nesta segunda-feira (2), o Brasil foi representado no salto por Carlos Parro e Marcio Appel, que entrou no CCE após Rafael Losano ter que se retirar da competição no sábado por conta de uma lesão de sua montaria. Parro foi bem e teve apenas uma punição. Com isso, na soma das três provas, ele terminou na 32ª colocação, com 62.90, e não avançou à final individual.

+Tudo sobre hipismo nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

Já Marcio Appel competiu apenas pela equipe e também sofreu somente uma punição na proca de salto. Assim, o Brasil somou 463.60 ao longos dos três dias de competição e encerrou a participação no CCE em 11º lugar. A campeã foi a Grã Bretanha com 86.30.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK

Vale destacar que nos Jogos Olímpicos de Sydney, em 2000, o Brasil conquistou seu melhor resultado da modalidade em Olimpíadas até o momento: 6º lugar por equipe com time formado por Guega Fofanoff/Rose, Gustavo Pagoto/Amazonian, Luís Augusto (Guto Faria)/Hunefer e Vicente Araújo Neto/Tévere. Carlos Parro então montando Feline competiu no individual.

Mais em Tóquio 2020