Siga o OTD

Hugo Calderano Star Contender Doha

Tóquio 2020

Calderano é o primeiro brasileiro na história a chegar nas quartas do tênis de mesa

Hugo Calderano bate Woojing Jang, da Coreia do Sul, por 4 a 3 e se torna o primeiro brasileiro a chegar nas quartas de final da modalidade

Wander Roberto / COB

Calderano é o primeiro brasileiro na história a chegar nas quartas do tênis de mesa

Tóquio – E Hugo Calderano escreve seu nome em mais um capítulo da história do tênis de mesa: é o primeiro atleta a alcançar as quartas de final dos Jogos Olímpicos na modalidade. Diante de Woojing Jang, da Coreia do Sul, Hugo Calderano venceu o jogo acirradíssimo por 4 a 3 com parciais de 11/7, 9/11, 6/11, 11/9, 4/11, 11/5 e 11/6. Nas quartas, Hugo enfrenta o alemão Dimitrij Ovtcharov, às 9h (horário de Brasília).

“Foi um dia muito longo, dois jogos, principalmente porque no último mês eu estava treinando só um período, focando na intensidade mais que na quantidade. Então é sempre um desafio você ter tanta intensidade num período tão longo. Eu acho que eu consegui gerir isso muito bem, esse último jogo foi um jogo incrível, eu estava muito bem concentrado nos momentos decisivos”, comenta Hugo.

O jogo foi, realmente, muito emocionante e muito parelho. O brasileiro saiu na frente no primeiro set por 11 a 7, mas viu o sul coreano encostar no ponteiro com a parcial seguinte 11 a 9. Alternando táticas, Hugo precisou manter a concentração uma vez que o adversário abriu 2 a 1 com 11 a 6 no terceiro set.

Com o saque como sua maior arma na partida contra Woojing Jang, Hugo Calderano empatou 2 a 2 com um apertado 11 a 9 de parcial. E, como dizem, foi mesmo jogo pra cardíaco, uma vez que o sul coreano voltou a assumir a frente com 11 a 4 no quinto set.

Coube a parte mental e de concentração de Hugo decidir a partida. Na frieza e, no detalhe, Calderano fez 11 a 5 e 11 a 6 para fechar a partida e confirmar o seu nome em mais um capítulo da história do tênis de mesa. “Eu senti isso (o resultado histórico) quando todo mundo do Brasil veio me abraçar. Senti a emoção de todo mundo”, se emociona Hugo, que faz até uma pausa para respirar e voltar a falar sobre o ciclo.

“Acho que nunca é fácil para ninguém. O último ano com certeza não foi fácil para ninguém, eu não tive meus melhores resultados, mas continuei muito confiantes que eu conseguiria voltar a jogar meu melhor nível principalmente na competição importante, principalmente pela parte mental”, completa. “Agora, vou descansar, tentar comemorar um pouco, mesmo que tenha pouco tempo e amanhã me concentrar para a nova batalha”.

Agora, se prepara para encarar nas quartas de final o alemão Dimitrij Ovtcharov, às 9h (horário de Brasília). “Ele foi medalhista de bronze em Londres, currículo excepcional, já foi número um do mundo, é um jogador muito forte. A gente vai jogar no mesmo clube na próxima temporada, nos conhecemos bem, conversamos de vez em quando. Posso esperar uma batalha muito dura”.

CAMPANHA DE CALDERANO

Hugo Calderano, que alcançou as oitavas em 2016, só pensa em avançar em busca da medalha. “Espero que nós dois consigamos passar das oitavas. Cada vez vai ser mais difícil, mas estamos aqui para batalhar, para brigar e a gente vai continuar dando o nosso máximo”.

Foi a primeira partida de Hugo Calderano da competição, já, que como cabeça de chave número 4 da competição, ele estreou na terceira rodada. “Foi um jogo bem difícil. O Tokic tem muita experiência, já jogou muitas Olimpíadas. Eu já tinha enfrentado muitas vezes ele na Bundesliga, então a gente já se conhecia muito bem e sei que o jogo curto dele é muito perigoso. Sabia que seria um jogo muito difícil”.

Apesar da qualidade do adversário, Hugo Calderano se impôs e chegou à vitória por 3 a 1 com parciais de13/11, 11/7, 7/11, 11/9 e 12/10. “Estou há alguns meses sem competições e você não sabe muito bem o que esperar. Eu estava me sentindo bem nos treinos, apesar da lesão no ombro que eu tive há mais ou menos dois meses, consegui me preparar bem, mas você nunca sabe quando não tem muito ritmo de competição, mas fiquei bem feliz com meu nível hoje”, afirmou.

Mais em Tóquio 2020