Siga o OTD

Tênis

Brasil luta por playoff do Grupo Mundial da Copa Davis

Olga Paola Almanzar

Brasil luta por playoff do Grupo Mundial da Copa Davis

Nesta sexta-feira, Thiago Monteiro e Guilherme Clezar iniciam duelos contra a Colômbia em busca de uma vaga no playoff do Grupo Mundial da Copa Davis.

O Brasil inicia, nesta sexta-feira, a busca por uma vaga no playoff do Grupo Mundial da Copa Davis. O cearense Thiago Monteiro, 125º do mundo, será o primeiro tenista brasileiro a entrar em quadra no piso duro do Parque Distrital de Raquetas, em Barranquilla. O número 1 nacional enfrentará o experiente colombiano Santiago Giraldo, de 30 anos e 290º do ranking, em partida que abre o confronto válido pela segunda rodada do Zonal Americano I, conforme sorteio realizado nesta quinta.

 Na sequência, o gaúcho Guilherme Clezar, 234º, encara o jovem Daniel Galán, de 21 anos e 257º do mundo, que foi escalado como raquete 2 e deixou o experiente Alejandro Gonzalez na reserva. Tanto na sexta quanto no sábado, os jogos começam às 17h (horário de Brasília).
O sábado abre com o duelo de duplas, que do lado brasileiro tem o número 1 do mundo Marcelo Melo e Marcelo Demoliner e do outro a forte parceria formada por Juan Sebastián Cabal e Robert Farah. Depois, invertem-se os confrontos de simples, com Monteiro contra Galán e Clezar versus Giraldo. O paulista João Sorgi ficará como reserva.
 Independente da ordem dos jogos, o capitão João Zwetsch acredita que o Brasil está preparado para o confronto. A equipe brasileira está desde sábado na Colômbia e se adaptou bem às condições em Barranquilla. “O sorteio é sempre uma coisa já esperada, simplesmente uma ordem de jogos que se define. De uma certa forma a escalação do Galán nos surpreendeu um pouco, os outros dois, o Giraldo e o Gonzalez, são muito mais experientes. Mas ao mesmo o Galán vem com ótimos resultados no circuito, é um garoto novo, joga um tênis de qualidade. Mas o importante é estarmos preparados para jogar contra quem for. Foi isso que fizemos durante a semana vamos lutar bastante para trazer a vitória para o Brasil”, destacou.
Monteiro e Giraldo, que tirou um período sabático do circuito e não jogou a última Davis, se enfrentaram duas vezes, ambas no ano passado, com uma vitória para cada lado. A do brasileiro justamente no piso duro, no quali do ATP 250 de Sydney. “Sem dúvida eu já esperava jogar com o Giraldo, é um cara bem experiente, um dos melhores jogadores que a Colômbia já teve. Então, tenho que estar bem preparado. Acho que estamos bem adaptados às condições, treinando bem. Tem tudo para ser um grande jogo e espero sair com essa primeira vitória para o Brasil”, projetou o raquete 1 nacional, que também falou do clima favorável da equipe nesta Copa Davis. “Acho que a equipe está com o ambiente muito legal, uma energia boa. Todos animados para esse confronto. Copa Davis é uma competição diferente, onde todos tentam dar o seu melhor, lutar pelo seu país e é isso que eu pretendo fazer em quadra amanhã e jogar com tudo”, ressaltou.
Clezar e Galán se enfrentaram uma vez, no Challenger de Bucaramanga, na Colômbia, em 2015, com vitória do brasileiro. “Acho que vai ser um jogo complicado, a gente se conhece bastante, conheço o Galán dos torneios que a gente joga pela América do Sul, é um menino que vem crescendo e espero estar preparado para fazer um bom jogo”, afirmou o raquete número 2 brasileiro. “A gente vem com toda a empolgação de defender o Brasil e está todo o tempo treinando da melhor forma possível para estar preparado para fazer um bom jogo na sexta-feira”, completou.
A delegação brasileira em Barranquilla conta ainda com o técnico Daniel Melo, o preparador físico Eduardo Faria, o fisioterapeuta Paulo Santos, o médico Ricardo Diaz, o técnico Ricardo Schlachter, os juvenis João Lucas Reis e João Victor Loureiro, além do chefe de delegação Eduardo Frick e do presidente da Confederação Brasileira de Tênis, Rafael Westrupp.

Mais em Tênis