Siga o OTD

Tatiana Weston Webb

Surfe

Tati Weston-Webb perde para campeã olímpica e fecha o Circuito em 2º lugar

Brasileira fez grande final contra a líder do ranking e chegou a ficar a uma vitória do título, mas levou a virada da agora penta campeã do mundo

KURT STEINMETZ

Tati Weston-Webb perde para campeã olímpica e fecha o Circuito em 2º lugar

Tatiana Weston-Webb é vice-campeã mundial de surfe! Em Lower Trestles, na Califórnia, para a disputa da WSL Finals, a brasileira vice-líder do Circuito Mundial de Surfe de 2021 venceu a semifinal contra a australiana Sally Fitzgibbons de virada, mas acabou caindo na decisão para a americana Carissa Moore, campeã olímpica, líder do ranking e tetra campeã do mundo.

+ Gabriel Medina vence Filipinho e é tri campeão mundial de surfe

A brasileira finaliza uma grande campanha no Circuito com uma vitória, um vice-campeonato e dois terceiros lugares como melhores resultados nas 7 etapas realizadas. Na decisão, perdeu por duas baterias contra uma para Carissa, agora penta campeã mundial de surfe e que teve como pior resultado em 2021 um 3º lugar.

A WSL Finals é um formato novo de disputa do título, em que participaram somente os cinco melhores do ranking mundial em cada naipe. A briga começou, então, entre o quinto e o quarto colocados, sendo que quem vencesse enfrentaria o terceiro, depois o segundo até finalmente o duelo decisivo contra o líder do ranking. As eliminatórias foram disputadas em bateria única, enquanto a decisão foi em uma série melhor de três.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK

Por ter sido vice-líder do ranking, Tatiana Weston-Webb aguardou a adversária na semifinal. A australiana Sally Fitzgibbons, acabou batendo a francesa Johana Deffay nas quartas de final para encarar a brasileira. Tati virou no fim e se garantiu na decisão.

Contra a favorita, Tati surfou muito e venceu a primeira bateria da série melhor de três, mas viu a rival atacar nas duas seguintes e conquistar seu quinto título mundial. Na última manobra da última onda, Tati a brasileira teve grande chance de virar, mas acabou não finalizando e terminou com o vice-campeonato.

Confira como foi a trajetória de Tatiana Weston-Webb na WSL Finals.

Virada espetacular na semi

A australiana foi a primeira a atacar na semifinal. Na primeira onda, saiu com um 4.83. Aos 28min restantes, a brasileira tentou uma ação, mas entrou errado na onda e saiu só com um 2.17. Na sequência, Sally pegou a melhor onda e levou um 6.00.

Fitzgibbons aumentou a liderança para 11.73 a 3.04 após pegar uma outra boa onda e Tati entrar errado em uma. A brasileira voltou para a bateria a 17 minutos do fim fazendo a sua melhor performance até ali. Com uma direita bem trabalhada e duas boas manobras, levou um 5.17 dos juízes.

A 10 minutos do fim, Fitzgibbons entrou em uma onda ruim e deu a prioridade para Tatiana Weston-Webb. Dois minutos depois, a brasileira fez a australiana pagar caro por isso. Com uma bela onda repleta de manobras, levou um 8.00 e virou para 13.17 a 11.73. Fitzgibbons não conseguiu outra boa performance e a brasileira se classificou para a grande final.

Tati abre vantagem na decisão

A tarefa para Tatiana Weston-Webb seria duríssima. Enfrentar a americana Carissa Moore, campeã mundial em 2011, 2013, 2015 e 2019, além de campeã olímpica nos Jogos Olímpicos de Tóquio e líder do ranking mundial.

Na primeira bateria da série melhor de três, Tatiana Weston-Webb atacou primeiro. Com uma onda grande, encaixou algumas manobras e fez 5.50. Carissa Moore respondeu com uma onda promissora, mas que acabou em queda e lhe rendeu apenas um 3.00.

Carissa Moore conseguiu a virada logo na sequência. com duas boas ondas, passou a frente no placar: 8.73 a 7.50. Na metade da bateria, a havaiana pegou uma boa onda: 8.33. Tati respondeu com um 7.33 e ficou precisando de 6.74 para virar.

A secada da torcida brasileira funcionou na sequência. Carissa Moore pegou uma grande onda, mas acabou errando uma manobra que não costuma errar, dando a prioridade para Tatiana Weston-Webb, que não vacilou e tirou um 6.93, virando a bateria a seis minutos do término para 14.26 a 14.06.

Precisando de um 5.93, Carissa Moore desperdiçou boa onda a 3 minutos do fim, dando a prioridade para a brasileira, que colou na rival para não dar chances da virada. Ainda pegou uma grande onda para fazer 1 a 0.

Carissa empata e vira

Com as costas na parede, Carissa Moore foi para cima e mostrou o porquê de ser a líder do ranking mundial. Logo no começo da bateria, pegou a melhor onda do dia entre as mulheres, deu incríveis rasgadas e já levou um 8.93. Tati tentou responder, pegou boa onda e fez um início bom, mas acabou caindo. Carissa aumentou a diferença na sequência com um 5.93, dando larga vantagem.

A primeira boa onda de Tati veio na metade da bateria: 7.93, mas foi rapidamente respondida por Carissa Moore, que trocou sua segunda melhor nota por um 7.67. Com isso o placar foi a 16.60 a 10.60. A brasileira tentou responder, mas a onda escolhida acabou fechando.

O mar permaneceu em calmaria até o minuto final. Tati Weston-Webb tentou uma onda no último minuto e encaixou quatro manobras, mas levou ‘apenas’ 7.33, não atingindo os 8.68 necessários para virar. AInda que o tivesse feito, não teria passado a havaiana, uma vez que ela trocou de nota momentos antes.

A derradeira

A bateria começou morna, com as duas errando. Com 10 minutos faltando, Carissa Moore levou um 8.00 e um 7.00, dificultando ainda mais o trabalho da brasileira.

Sem desistir, Tati conseguiu um notão em uma belíssima onda. Com um 8.03, voltou para a bateria, com o placar em 15.00 a 11.70, precisando de 6.97 para ultrapassar Carissa.

A americana respondeu faltando 15 minutos para o fim, com uma onda muito boa e conectada e linda manobra de abertura. Com 8.60, dificultou a vida de Tati, que passou a precisar de 8.58 para tomar a liderança.

Com a prioridade a 13 minutos do fim, Tati Weston-Webb tentou ainda duas boas ondas, mas não conseguiu a nota necessária para o inédito título brasileiro no surfe feminino. Nos 2 minutos finais, desceu uma boa onda e começou boas manobras, mas não conseguiu uma finalização boa.

Essa foi a 12ª vitória de Carissa Moore em 18 baterias disputadas contra Tatiana Weston-Webb.

Tatiana Weston-Webb
WSL

Mais em Surfe